Desembargador João Ferreira se reconhece suspeito para julgar ação contra Banco do Brasil. Advogado e médico, Ruy Gonçalves adia manifestação diante do TJMT.Desembargador Rubens de Oliveira arquiva inquérito que apuraria fraudes na rumorosa demanda.

João Ferreira Filho, desembargador, que se reconheceu impedido para participar do julgamento que confronta o advogado Ruy Gonçalves contra o Banco do Brasil

A manifestação que o médico e advogado Ruy Gonçalves programara para diante das portas do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, no pós-carnaval, foi adiada. Ela deve acontecer neste mês de março, quando a rumorosa demanda que opõe Ruy Gonçalves contra o Banco do Brasil deverá ter seu julgamento retomado pelas Câmaras Civeis Reunidas do TJMT. Gonçalves tenta pressionar os desembargadores para que agilizem o julgamento de sua causa que se arrasta desde 1998. Em janeiro, ele conseguiu uma vitória parcial, com a decisão do desembargador João Ferreira de se reconhecer suspeito para continuar participando do julgamento. A expectativa do advogado é que a maioria dos integrandtes das Camaras Civeis Reunidas dêem provimento ao seu agravo, julgando improcedente ação rescisória impetrada pelo Banco do Brasil. Para garantir que não haja mais “enrolação” no julgamento dos diferentes processos que tratam do assunto, Ruy Gonçalves anunciou sua intenção de acampar diante do TJ e talvez até recorrer à greve de fome, adotando tática de um produtor rural de Sinop que no ano passado acabou recebendo apoio da OAB-MT e até mesmo a atenção da então corregtedor4a de Justiça do CNJ, ministra Eliana Calmon, para a sua causa. No video, em destaque, Ruy Gonçalves dá outros detalhes sobre o caso.

ENTENDA O CASO

A briga do doutor Ruy contra o Banco do Brasil, começou em 1998, quando ele se tornou vencedor de uma ação revisional de contrato, em razão de débitos que estariam sendo cobrando indevidamente pela instituição. A causa, inicialmente, envolvia o montande de R$ 11,6 mil e ganhou proporcionais inimagináveis quando a então juiza Marilsen Adário, hoje desembargadora, sentenciou que Ruy Gonçalves deveria receber o valor corrigido sob as mesmas condições a que o banco teria direito, caso fosse ele, o Banco do Brasil, a parte inadimplente. Ou seja: com juros mensais calculados com base nos juros cobrados pelo Banco do Brasil aos seus clientes de cheque especial.

Questionada em recurso do Banco do Brasil no Tribunal de Justiça, a sentença da juiza Marilsen Adário foi mantida em 2004 e transitou em julgado. E, da sentença inicial até hoje, as cifras em discussão atingiram proporção astronômica, que podem chegar a um montante superior a um bilhão de reais. Só que, com recurso se amontoando sobre recurso, não apareceu até agora nehuma autoridade judicial capaz de pacificar a questão e por um fim nesta pendenga que, segundo Ruy Gonçalves, está sendo muito estressante.

pagina do e tjmt – des.joão ferreira suspeição ruy gonçalves x banco do brasil by Enock Cavalcanti

3 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 177.41.82.71 - Responder

    Quero denunciar a construção do Complexo Educacional Damásio de Jesus em uma área pública do Morada do Ouro. Agora em posse da esposa de um membro do Ministério Público, que a comprou por um valor muito abaixo do mercado, essa área foi comercializada de forma irregular, tendo inclusive duas escrituras paralelas durante vários anos. A Prefeitura está ferindo a lei ao permitir essa obra, em uma área 100% residencial que não suporta o empreendimento. A Prefeitura está desrespeitando a vontade dos moradores que são contra o Damásio de Jesus no bairro, favorecendo o promotor e sua esposa. A obra foi aprovada a portas fechadas, mesmo repleta de irregularidades. Nós não vamos nos calar, já entramos na justiça contra a Prefeitura, essa briga só está começando, vamos fazer chegar ao Prefeito Mauro Mendes, ou ele faz o que é certo ou vamos expor todo o absurdo que está ocorrendo aqui.

  2. - IP 201.15.103.178 - Responder

    EXISTEM NO JUDICIÁRIO DE MATO GROSSO VÁRIOS MAGISTRADOS QUE ADVOGARAM PARA O BANCO DO BRASIL. É PRECISO MUITO CUIDADO E PRUDÊNCIA. A JUSTIÇA NÃO TEM PRESSA. VAMOS ACOMPANHAR OS FATOS NOTICIADOS NA MATÉRIA EM COMENTO. “QUEM VIVER VERÁ”

  3. - IP 187.123.7.149 - Responder

    …. por hora, parafraseando o Gabriel Pensador… ” Nádegas a Declarar”

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

dezoito + 15 =