ADVOGADO JOSÉ ORLANDO MURARO: Com ou sem Lula…eu voto nulo!

Muraro

Com ou sem Lula…eu voto nulo!!!!

POR JOSÉ ORLANDO MURARO

 

Existe um livro que nem Lula nem Dilma leram….infelizmente. Trata-se de “Dialética de uma derrota” do chileno Carlos Altamirano Orrego, sobre os acontecimentos que levaram ao golpe e assassinato do presidente Salvador Allende, em 1973.

 

Altamirano tinha duas características profissionais fundamentais: é advogado (ainda está vivo com quase 100 anos!) e foi o líder da ala radical do Partido Socialista Chileno, que defendia a entrega de armas à população, tomada de fábricas e minas controladas pelo capital estrangeiro, e coisas do tipo.

 

Sem querer repisar um passado tão afogado em sangue de milhares de chilenos e outros latinos que por lá se encontravam, gostaria de repensar o ponto crucial daquele livro. Ele escreveu, com todas as letras, que o maior inimigo do governo Allende, não eram os militares, mas sim o Poder Judiciário. Quando o PSC navegou na “onda democrática” que fazia 40 anos que moldava a política chilena, o respeito ao Judiciário passou a ser algo sagrado, intocável mesmo.

 

E tudo dava no que dava: qualquer tentativa de avanços dos direitos dos famélicos da terra (como se cantava na Internacional Comunista) era barrada por juízes, em sua grande maioria filhos netos e tratratra…..netos da oligarquia chilena. Não havia como avançar pela denominada “via democrática”……

 

As nacionalizações dos meios de comunicação ( contra a ITT) das minas de cobre (anaconda) e outros atos eram sistematicamente derrubados pelos juízes e Tribunais superiores…..a oligarquia do judiciário mantinha “democraticamente” os privilégios que a oligarquia política não conseguia manter pelo voto direto nas urnas…..ali, naquela caixinha com uma abertura na tampa, a cada cidadão um voto!

 

A oligarquia, tanto lá como cá, é apenas uma minoria. Nesta semana os jornais divulgaram um estudo da Oxfam em que CINCO BRASILEIROS detêm a METADE das riquezas nacionais! .

 

E os pobres criam que nem ratos…..no voto direto, livre e soberano, o voto do Zé da favela vale tanto quanto o do Jorge Paulo Lemann, um dos donos da Ambev….

 

Esta supremacia pelo voto é inaceitável pela oligarquia.., ..os votos dos favelados, dos alagados, dos ribeirinhos semi-analfabetos, naquela caixinha, hoje eletrônica, se equivalem, têm o mesmo peso…..

 

O erro do Partido dos Trabalhadores foi acreditar na falácia da democracia….acreditar que poderia fazer as reformas estruturais neste País através de um Congresso composto de pulhas, proxenetas e ladrões de todo tipo……

 

E Lula reviveu o melhor de Getúlio Vargas, que era incensado com pai dos pobres e mãe dos ricos…..

 

A condenação de Lula, cujo maior erro foi e é ainda acreditar nesta “democracia podre”, mas tal decisão coloca novamente nos holofotes   que a LUTA DE CLASSES, tão desprestigiada e esquecida embaixo da poeira da História ressurge com toda a sua força……

 

É hora de negar esta falácia da “democracia no voto”….se não posso votar em quem eu quero, mas sim num panteão de oligarcas velhos, corruptos e encastelados nos PODERES desta Nação, então vou comparecer às urnas e ANULAR meu voto!

