Locatelli e Éder continuam se atacando. Até quando?

Aldo garante que está revelando, para Lúdio Cabral, a verdadeira face do seu companheiro Éder Moraes, ex-presidente da Agecopa

Como garantir esclarecimentos que acabem com este bate-boca sem fim? Sem dúvida nenhuma que as manifestações de Aldo Locatelli e Éder Moraes permitem que se lance um olhar sobre os sujos porões da política e da administração pública em Mato Grosso. Mas garantir espaço para esta troca de tiros no escuro não basta. Urge efetiva intervenção do Ministério Público para que se estabeleça as responsabilidades de cada um nestes episódios que vão se relatando. Confira o novo lance da pendenga. (EC)

ÉDER, O COMPANHEIRO POLIVALENTE

por ALDO LOCATELLI

 

Mais uma vez peço licença a todos que lerão este artigo para dar respostas a Eder Moraes, este homem que tenta aparecer mais que seu candidato e adora lançar teses vulgares na mídia. O ex-secretário faz isto para simplesmente iludir as pessoas e se esquivar das denúncias a seu respeito. Tenho revelado suas artimanhas sem nenhum medo. Ele tem a obrigação de fornecer explicações à sociedade em geral e aos órgãos fiscalizadores.

Minhas afirmações não são histórias da carochinha. Comigo realmente “SeFaz”. E não deixarei de falar sobre este moço, ex-servidor público. Inclusive já encaminhei alguns documentos ao Ministério Público Federal e ao Ministério Público Estadual. A estes órgãos fiscalizadores e à Polícia, ele precisa explicar, por exemplo, os seguintes casos: MT Fomento 3 cargos em 1, recebimento de diárias pela Metamat; Precatórios; Land Rovers; VLT, cuja propina estimada é de R$ 80.000.000,00, conforme denúncia do site UOL; lotérica, Mixto; pagamento em nome da Ortolan; Placar Eletrônico; entre outros. Os casos são muitos, por isto resolvi nomeá-los.

Entre todos estes fatos, faço questão de expor um caso bem curioso. Em 21 de dezembro de 2009, Eder, com todo o seu poder e ainda secretário de Fazenda, encaminhou uma carta a um banco de Cuiabá informando que o Governo do Estado iria repassar o valor de R$ 3.000.000,00 ao mesmo banco na data de 20 de março de 2010. Outra carta de mesmo formato, enviada em 2 de março de 2010, informava que o governo do Estado iria repassar o valor de R$ 3.100.000,00 em 10 de maio de 2010. O documento assinado pelo então secretário não apresentou a justificativa do pagamento, sequer evidenciou número de processo licitatório ou empenho. A carta é sucinta demais para um pagamento de valor tão alto. Em ambos os pagamentos, o favorecido seria (ou foi) a empresa Ortolan Assessoria e Negócios LTDA.

Em outro caso, posso dizer que o senhor Eder Moraes é um cidadão de tanta sorte que conseguiu comprar uma casa lotérica no bairro Morada do Ouro, em Cuiabá, pela bagatela de R$ 123.750,00, cujo valor de mercado é estimado entre R$ 350.000,00 e R$ 500.000,00. Parece até um milagre. O que mais causa estranheza é o fato de o contrato ser registrado em um cartório no bairro Cristo Rei, em Várzea Grande. Esta ação dificulta o encontro de documentos. Além disto, há denúncias de que ele já atuava nesta área, estando seu nome loteado no governo. E, logicamente, a casa lotérica foi negociada em nome de sua esposa.

No caso MT Fomento 3 em 1, Eder se mostra um ser trivalente. É sabido que o senhor Eder ocupava o cargo de diretor da MT Fomento em meados de 2003. Porém, este bom moço trabalhou como funcionário contratado pela Metamat como Diretor de Portos no mesmo período recebendo um salário de, aproximadamente, R$ 5.400,00 ao mês e mais direitos trabalhistas, com ficha de rescisão e tudo mais. Por vezes assumia um terceiro cargo: o de assessor especial do governador, recebendo diárias inclusive da Metamat, sendo presidente da MT Fomento.

