ADVOGADO PAULO LEMOS: Sou contra o impeachment porque seu real motivo é a disputa do poder pelo poder, daqueles que perderam a eleição e não aceitaram o resultado (PSDB e companhia limitada). Sou contra o impeachment porque o discurso de combate à corrupção é falacioso e hipócrita, na medida em que ele é seletivo e teleguiado, sendo absolutamente rigoroso com uns, porém, incoerentemente indulgente com outros, a depender do RG, CPF e filiação partidária do alvo (a lista da Ordebrecht está aí para comprovar)

Paulo Lemos, advogado

Paulo Lemos, advogado 

Sou contra o impeachment

POR PAULO LEMOS

Inicialmente, sou contra o impeachment porque sua deflagração está contaminada pelo espírito revanchista daqueles que não lograram êxito em suas chantagens e achaques, bem como não têm condições eleitorais e morais de serem eleitos presidentes da República Federativa do Brasil, pela via escorreita do voto livre e secreto na urna (Cunha,Temer e o PMDB).

Sou contra o impeachment porque o discurso de combate à corrupção é falacioso e hipócrita, na medida em que ele é seletivo e teleguiado, sendo absolutamente rigoroso com uns, porém, incoerentemente indulgente com outros, a depender do RG, CPF e filiação partidária do alvo (a lista da Ordebrecht está aí para comprovar).

Sou contra o impeachment porque seu real motivo é a disputa do poder pelo poder, daqueles que perderam a eleição e não aceitaram o resultado (PSDB e companhia limitada).

Sou contra o impeachment porque trocar alguém que manteve suas convicções intactas, apesar de torturada, e lutou pela democracia com sua própria vida, correndo risco de morte morrida e matada, por alguém que trai até sua própria sombra, sorte e biografia, pela ganância da governança, sem sentir dor ou qualquer pudor, revelando ser lobo em pele de cordeiro -vestindo Prada -, não convém.

Sou contra o impeachment porque uma banda da motivação é frágil e atípica (pedalada fiscal), jurídica e penalmente falando; enquanto a outra é fruto de provas manifestadamente ilícitas ou imprestáveis – em razão da coleta e tratamento ofertado, em dissonância com as regras aplicáveis ao caso, em benefício político e indevido; e pela impertinência temática delas.

Sou contra o impeachment porque sua natureza e finalidade estão distorcidas e desviadas, pretendendo, na melhor e mais ingênua das hipóteses, servir para dar vazão à insatisfação política, como seria legítimo num sistema parlamentarista, mediante o voto de desconfiança, ou mesmo no presidencialista, por intermédio do recall ou revogatória de mandato (inexistentes em nosso ordenamento jurídico) – o que não é o caso.

Sou contra o impeachment porque da forma que ele está sendo encaminhado, está muito mais para uso arbitrário das próprias razões, justiça com as próprias mãos e golpe, do que para o exercício de um instrumento previsto na Constituição.

Sou contra o impeachment porque, histórica e sociologicamente, o instituto do impedimento constitucional tem sido usado, hodiernamente, em substituição às intervenções militares de alhures – no caso, configurando golpe, disfarçado de providência institucional, por conta da perversão de suas dimensões ontológica (natureza primeva) e deontológica (finalidade precípua).

Sou contra o impeachment porque está longe de refletir a vontade da base da pirâmide popular, circunscrevendo-se à fatia significativa do topo e dalguma parte da zona intermediária do referido pictograma.

Sou contra o impeachment porque o projeto defendido pelos seus entusiastas colide frontalmente com o da maioria do povo: sendo o primeiro simpático ao Estado mínimo e enxuto, meramente regulador, que aumente a liberdade e “competividade” da iniciativa privada; e o segundo aspirante de um Estado vigoroso e provedor, que realize justiça social e seja cada vez mais inclusivo e solidário.

Por fim, sou contra o impeachment porque o Estado Democrático de Direito não pode ser deposto e impedido de mostrar seu rosto, conduzido coercitivamente a repristinar a noite sombria e o eclipse autoritário instalados em março de 1964 e responsáveis pelo regime de exceção que perdurou até meados de 1984, ao arrepio da democracia e liberdades fundamentais de todos nós.

Paulo Lemos é advogado em Matupá/MT e Cuiabá/MT.

8 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 187.119.138.180 - Responder

    Parabéns nobre colega endosso a fileira daqueles Q não são papagaios de pirata e se propuseram a vomitarem falácias com único e exclusivo objetivo acabar com a democracia sob a égide da peseudo- moralismo contra a corrupção

  2. - IP 177.203.20.69 - Responder

    Muito bem! Ainda bem que tem pessoas formadas em direito com essa visão..

  3. - IP 177.17.201.112 - Responder

    Continue sempre assim…

  4. - IP 200.140.20.95 - Responder

    Estou nessa, em defesa da Democracia…

  5. - IP 179.217.122.1 - Responder

    Há pessoas que não suportam a idéia de que os petistas sejam punidos por seus crimes de responsabilidade.

    O que eles querem?

    Que a Dilma continue com sua administração desastrada?

    Que o Juis Sergio Moro seja preso?

    Que os corruptos confessos sejam soltos?

    Que o dinheiro bloqueado na Suça seja devolvido aos meliantes?

  6. - IP 177.64.170.14 - Responder

    Não, sr indignado. Queremos que haja justiça, não apenas para alguns, mas para todos, inclusive os tuca nalhas travestidos de cordeiros, aos quais o DR. Rr Moro protege. Apenas isso.

    • - IP 179.217.122.1 - Responder

      A trupe de defesa da Dilma e do PT é mesmo muito ingênua em achar que o Juiz e os Procuradores do Paraná vão se deter com qualquer envolvimento de político de que partido for.

      Como disse a Katia Abreu, Ministra amiga da Dilma, a Lava Jato é um leão que ninguém mais consegue colocar de volta na jaula.

      Já era, todos os corruptos implicados serão tragados para o buraco negro, ninguém se salvará por ser deste ou daquele partido.

      Os petistas é que ainda não se conformaram com a idéia.

      Mas podem ir se conformando para sofrer menos.

    • - IP 179.217.122.1 - Responder

      A trupe que defende o PT é mesmo muito ingênua, pois não conseguem perceber que o Juiz e os Procuradores do Paraná não vão se deter diante da corrupção de qualquer partido.

      Os implicados em corrupção serão todos tragados para o buraco negro, indepedemente de ser deste o daquele partido.

      Só os petistas e seus defensores é ainda não perceberam isso.

      Mas é bom se acostumarem, para sofrer menos.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

catorze − 8 =