(65) 99638-6107

CUIABÁ

A sociedade contra o crime

Polícia Civil prende estelionatário que se passava por funcionário de banco para buscar cartões de vítimas em Cuiabá

Publicados

A sociedade contra o crime


Camila Molina/Polícia Civil-MT

Mais um estelionatário que veio do estado de São Paulo para aplicar golpes contra pessoas idosas em Cuiabá e região foi preso em flagrante pela Polícia Civil, na segunda-feira (03.05), em ação realizada pela Delegacia Especializada de Crimes Informáticos (DRCI) com a apoio da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) de Cuiabá.

O suspeito de 34 anos estava hospedado em um hotel no bairro Altos do Coxipó, onde foi flagrado com diversas máquinas de cartão de crédito e eletrônicos de alto valor de mercado.

As investigações iniciaram após a equipe da DRCI receber denúncia anônima sobre um homem que teria vindo do estado de São Paulo para aplicar golpes em Cuiabá. Segundo as informações o suspeito estava atuando com o golpe do “falso motoboy”, em que criminoso se passa por funcionário de agência bancária, para enganar a vítima dizendo que o cartão dela foi clonado,  induzindo a entregá-lo a uma pessoa enviada pelo banco.

Com base nas informações, os policiais foram até o hotel e em buscas no quarto em que o suspeito estava hospedado foram apreendidas seis máquinas de cartão cujas transações realizadas ultrapassam o valor de R$61,7 mil, além de aparelhos celulares modernos de alto valor de mercado e acessórios como smarth watch e fone JBL, que eram utilizados na prática do crime.

Leia Também:  Dois pontos de Vila Bela são alvo de fiscalização conjunta de cumprimento de medidas restritivas

Segundo o delegado da DRCI, Ruy Guilherme Peral da Silva, há indícios que o suspeito seja integrante de uma organização criminosa interestadual dedicada à prática de estelionato majorado contra idosos.

“O suspeito estava hospedado no hotel em Cuiabá há uma semana, sem qualquer vínculo pessoal, familiar ou de amizade em Mato Grosso, passando a maior parte do tempo dentro do quarto do estabelecimento. Os aparelhos eletrônicos apreendidos em seu poder, de alto valor de mercado, também são destoantes da sua condição atual de desempregado”, explicou.

O delegado representou pela conversão da prisão em flagrante para preventiva e disse que as investigações continuam em andamento. “Vítimas desse tipo de golpe devem ser ouvidas nos próximos dias para evidenciar a atuação deste suspeito ou identificar outros envolvidos no crime”, disse Ruy Guilherme.

Prisão anterior

O estelionatário é a segunda pessoa presa pela Delegacia de Crimes Informáticos por envolvimento nesse tipo de golpe em menos de uma semana. Na quinta-feira (28.04), uma mulher de 23 anos que também estava hospedada em um quarto de hotel, no bairro Bandeirantes, em Cuiabá, foi presa após ter a atuação ilícita descoberta pela equipe da DRCI.

Leia Também:  Anuário aponta que 18% dos registros de violência doméstica estão concentrados em dez bairros da Capital

A suspeita fez pelo menos três vítimas na região metropolitana e chegou a movimentar mais de R$ 80 mil adquiridos com os golpes. Com ela foram apreendidas 15 máquinas de cartão de crédito utilizadas para realizar as transações bancárias a partir dos cartões que ela adquiria fraudulentamente.

Conheça o golpe

No golpe do “falso motoboy”, o criminoso faz contato com a vítima por telefone, simulando ser de central de atendimento de instituição financeira, informado que o cartão da pessoa foi clonada e precisa ser bloqueado.

No suposto bloqueio do cartão, a vítima é induzida a fornecer dados e senhas para conclusão do procedimento. Na sequência, o suspeito oferece um serviço de motoboy para retirada do cartão, que em tese, foi cancelado durante a chamada telefônica.

