Acredite se quiser: PMDB, agora, tenta reviver a candidatura de Dorileo

Depois da facada nas costa, Dorileo é novamente cogitado para assumir candidatura do PMDB na Capital. Virou piada

Mato Grosso Muito Mais Maggi
Por Pedro Pinto de Oliveira

Na coluna desta quinta (28) de Ilimar Franco de O Globo, o presidente nacional do PMDB, senador Valdir Raupp (RO), faz as contas das candidaturas viáveis do partido nas capitais brasileiras. Cuiabá não aparece mais na lista do PMDB nacional.

Aqui o partido jogou fora a candidatura de potencial de vitória, a do empresário João Dorileo. Trocou o certo pelo duvidoso, atraído pelo canto da sereia de ter o lugar mais valorizado da eleição deste ano: a vaga de vice de Mauro Mendes (PSB).

Mendes atraiu e depois jogou o PMDB fora, atendendo a exigência do senador Pedro Taques (PDT) que teria aceitado que Mendes coloque o PR do senador Blairo Maggi de vice, mas vetaria o PMDB do Silval Barbosa e do deputado Carlos Bezerra.

Ontem, depois da bola nas costas que levou de Mendes, o PMDB ainda tentava salvar o partido da situação vexatória. O senador Valdir Raupp e o vice-presidente Michel Temer ligaram atrás do empresário João Dorileo Leal tentando convencê-lo a retomar a candidatura.

A volta de Mauro Mendes à liderança de Blairo Maggi também causará alguns danos à imagem pública do senador Pedro Taques, já que a “oposição” vira “situação” e ganha novo sobrenome: “Mato Grosso Muito Mais Maggi”.

Uma saia justa também para o senador Pedro Taques. Agora aliado ao chefe da turma da botina, Taques vai precisar explicar porque aceita estar no palanque do PR de Blairo Maggi, investigado pelo Escândalo dos Maquinários, o famoso desvio de 44 milhões de reais de dinheiro público, mas veta o PMDB de Silval.

A nota de Ilimar Franco com as apostas do PMDB nacional sem a presença de Cuiabá na lista. Na capital de Mato Grosso um partido já está derrotado antes da campanha começar: o PMDB, que abriu mão da perspectiva de poder para sentar na canoa furada oferecida por Mauro Mendes.

AS APOSTAS.O PMDB espera dobrar o número de prefeitos nas capitais. Tem apenas três atualmente (elegeu cinco, mas perdeu dois que concorreram a governos estaduais nas últimas eleições, casos do Iris Rezende e José Fogaça). A principal aposta é a reeleição de Eduardo Paes, no Rio. Estão na conta do presidente do partido, o senador Valdir Raupp (RO), conquistas João Pessoa, Belém, Florianópolis, Boa Vista e Campo Grande. O PMDB deve ter candidato em 17 das 26 capitais.

Por falar em apostas. Mauro Mendes é amigo do peito e parceiro comercial de Blairo Maggi. Em 2014, se vencer a eleição como se configura com o seu poderio e favoritismo, qual será o candidato a governador do prefeito Mauro Mendes além dele mesmo? Maggi ou Taques? Façam as suas apostas.

FONTE PNB ON LINE

Categorias:Jogo do Poder

1 Comentário

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 201.49.166.90 - Responder

    É uma pena que o grande líder Carlos Bezerra esteja desaprendendo. Em Rondonópolis se confirmar a coligação pró Ananias do jeito que está previsto é caixão e vela preta. Vão morrer todos abraçados. Aqui na capital é a velha história que se repete: um partido gigante com postura de nanico. O que se vê nos bastidores é o PMDB desesperado para emplacar o vice de Mauro Mendes, numa demonstração visível de estar reconhecendo sua incapacidade de andar com as próprias pernas. Lamentável.

Deixe uma resposta para Guilherme Filho    ( cancelar resposta )

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

5 + 12 =