ADEMAR ADAMS: É uma pouca vergonha o que fazem os prefeitos de Cuiabá, há muito tempo, permitindo a construção de empreendimentos privados que causam imensos transtornos à população em geral. O mais recente e polêmico é o caso dos transtornos causados pelo colégio Plural, erguido na confluência da estrada da Guia com a estrada de Chapada

charge-engarrafamento

O caso do Plural não é singular

POR ADEMAR ADAMS

 

É uma pouca vergonha o que fazem os prefeitos de Cuiabá, há muito tempo, permitindo a construção de empreendimentos privados que causam imensos transtornos à população em geral.

O mais recente e polêmico é o caso dos transtornos causados pelo colégio Plural, erguido na confluência da estrada da Guia com a estrada de Chapada.

A estrada da Guia traz todo o trânsito de carros pequenos e médios que vem de todo o norte de Mato Grosso e sul do Pará. Assim, na hora da entrada dos alunos, um engavetamento monstruoso enerva principalmente os moradores dos condomínios que foram erguidos na região muito antes desta via ser transformada em alternativa ao inferno do trecho da 163 de Jangada-Cuiabá. Idem aos que vem pela estrada de Chapada.

Este tipo de permissão para obras, sem avaliar o impacto de vizinhança e abalo nos instrumentos viários, que são públicos, é um reflexo da sequência de prefeitos incompetentes e despreparados que se sucedem na Capital nos últimos 30 anos.

O primeiro, que sempre denunciei, foi a permissão para a Unic construir aquele mostrengo na av. Beira Rio. Aquela via onde além dos carros de passeio, era e ainda é a principal passagem de caminhões pesados entre Cuiabá e Várzea Grande, que cruzam pela Capital, vindo do sul e do norte do país.

É incontável o número de acidentes, muitos com morte, ocorridos no local por causa de um educandário enorme destes ter sido autorizado a funcionar à margem de uma via com um tráfego pesado e constante como é ali.

A faculdade ICEC construída no bairro Despraiado, infernizou a vida de muita gente daquela região, sendo aliviado um pouco após a construção do viaduto, uma das obras da Copa.

A obra do Atacadão, na chegada de Chapada próxima ao Plural, foi outro escândalo. Ora, um comércio daquele tamanho construído ali foi uma irresponsabilidade do prefeito na época. Esta via simples, que deveria ter sido duplicada há décadas, não comporta o Atacadão. Morreram pessoas ali e as obras prometidas pela empresa na época, nunca foram realizadas e a municipalidade nada fez.

Caminhões proibidos

A situação da estrada da Guia é agravada pelos imensos caminhões que trafegam por ela. Os únicos que não se pode dizer nada são os que trazem, pedra e calcário da Brita Guia, empresa que traz seus produtos por esta via desde sempre. Só que não poderiam ficar derramando cal e pedrisco na pista como muitos fazem.

O tráfego dos demais caminhões é proibido, mas da proibição sem fiscalização, mesmo no “estado em transformação”, vem o abuso vergonhoso e impune.

A indústria de cimento da Votorantim, fez uma estrada nova apenas até certa altura, depois as enormes cargas entram na estada da Guia, contribuindo para aumentar o caos.

Amarelinhos amarelados

Para complicar mais o tormento causado pelo Plural, grande parte dos pseudos cidadãos e cidadãs, que dão um péssimo exemplo aos filhos que trazem para educar, cortam indevida e ilegalmente a pista na contramão.

Apenas uma vez vi por ali um veículo oficial com três “amarelinhos” para impedir o abuso. Bastava um, mas todos os dias, para multar aqueles carrões dos bacanas que dizem ser contra a corrupção dos outros.

Bem, os amarelinhos amarelaram, se foram corrompidos pela empresa, ou cumprem “ordens superiores”, não sei. Afinal o prefeito também é empresário e pode estar protegendo seus colegas.

Já a Polícia Militar estaciona um veículo logo à frente, à margem da rotatória. O que fazem ali para ajudar o trânsito? Nada. É proibido à gloriosa PM fiscalizar o trânsito nas rodovias do estado, secretário Mauro Zaque?

—-
ademar adams

Ademar Adams é jornalista em Cuiabá-MT

3 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 187.7.212.2 - Responder

    Tem toda razão, duvido que essa obra seria autorizada se houvesse um estudo de impacto de vizinhança sério e realizado corretamente. Agora deveriam fazer algo para consertar o estrago, como uma rotatória ou trincheira por exemplo.

  2. - IP 177.221.96.140 - Responder

    Além de tudo o empreendimento do colégio Plural ainda recebeu financiamento oriundo de órgão federais do Governo Petralha.

  3. - IP 179.83.107.199 - Responder

    Até que enfim alguém resolveu tratar de um tema que parece proibido em Cuiaba. Será em razão da classe social dos frequentadoras da tal escola ? Podia começar dando um pouco de educação aos motoristas que desfilam seus carros importados …muitos deles que não suportam um ventinho da PF, aliás ….kkkk

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

20 − vinte =