Fonte: PJC MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

A sociedade contra o crime

Polícia Civil entrega armamentos para unidade especializada e anuncia nova sede para GCCO

Publicados

em


Assessoria/Polícia Civil-MT

A atuação da Polícia Civil de Mato Grosso no combate ao crime organizado foi fortalecida com a entrega, nesta terça-feira (11.05), de fuzis doados pela Secretaria Nacional de Segurança Pública, do Ministério da Justiça, à Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO). 

A entrega do armamento, modelo carabina 556, com três carregadores com capacidade para 30 munições e mais 200 munições calibre 556 foi realizada pela Diretoria da Polícia Civil e pela Gerência de Armas, Explosivos e Munições (Gaem). 

No evento, o delegado-geral adjunto, Gianmarco Paccola Capoani, e o diretor de Atividades Especiais, Fernando Vasco Pigozzi Spinelli, aproveitaram para conversar com os policiais da GCCO sobre a gestão da unidade, as ações desenvolvidas pela equipe nas últimas semanas e a previsão da nova sede. 

O delegado-geral adjunto falou das dificuldades enfrentadas pela Polícia Civil, principalmente durante o período de pandemia, quando ficou ainda mais evidente a dedicação e esforços dos policiais no combate ao crime organizado.

Gianmarco destacou que, mesmo diante do decreto de calamidade financeira, a Polícia Civil continuou buscando recursos e conseguiu alcançar inúmeras conquistas nas áreas de tecnologia e de  infraestrutura e que foco agora também é a melhoria das condições de trabalho para o servidor. 

Leia Também:  Polícia Civil recupera imagem furtada de igreja de Chapada dos Guimarães

“Passamos por este período em que a aquisição de bens foi proibida, então buscamos recuperar os recursos, o que a princípio parece simples, mas é fruto de um esforço exaustivo da equipe da Diretoria de Execução Estratégica que manteve contato com o Ministério da Justiça para conseguir trazer esse armamento para a Polícia Civil de Mato grosso, fortalecendo ainda mais o trabalho da instituição”, disse.

O diretor de Atividades Especiais frisou que as armas atendem um deficit da unidade e que o objetivo é que em breve venham novas armas, veículos, além de pedir o reforço do efetivo.

“Estamos trabalhando para tentar melhorar cada dia mais as condições de trabalho da equipe. Sabemos que os trabalhos desenvolvidos pela GCCO são extremamente complexos, envolvendo investigação em todo o estado e que o reforço tanto de aparelhamento quando de efetivo é fundamental para o bom desempenho dos trabalhos”, ressaltou o delegado Fernando Spinelli. 

A diretora de Execução Estratégica, Daniela Silveira Maidel, pontuou que mesmo atuando em várias frentes, a DEE procurou buscar alternativas para a crise pela qual o Estado passou, ressaltando que atualmente a situação é outra. Daniela falou sobre a nova sede da GCCO, que será instalada no antigo prédio da Procuradoria-Geral do Estado (PGE), no Centro Político, e da aquisição de novos armentos por meio de emenda parlamentar que atenderá unidades do interior do e também unidades especializadas como a gerência. 

Leia Também:  Dois pontos de Vila Bela são alvo de fiscalização conjunta de cumprimento de medidas restritivas

“Agora, um dos nossos focos com a GCCO é trabalhar a questão estrutural, com a entrega da nova sede. Estamos com todo mobiliário comprado para atender a unidade, que será uma das melhores unidades da região metropolitana”, destacou.

O delegado titular da GCCO, Vitor Hugo Bruzulato Teixeira, agradeceu a entrega das armas e destacou que a gerência tem valorosos policiais e o reconhecimento do trabalho desenvolvido pela unidade é um grande motivador.

“Todo esse reforço estrutural é fundamental para equipe da GCCO, uma vez que unidade presta apoio e orientação para as unidades do interior do estado. Sabemos da luta da diretoria para atender tudo o que é necessário, que são muitas coisas, armamento, viaturas, capacitação, para manter essa equipe forte que estamos construindo. Lembrando que ninguém trabalha sozinho e por isso esse apoio é essencial para o desenvolvimento dos trabalhos”, destacou o delegado.

Fonte: PJC MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA