(65) 99638-6107

CUIABÁ

A sociedade contra o crime

Polícia Civil e PRF apreendem 3,860 toneladas de maconha em rodovia na divisa entre MS e SP

Publicados

A sociedade contra o crime


Assessoria/Polícia Civil-MT

Mais de 3,8 toneladas de maconha que eram transportadas em um caminhão em uma rodovia federal foram apreendidas em mais uma ação conjunta da Polícia Civil, através da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) e Polícia Rodoviária Federal (PRF), realizada na tarde desta quarta-feira (22.09), na divisa entre os estados de Mato Grosso do Sul e São Paulo.

O motorista do caminhão foi autuado em flagrante por tráfico de drogas.

A apreensão da grande quantidade de entorpecentes ocorreu durante investigações da GCCO relacionadas a uma organização criminosa, ocasião em que os policiais receberam informações sobre um possível desvio de rota do veículo, utilizado pelo grupo.

Com base nas informações, os investigadores da GCCO acionaram a equipe da PRF que realizou a abordagem do caminhão Scânia, nno km 45 da Rodovia BR 257, na região do Distrito de Nova Casa Verde (MS), com destino ao Estado de São Paulo.

Em buscas no semirreboque do veículo, os policiais localizaram vários fardos de maconha, totalizando 3.860 toneladas da droga.O delegado titular da GCCO, Vitor Hugo Bruzulato Teixeira, destacou que a apreensão da grande quantidade de droga foi possível graças ao trabalho integrado entre as instituições.

Leia Também:  Mais de 400 passageiros de ônibus recebem orientações de segurança no trânsito

“A GCCO vem atuando para desarticular a atuação das organizações criminosas e através da parceria com a PRF foi possível garantir a celeridade da ação, resultando na apreensão da grande quantidade de entorpecentes.”, disse o delegado. 

 As investigações seguem em andamento para identificar outros envolvidos no crime

 

Fonte: PJC MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

A sociedade contra o crime

Cinco postos de combustíveis da Capital passam por fiscalização após denúncias de consumidores

Publicados

em


Camila Molina/Polícia Civil-MT

A Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Defesa do Consumidor (Decon), e o Instituto de Pesos e Medidas do Estado de Mato Grosso (Ipem-MT), fiscalizaram cinco postos de combustível de Cuiabá, em ação realizada nesta terça-feira (26.10).

A ação conjunta teve como alvo postos que foram denunciados por consumidores que suspeitaram da quantidade do combustível que abasteceram em seus veículos, e coincide com a entrada em vigor do aumento nos preços da gasolina e do óleo diesel anunciado pela Petrobras.

Durante a operação, foi analisada a vazão em dezenas de bicos e de bombas de combustível. Somente uma bomba de um posto, localizado no Bairro Parque Cuiabá, na Capital, foi reprovada por entregar 80ml a menos de combustível a cada 20 litros abastecidos pelo consumidor.

A bomba reprovada foi lacrada e o posto foi autuado pelo Ipem. A Polícia Civil vai investigar os fatos para verificar se houve adulteração dolosa da vazão, ou erro causado por problemas mecânicos ou pelas intemperes do clima.

Leia Também:  Polícia Civil apreende 20 tabletes de maconha que abasteceriam bocas de fumo em Rondonópolis

O delegado da Decon, Rogério Ferreira, destacou que durante a ação também foi verificado se os postos fiscalizados estavam se aproveitando dos sucessivos aumentos nos preços dos combustíveis nas distribuidoras para praticar aumentos abusivos contra os consumidores.

Se for comprovada a adulteração dolosa da vazão do bico reprovado, ou a prática de aumento abusivo de preços, os responsáveis legais pelos postos irão responder por crime contra a economia popular com até dois anos de prisão, e se for verificado a comercialização de combustível adulterado, os suspeitos responderão por crime contra as relações de consumo com pena que pode chegar aos 5 anos de prisão e multa.

Todas as denúncias encaminhadas à Polícia Civil, ao Ipem, Procon Estadual e Municipal e à Agência Nacional do Petróleo – ANP são investigadas, e os postos continuarão sendo fiscalizados constantemente em Cuiabá e em toda a região metropolitana da Capital.

Fonte: PJC MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA