ADELINO MOREIRA: “Eu quero este corpo, que a plebe deseja/ Embora ele seja prenúncio do mal”

O AMOR QUE VIVE PARA PECAR, NA VISÃO DE ADELINO MOREIRA

O compositor luso-brasileiro Adelino Moreira de Castro (1918-2002), na letra de “Meu Vício é Você”, revela sua paixão por uma meretriz, conforme podemos perceber no verso “Que sai pela noite e amanhece na rua”. Este samba-canção foi gravado por Nelson Gonçalves, em 1955, pela RCA Victor.
MEU VÍCIO É VOCÊ
Adelino Moreira

Boneca de trapo, pedaço da vida
Que vive perdida no mundo a rolar
Farrapo de gente que inconsciente
Peca só por prazer, vive para pecar
Boneca eu te quero, com todo o pecado
Com todo os vícios,com tudo afinal
Eu quero este corpo, que a plebe deseja
Embora ele seja prenúncio do mal
Boneca noturna que gosta da lua
Que é fã das estrelas e adora o luar
Que sai pela noite e amanhece na rua
E há muito não sabe o que é luz solar
Boneca vadia de manhãs e artifícios
Eu quero pra mim teu amor só porque
Aceito os teus erros, pecados e vícios
Porque na minha vida meu vício é você

            (Colaboração enviada por Paulo Peres – site Poemas & Canções)

 

)

Categorias:Quebra Torto

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

dezesseis − doze =