Campanha Coronavirus

ACELERA, PERRI: Presidente do TJMT corre para cumprir Meta 18 do CNJ e designa mais 4 juízes para atuarem na vara especializada, em Cuiabá. E no interior, os magistrados foram orientados a priorizar os processos envolvendo crimes de corrupção

 O presidente do TJ, Orlando Perri, se esforça para não ficar feio na foto e cumprir a Meta 18, que  foi estabelecida pelo CNJ em novembro de 2012 e tem por objetivo julgar até dezembro de 2013 os processos contra a administração pública e de improbidade administrativa distribuídos até 31 de dezembro de 2011. O controle sobre a meta é uma responsabilidade do Grupo de Monitoramento, presidido pelo conselheiro Gilberto Martins, que deve visitar Mato Grosso neste 2º semestre.


O presidente do TJ, Orlando Perri, se esforça para não ficar feio na foto e cumprir a Meta 18, que foi estabelecida pelo CNJ em novembro de 2012 e tem por objetivo julgar até dezembro de 2013 os processos contra a administração pública e de improbidade administrativa distribuídos até 31 de dezembro de 2011. O controle sobre a meta é uma responsabilidade do Grupo de Monitoramento, presidido pelo conselheiro Gilberto Martins, que deve visitar Mato Grosso neste 2º semestre.

FORÇA TAREFA
TJ/MT julga 94 ações de improbidade em 20 dias

O Poder Judiciário de Mato Grosso julgou 94 ações cíveis e penais relacionadas a crimes contra a administração pública num período de 20 dias e saltou do 19º lugar para o 13º no ranking de julgamentos de processos do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Segundo o órgão, o TJ atingiu 40,01% da Meta 18 contra os 24,63%, registrados em 25 de junho. Naquela data somente seis processos de improbidade haviam sido julgados em 2013. Hoje já totalizam 94 sentenciados, uma alta de 1.566%.

A Meta 18 foi estabelecida pelo CNJ em novembro de 2012 e tem por objetivo julgar até dezembro de 2013 os processos contra a administração pública e de improbidade administrativa distribuídos até 31 de dezembro de 2011. O controle sobre a meta é uma responsabilidade do Grupo de Monitoramento, presidido pelo conselheiro Gilberto Martins, que deve visitar Mato Grosso no 2º semestre.

Na Comarca de Cuiabá, a atuação de uma “Força Tarefa” há uma semana na Vara Especializada Contra o Crime Organizado, Crime Contra a Ordem Tributária e Econômica, Crime Contra Administração Pública, é considerada decisiva no aumento do número de sentenças.

Mais quatro juízes, por determinação do presidente do TJMT, Orlando Perri, foram designados para a unidade judicial. E no interior, os magistrados foram orientados a priorizar os processos envolvendo crimes de corrupção.

Nas ações de improbidade que tramitam em todas as instâncias verificou-se um aumento de 4,31% nos julgamentos, que saíram de 48,09% para 52,40%. Nas ações penais o avanço chegou a 14,95%, quando o percentual de processos sentenciados subiu de 10,09% para 25,04%.

Este desempenho positivo se deve ainda ao julgamento de ações pendentes de anos anteriores, como as de 2012. Em junho, o estoque de processos chegava a 3.038 e agora restam 1.756.

fonte MATO GROSSO NOTICIAS

 

4 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 186.213.227.55 - Responder

    Se as decisões forem do mesmo quilate dessa do maldonado era melhor deixar esses juizes de férias. Melhor se fossem pro exterior e não voltarem mais por aqui. Justiça agora além de piada tá virando estatística?
    Vão se catá, seus juizinhos. Voces pensam que a gente aqui de baixo não conhece vocês? Quantos de voces estão presos????

  2. - IP 189.10.40.35 - Responder

    Também, com o CNJ no cangote da administração do TJ… queria ver se não fosse o CNJ colocando pressão… as ações estriam paradas… esse TJMT é hilário… se não fosse trágico!

  3. - IP 177.175.198.83 - Responder

    Esse Marcelo f durao é um idiota

  4. - IP 177.202.38.28 - Responder

    Os dois primeiros comentaristas só mostram que não sabem nada dos últimos acontecimentos. Há um provimento da corregedoria, ainda à época em que ali atuava o Des. Orlando Perri, já determinando prioridade a essas ações… Não foi por causa do CNJ que se deu prioridade às ações de improbidade.
    Concordo com o Augusto, esse Marcelo é mesmo um idiota.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

16 + treze =