ANTERO DÁ UM TRANCO NO CHEFE DA TRANSIÇÃO PIVETTA: “É ridículo e inaceitável querer extinguir a Secretaria de Cultura. Consultem os sites, todos os governadores eleitores montaram equipe de transição, veja se em algum Estado tem coordenador de equipe de transição anunciando medidas de governo. Boas ou más só devem ser anunciadas pelo governador. É a única equipe de transição no Brasil falando em nome do governador”

Juntos, na campanha para eleger Pedro Taques, Antero e Pivetta agora divergem, na hora da transição

Juntos, na campanha para eleger Pedro Taques, Antero e Pivetta agora divergem, na hora da transição

 

 

REAÇÃO DURA

Marketeiro de Taques condena extinção da Cultura e abre crise interna

Marqueteiro de Pedro Taques considera ações da equipe de transição como equivocadas

RAFAEL COSTA
FOLHA MAX

Coordenador de marketing da campanha vitoriosa do senador Pedro Taques (PDT) na disputa ao governo do Estado, o ex-senador Antero Paes de Barros criticou duramente o prefeito licenciado de Lucas do Rio Verde, Otaviano Pivetta (PDT), responsável pela coordenação da equipe de transição do governo do Estado. O alvo da crítica transmitida em seu programa “Preto no Banco” exibido pela TV Pantanal, foi a proposta de extinção da Secretaria de Cultura para transformá-la numa mera coordenadoria. “Não tem nenhum Estado brasileiro que não tenha secretaria de Cultura. É desconhecer demais a história e o que significa a história de Mato Grosso. Me admira ser apresentado por um homem que vem de um Estado onde mais se preza por cultura que é o Rio Grande do Sul”, declarou.
Antero avaliou que cabe a Secretaria de Cultura o papel de promover a diversidade cultural de Mato Grosso e extingui-la é um erro de gestão. “É para apoiar a tradição gaúcha, mineira e até nordestina que existe em Peixoto de Azevedo. É para apoiar a dança dos mascarados em Poconé, é para apoiar a grande festa de Vila Bela da Santissima Trindade e a Cavalhada em Poconé”.
Por conta disso, considera sem fundamento a proposta de extinção da Secretaria de Cultura. “É ridículo e inaceitável querer extinguir a Secretaria de Cultura. Da mesma forma que o Pivetta não vai extinguir o CTG (Centro de Tradições Gaúchas) de Lucas do Rio Verde, não dá para querer propor a extinção da secretaria”.
Seguindo uma linha crítica de discurso, Antero ainda avaliou que as ações tomadas por Pivetta no papel de coordenador da equipe de transição estão equivocadas. “Consultem os sites, todos os governadores eleitores montaram equipe de transição, veja se em algum Estado tem coordenador de equipe de transição anunciando medidas de governo. Boas ou más só devem ser anunciadas pelo governador. É a única equipe de transição no Brasil falando em nome do governador”, criticou.
O ex-senador ainda condenou a proposta de reagrupar as secretarias de Justiça e Direitos Humanos com Segurança Pública. “Não tem como colocar de volta num mesmo local que prende e quem administra os direitos humanos dos reeducandos”, disse

Categorias:Jogo do Poder

2 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 177.41.95.161 - Responder

    Mas será mesmo que o governador não sabia de nada disso? Pela relevância do fato, dá para pensar que ninguém seria leviano de tomar uma atitude desse quilate sem a anuência de quem de direito…

  2. - IP 189.73.211.54 - Responder

    Começou a matança pelos melhores lugares! E Pedro não tem pulso… Vamos assistir de camarote!

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

cinco × um =