 

Esta frase, “eleição sem Lula é golpe”, é uma coisa meio sem sentido. O golpe contra os segmentos mais pobres deste país já aconteceu. Lula na cadeia é só um desfilar  dos derrotados pelas ruas da Roma antiga…..um espetáculo que nem mais sentido tem….no nosso caso, o desfile de Lula algemado deveria ser na Marques de Sapucaí, ante o silêncio dos miseráveis nas arquibancadas e a alegria dos oligarcas nos camarotes……

 

Já entendo que eleição é uma farsa. Fui candidato a vereador em Chapada dos Guimarães, mas lá pelas tantas a ficha caiu: não tem como combater o vício do sistema, a compra de votos, a entrega das cestas básicas….consequentemente, nem apareci para votar em mim! Comprei uma caixa de cerveja, bebi  o dia todo, dei muita risada e vi serem sagrados vereadores muito do que tem de pior neste município.

 

O erro está em que participamos desta farsa denominada de “democracia pelo voto!”Somos parceiros na manutenção da ilusão da população pobre de que, pelo voto, pode-se mudar o rumo das coisas.

 

Neste ponto, a leitura do livro de Carlos Altamirano é obrigatória para todos aqueles que entendem que temos que fazer algo para mudar a concentração de riquezas neste País.

 

A luta é nas ruas, e não nas urnas….

 

Para os juristas, o VOTO BRANCO significa que o eleitor aceita o sistema, mas não tem candidato de sua preferência. O VOTO NULO significa que o eleitor DISCORDA do sistema…… se os votos nulos ultrapassarem  a metade dos que comparecem para votar, significa que o sistema está derrotado.

 

Tenho 60 anos….respondi a uma enormidade de processos por conta da atividade jornalística. Tenho três ainda em andamento…..sei muito bem sobre o que falo…. o mais corrupto e podre  dos poderes desta Nação é o Poder Judiciário….como no Chile de Allende, é por decisões judiciais que se punem e se calam aqueles que colocam o dedo nas feridas da desigualdade neste Pais….

 

Com ou sem Lula, eu voto NULO!!!!

 

JOSE ORLANDO MURARO SILVA – Advogado. Portador da síndrome de Asperger

 

1 Comentário

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 191.128.157.227 - Responder

    Caro José Orlando
    Li atentamente seu artigo e, confesso, concordei com quase tudo que o senhor escreveu sobre Lula, Dilma e nosso sistema. Mas tenho uma dúvida sobre a questão do voto nulo. A mim me parece que o voto nulo é de alguém que realmente não está de acordo com o sistema, mas participa assim mesmo. Ora, creio que o mais adequado para demonstrar que realmente não está de acordo com o sistema é deixar de votar. Claro que, nesse caso, há algum risco. Risco de ter o documento cancelado, por exemplo. E é justamente por isso que se trata da postura mais adequada para demonstrar protesto. De que adianta esse milhares, em alguns pleitos de milhões, de votos nulos? Conheço pessoas que não votam, sequer irão fazer a tal da biometria. Esses sim são os rebeldes. A pessoa que se sujeita a ir até a seção eleitoral, enfrentar fila e depositar o voto, seja ele válido, branco ou nulo, não está protestando coisa nenhuma. Por que não há um chamamento para que descartamos o nossos títulos, nosso direito/dever de votar? Em vez de ficarmos fazendo apologia ao sistema eleitoral, mesmo que sob o verniz de revolta com o voto nulo, façamos um apelo para agirmos de fato com desobediência civil. Afinal, se o sistema representativo não me representa, para que vou participar do jogo?
    Você escreveu que “se não posso votar em quem eu quero, mas sim num panteão de oligarcas velhos, corruptos e encastelados nos poderes desta Nação, então vou comparecer às urnas e anular meu voto!”. Tudo bem, mas por que não dizer assim: “então eu nem vou comparecer às urnas!”? Ah, sim, temos medo das consequências. A desobediência civil, aquela de H.D. Thoreau é muito perigosa para nós, brasileiros e brasileiras.
    Para terminar, não posso me furtar de dizer que eu mesmo ainda sou daqueles que votam, por medo das consequências, mas sobretudo porque ainda acredito no voto. Ou seja, eu não sou um rebelde, não pratico nenhum ato de desobediência civil como acima mencionado. Apenas vejo que o voto nulo não é um ato rebelde como alguns querem pintar.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

18 + doze =