AÉCIO NEVES: “Semana passada vi de perto, dessa vez na cidade de Sorriso (MT) – considerada a capital nacional do agronegócio e nosso maior produtor individual de soja -, exemplos práticos das contradições que comprometem o desempenho da nossa economia”

aecio em sorriso 4

Aécio Neves, senador tucano por Minas Gerais, visitou Sorriso na quinta-feira, 5 de setembro

Aécio Neves, senador tucano por Minas Gerais, visitou Sorriso na quinta-feira, 5 de setembro

Dilceu Rossatto, prefeito pelo PR, e o ex-prefeito de Cuiabá, Wilson Santos, recepcionaram Aécio Neves em sua visita ao município que é o maior produtor de soja do Brasil

Dilceu Rossatto, prefeito pelo PR, e o ex-prefeito de Cuiabá, Wilson Santos, recepcionaram Aécio Neves em sua visita ao município que é o maior produtor de soja do Brasil

Agronegócio
por Aécio Neves

Semana passada vi de perto, dessa vez na cidade de Sorriso (MT) –considerada a capital nacional do agronegócio e nosso maior produtor individual de soja–, exemplos práticos das contradições que comprometem o desempenho da nossa economia.

Ao mesmo tempo em que nos orgulham os ganhos formidáveis de produtividade no campo, é desoladora a descrença dos produtores na capacidade do governo federal de prover investimentos mínimos, em logística e em infraestrutura, que garantam menores custos e maior competitividade no momento de escoar a produção.

A frustração é de tal ordem que ouvi de muitos deles o desejo de plantar menos, já na próxima safra, por não haver sequer condições adequadas de armazenagem.

Com o crescimento do PIB projetado ao redor de apenas 2% ao ano, o setor rural resiste de forma heroica e produz resultados que devem ser reconhecidos e saudados pelos brasileiros: no segundo trimestre, em comparação com o primeiro, o PIB agropecuário cresceu mais que o dobro do PIB. O crescimento foi de 14,7% no primeiro semestre, se comparado com o mesmo período de 2012, enquanto o setor de serviços cresceu 2,1% e a indústria, 0,8%.

A grande performance reflete as transformações ocorridas quando a estabilização da economia decretou o fim do uso especulativo da terra e inaugurou a fase da busca pela eficiência na produção.

É notável, desde então, a crescente utilização de novas tecnologias e métodos de manejo, tornando produtivo e eficiente o setor, da porteira para dentro.

As dificuldades a serem superadas estão da porteira para fora e são as mesmas que outros setores enfrentam. O Programa de Investimento em Logística acaba de completar um ano sem realizar nem sequer um leilão para obras em rodovias, ferrovias e portos.

Esse é o terceiro ano consecutivo em que o Brasil cai no Índice de Competitividade Mundial, divulgado pelo Institute for Management Development: em 2010, ocupávamos o 38º lugar; em 2011, o 44º; em 2012, 46º. Na edição 2013, o Brasil caiu mais cinco posições –está em 51º lugar entre 60 países.

O resultado são montanhas de grãos ao ar livre (principalmente soja e milho) por falta de armazenagem; quilométricas filas de carretas para chegar aos portos; escassez de ferrovias, além de navios e contêineres parados nos portos, multiplicando custos e reduzindo competitividade.

É uma realidade que penaliza a economia como um todo e atinge intensamente o setor do agronegócio, cuja cadeia produtiva contribui com 22% na formação do PIB nacional.

A ausência de planejamento, o improviso e a prioridade dada ao marketing têm condenado os desafios do Brasil real ao esquecimento.

AÉCIO NEVES, senador pelo PSDB-MG, escreve às segundas-feiras na Folha de S.Paulo.

——-
ENTENDA O CASO

Aécio Neves chega a Sorriso e critica situação da BR-163

Senador Aécio Neves, pré-candidato do PSDB a presidência da República, acaba de desembarcar em Sorriso, onde gravará programa eleitoral do partido que será exibido em rede nacional de rádio e tv. Ele veio acompanhado do presidente da sigla em Mato Grosso, deputado Nilson Leitão, foi recebido pelo prefeito Dilceu Rossato (PR) e o ex-prefeito da capital Wilson Santos.
Ele criticou o governo Dilma pela lentidão na conclusão das obras da BR-163 (Nortão até Santarém-Pará), que iniciaram há cerca de 3 anos e devem ficar prontas ano que vem, além da falta de duplicação de vários trechos nas regiões Norte e Médio Norte e a situação ruim em vários pontos da principal rodovia usada para escoar a produção agrícola e centenas de produtos para muitos estados brasileiros e aos portos para serem exportados.
“Aqui é um retrato perfeito do Brasil que nós queremos. Vamos mostrar para o Brasil quem os sustenta. É daqui desta região que vamos tirar metade do crescimento deste ano. Vamos iniciar uma séria e grande discussão sobre planejamento e prioridades sobre o que o governo federal ainda não fez até hoje e o que precisaremos que fazer rapidamente para garantir que a produtividade daquele que investe possa corresponder no resultado do investimento. Hoje não tem”, disse Aecio, ao explicar a escolha de Sorriso para gravar o programa e apresentar suas propostas. Ele vai ter reunião com alguns líderes do agronegócio. Aecio disse que sua visita não é como pré-candidato, mas como presidente do partido que busca se fortalecer e apresentar para o país um projeto de crescimento com soluções para os principais problemas.
O presidenciável tucano chegou com uma hora de atraso na capital nacional do agronegócio. Do aeroporto, Aécio foi a uma fazenda onde serão feitas as gravações e mostrará que os produtores continuam ampliando a produção de grãos e alimentos, tendo participação decisiva no crescimento do PIB – Produto Interno Bruto-, tendo o setor agropecuário crescimento de 14%. Porém, o setor produtivo ainda sofre com falta de rodovias com bom estado para escoar safra, assim como a ausência de ferrovias e hidrovias. “Se não fosse o agronegócio não haveria crescimento (no PIB)”, disse.