Haja espaço para explicar tantos negócios. Eder deve ter memória curta, porque evita responder aos questionamentos que faço. Lúdio Cabral, candidato a prefeito de Cuiabá, esta é a verdadeira face deste seu companheiro.

Ao Ministério Público Federal e também ao Estadual e Polícias, quero dizer que estou à disposição para qualquer esclarecimento. Repito que a estes órgãos já entreguei algumas denúncias. Já tentaram me intimidar, mas eu não irei calar. Tenho documentos que comprovam.

Aldo Locatelli é empresário em Cuiabá

——————–

RÉPLICA

Eder Moraes revida e diz que Locatelli é “réu confesso”
Ex-secretário responde a artigo de empresário e fala em “jogo sujo”

DO MIDIANEWS

Em mais um embate verbal relacionado às eleições em Cuiabá, o ex-secretário de Estado Eder Moraes respondeu de maneira incisiva aos ataques desferidos pelo seu desafeto declarado, o empresário Aldo Locatelli que, em artigo, fez novas acusações (leia AQUI). Eder apoia Lúdio Cabral (PT) e, Locatelli, Mauro Mendes (PSB).

“Ele não tem moral para dizer que vai representar contra mim no Ministério Público. Ele é réu confesso da Máfia dos Combustíveis. Ele usou da delação premiada para entregar seus companheiros. Ele não tem moral para me representar”, disparou Eder.

“O senhor Aldo Locatelli é o maior financiador da campanha de Mauro Mendes. Ele é que tem que explicar o porquê desse apoio que, aliás, vem queimando o candidato da arrogância e da prepotência.”Com seu estilo habitual, o ex-secretário usou o ataque como defesa.

“O senhor Aldo Locatelli é o maior financiador da campanha de Mauro Mendes. Ele é que tem que explicar o porquê desse apoio que, aliás, vem queimando o candidato da arrogância e da prepotência… Ele está despencando nas pesquisas por causa de apoios ruins como este do Locatelli”, disse.

Eder também fez uma provocação ao empresário, sugerindo haver algo de “estranho” no preço dos combustíveis no Estado.

“Ele não explicou ainda porque cobra R$ 3,00 no litro da gasolina em Cuiabá e R$ 2,60 em cidades do Nortão, como Alta Floresta. Qual a mágica? Porque a logística para trazer o combustível para Cuiabá é muito mais barata do que levar para lá”, disse.

Segundo o ex-secretário, Locatelli “lesa os cuiabanos” ao cobrar mais caro pelo combustível na Capital que no Nortão. “É com esse dinheiro, que é cobrado a mais dos cuiabanos, que ele banca a campanha do senhor Mauro Mendes?”, provocou.

Eder também disse que apoiadores políticos de Mendes teriam “prevaricado” ao não representar Locatelli no Ministério Público em relação à “Máfia dos Combustíveis”. “É um pessoal que era esperto para representar contra todos, mas que fez vistas grossas contra essa Máfia dos Combustíveis”, disse, sem citar nomes.

Comitê da Maldade e prisão

O ex-secretário ainda disse que Locatelli e Mendes comandam, pessoalmente, o “Comitê da Maldade”.

“Eles estão sedentos e querem o poder a qualquer custo. Eles vão aumentar, ainda mais, a baixaria, o jogo sujo e a maldade. Eu fiquei sabendo que esse grupo até tentou pedir minha prisão… Tem um figurão que diz, aos quatro cantos, que tem influência no Ministério Público e na Justiça, para fazer e acontecer. Mas essas instituições são sérias e não se levarão por esse discurso megalomaníaco, de gente baixa. E digo mais uma vez: não vão me intimidar, não vão me calar”, afirmou Eder.

2 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 177.17.205.247 - Responder

    o povo muitas vezes vota sem saber o que está em disputa de fato na eleição. Eu vou pensar muito até o dia 7 para me definir nesta votação em Cuiabá

  2. - IP 189.10.99.202 - Responder

    Edér SEM MORAL, affe, até quando esse elemento continuará a vilipendiar os cidadãos matogrossenses???

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

2 × 4 =