Alexandre César garante que não tem nada a ver com invenção da candidatura de Verinha

Militantes ligados à corrente Unidade na Luta (antigo Campo Majoritário) garantem que não tem nada a ver com a tentativa de golpear a candidatura de José Afonso Botura Portocarrero à Prefeitura pelo PT, consagrada nas recentes prévias do PT, e tentar fabricar a candidatura de Vera Araújo como vice numa coligação com o PR.

"Isso é coisa do Afrânio e da turma da AE", dizem os correligionários de Alexandre César. Aliás, Alexandre César e seus correligionários jamais esconderam a sua posição, legitima, de defenderem esta coligação, só que esta sempre foi uma posição minoritária no atual processo petista. Em telefonema para o próprio Portocarrero, nesta quinta, Alexandre, de Brasília, resumiu: "Continuamos a defender a coligação, como sempre defendemos, mas com você, Portocarrero, como vice. Você é o candidato definido pelas prévias e nós respeitamos as prévias, defenderemos o seu nome como o nome do PT até o final".

Quer dizer, Alexandre César, pelo menos neste episódio, não iludiu ninguém. A grande surpresa, o grande golpe neste processo, pelo que se vê, parte da chamada esquerda petista que, esquecendo de seus escrúpulos, atropelando a sua dignidade, e certamente pisoteando a tradição de seriedade consagrada por Valter Pomar dentro do PT, apesar de propagandear o tempo todo a defesa da candidatura própria, e de dizer que jamais daria um golpe, agora estaria a respaldar as movimentações de Afrânio Araújo para encaixar a sua esposa, a professora Verinha, como vice de Mauro Mendes.

Triste, muito triste, o enlameamento de certas biografias.
 

Categorias:Cidadania

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

9 − quatro =