FONTE SÓ NOTICIAS

——————
Aécio Neves defende fortalecimento do agronegócio

Texto: Luana Rodrigues/Fatos em Dia

Em visita a Sorriso, o senador Aécio Neves (PSDB) defendeu o fortalecimento do setor produtivo e a elaboração de um programa com indicações de melhorias. Apesar de todos já saberem das problemáticas que envolvem o agronegócio, o tucano se reuniu com os agricultores e demais lideranças, em uma fazenda local, para também tomar conhecimento do que mais os aflige e para conhecer mais os potenciais da região. Além disso, a intenção é mostrar por meio do seu programa eleitoral as imagens que retratem a fala dos produtores rurais.

O senador, que aterrissou em Sorriso por volta das 11h40min, comentou sobre as principais problemáticas do agronegócio brasileiro, como a precariedade da logística, falta de armazéns e caos das estradas. Como exemplo, ele citou a BR-163, “já famosa” pela falta de conclusão das obras (do Médio Norte até Santarém). E, como todo “bom pré-candidato” a oposição, criticou o governo Dilma pelo “foco em propagandas políticas e não na resolução dos problemas do País”.

Aécio Neves reconhece a importância de Mato Grosso para o Brasil em virtude da sua alta produtividade agrícola. E, por isso, decidiu que uma das temáticas a ser exibida em programas eleitorais do PSDB é a problemática do setor produtivo. Parta tanto, veio conhecer in loco as potencialidades e a logística local e regional. “Viemos contar a história da região para que o Brasil conheça quem o sustenta, pois é do agronegócio que vem o crescimento da economia brasileira”.

Para o senador, os entraves do setor produtivo ocorrem por conta da carência em planejamento por parte do Governo Federal. “O País precisa dar ênfase a importância do agronegócio, reconhecer e executar o potencial das hidrovias. A BR-163, por exemplo, não está duplicada nos trechos de maior tráfego e não temos ligação com os portos do norte estabelecida. Quanto à ferrovia de integração do Centro Oeste existe apenas um projeto e isso é um desrespeito aos que vem sustentando o nosso desenvolvimento”, disse afirmando que o Governo tem sido ineficiente.

O prefeito de Sorriso, Dilceu Rossato (PR), além de vereadores, receberem o senador. Para o chefe do executivo municipal, criou-se uma expectativa. “Porque será mostrada a realidade em que vive a região e o colapso no setor de transporte. Estamos com armazéns cheios porque falta espaço e enquanto o grão de milho custa R$ 10 hoje se gasta mais de R$ 20 com transporte. E isso é o que queremos mostrar para qualquer futuro pré-candidato a presidente que queira resolver esses problemas em seu programa de governo”.

Wilson Santos (PSDB), ex-prefeito de Cuiabá, também veio a Sorriso para receber Aécio Neves. Para ele, a vinda do presidenciável “é reconhecer que o agronegócio é o grande responsável pelo equilíbrio e superávit da balança brasileira. O que nós mato-grossenses e sulistas fizemos aqui é extraordinário”.

Santos também aproveitou a oportunidade para lembrar as “benesses” proporcionadas pelo partido. “Foi o PSDB que implantou a Lei Kandir e desonerou os impostos para a exportação de produtos primários e semielaborados. Fizemos a securitização das dívidas e o MT saltou de menos de 1 milhão de toneladas, em 1979, para 45 milhões t”, concluiu.

Acompanhado da comitiva do partido, também composta pelo deputado federal Nilson Leitão, o senador após conversar com a imprensa, se dirigiu à fazenda Santa Anastácia, com previsão de retorno à Brasília ainda na tarde de ontem.

Categorias:Jogo do Poder

1 Comentário

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 189.73.225.120 - Responder

    Quem pagou esse jatinho para o playboy do Aécio Neves voar até Sorriso-MT,algum empresário ligado a Usiminas ou algum amiguinho rico de Pedro Taques,tipo Pivetta,Locatelli ou alguém com esse perfil nada republicano!!

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

dezenove − 8 =