ALEXANDRE APRÁ: Advogado Eduardo Mahon não pagou locação de máquina digital de café e empresa teve que ir à Justiça para receber. LEIA PETIÇÃO INCIAL E ACORDO

Mahon faz acordo para pagar, na Justiça, aluguel de máquina de café by Enock Cavalcanti on Scribd

Empresa vai a Justiça para cobrar de Eduardo Mahon aluguel de máquina de café by Enock Cavalcanti on Scribd

Eduardo Mahon e a máquina de café

Eduardo Mahon e a máquina de café

Advogado Eduardo Mahon não pagou locação de máquina digital de café e empresa teve que ir à Justiça para receber

ALEXANDRE APRÁ/ Do IssoéNotícia

Uma empresa de locação de máquinas digitais de café expresso precisou procurar a Justiça para receber R$ 1,7 mil do escritório do advogado criminalista Eduardo Mahon, de Cuiabá, referente a três meses de cafezinhos não-pagos.

A ação de cobrança foi distribuída no dia 28 de maio passado. A Altra Locação de Máquinas relatou à Justiça que firmou contrato de comodato da máquina em 2011 com o escritório do criminalista, que também já foi presidente da Academia Mato-grossense de Letras.

Entretanto, em dezembro de 2015, Mahon parou de fazer os pagamentos mensais, que giravam em torno de R$ 600, entre o valor da locação e o valor dos produtos (café, capuccino, chocolate quente, etc..), o que levou a empresa e retirar a máquina do escritório em fevereiro deste ano.

A empresa também relatou que procurou um acordo amigável com Mahon, mostrando, inclusive, uma notificação extrajudicial para o pagamento da dívida, o que não aconteceu, segundo a empresa.

Só após o ajuizamento da ação, em 16 de junho, é que o escritório de Mahon e a empresa fizeram um acordo judicial para o pagamento da dívida, que deveria ocorrer em três parcelas.

Acordo descumprido e, depois, pago

O problema é que, no mês passado, a empresa acionou, novamente, a Justiça para relatar que Mahon, ao contrário do acordo firmado, não realizou o pagamento da primeira parcela da dívida, no valor de R$ 572,49, no dia 20 de junho, conforme previa o documento.

A empresa, então, requereu o desarquivamento da ação e pediu a penhora de bens do advogado.

Depois disso, o escritório de Eduardo Mahon realizou o pagamento total da dívida em uma conta judicial e o juiz Edson Reis, do 6º Juizado Especial Cível de Cuiabá, arquivou o processo.

3 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 179.235.221.11 - Responder

    Olha só @Portal do Locador

  2. - IP 198.15.118.143 - Responder

    Pensei que o Advogado viria aqui se pronunciar….até agora nada…

  3. - IP 187.7.193.181 - Responder

    O cafezinho de graça é mais saboroso? Deve ser… sem se perder o requinte, evidentemente.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

seis + catorze =