(65) 99638-6107

CUIABÁ

A sociedade contra o crime

Polícia Civil de MT desarticula grupo criminoso que comprava veículos com cheques falsos em vários estados do país

Publicados

A sociedade contra o crime


Assessoria/Polícia Civil-MT

Quatro estelionatários que aplicavam golpes de compras de veículos com cheques falsos com vítimas em todo o país foram presos em flagrante em uma operação interestadual deflagrada pela Polícia Civil de Mato Grosso com apoio das Polícias Civis do Pará e de Mato Grosso do Sul.

A operação Defraudo, deflagrada pela Delegacia de Confresa finalizou nesta segunda-feira (03) com duas pessoas presas em Mato Grosso, no sábado (01), e mais duas pessoas presas nesta segunda-feira (03) no estado do Pará, além de dois veículos recuperados. 

As investigações que resultaram na desarticulação do grupo criminoso tiveram início no mês de fevereiro, após os suspeitos passarem pela cidade de Confresa, onde aplicaram o golpe contra uma idosa de 66 anos, cujo prejuízo foi de R$ 28 mil.

Assim que foi comunicada dos fatos, a Polícia Civil, através da Delegacia Municipal de Confresa iniciou as investigações que levaram a identificação de quatro integrantes do grupo criminoso. As prisões dos suspeitos ocorreram nas cidades de Três Lagoas (MS) e Canaã dos Carajás (PA).

As investigações da Delegacia de Confresa apontam que os envolvidos praticaram golpes nos estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, São Paulo e Tocantins, nas cidades de Confresa (MT), Ipiranga do Norte (MT), Guarantã do Norte (MT), Agua Boa (MT), Colider (MT), Uruana (GO), Mineiros (GO), Três Lagoas (MS), Dracena (SP), Palmas (TO).

Leia Também:  Polícia Civil, Procon e ANP deflagram operação em postos de combustíveis da região metropolitana

Segundo o delegado, Matheus Soares Augusto, a estimativa é que somente em 2021 a associação criminosa tenha causado prejuízos na ordem de R$ 300 mil às vítimas. O delegado acredita que no decorrer das investigações outras vítimas serão identificadas.

“Durante os trabalhos, ficou demonstrado que os criminosos eram especializados em crimes desta natureza. Com base na cidade de Rolim de Moura (RO), eles viajavam o Brasil aplicando golpes e retornavam ao seu estado eventualmente para descansarem e gastar o dinheiro obtido ilicitamente”, disse o delegado.

Os investigados serão indiciados por crimes de Estelionato Qualificado, Uso de Documento Falso, Falsidade Ideológica, Associação Criminosa e Lavagem de Dinheiro.

Atuação do grupo criminoso

Os criminosos se apresentavam com documentação falsa, buscando vítimas idosas ou que percebessem alguma vulnerabilidade. Os supeitos demonstravam interesse na compra do veículo e ao se dirigir à agência bancária para realizar o pagamento, utilizavam cheques falsos.

As vítimas acreditando ter recebido a quantia negociada transferiam o veículo aos estelionatários, que a partir então anunciavam nas redes sociais e em sites de venda, com preços abaixo de mercado para que fosse vendido o mais rápido possível.

Leia Também:  Polícias Civis de MT e do Pará prendem integrante de quadrilha de roubo de gado que agia no nordeste do estado

Ao encontrarem algum interessado vendiam o veículo e recebiam do dinheiro em suas contas bancárias. A vítima que recebeu o cheque falso só percebia o golpe alguns dias depois quando os veículos já haviam sido vendidos para terceiros.

Desafios da investigação

O delegado de Confresa, Matheus Augusto, a investigação contra estelionatários deste calibre é sempre um desafio muito grande, pois eles utilizam de documentos falsos, contas bancárias de laranjas, celulares cadastrados em nomes de terceiros.

“A garra e o comprometimento dos investigadores prevaleceu e os resultados vieram. O dia de hoje é muito importante para Polícia Civil pois demonstra que não existe crime perfeito e que mesmo diante dos desafios esses profissionais conseguem fazer um excelente trabalho”, disse.

O delegado estendeu o agradecimento ao Núcleo de Inteligência de Confresa e às Polícias Civis do Pará e de Mato Grosso do Sul.

A Delegacia Municipal estende seus agradecimentos ao Núcleo de Inteligência de Confresa/MT e às Polícias Civis do Pará e Mato Grosso do Sul.

Fonte: PJC MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

A sociedade contra o crime

Policiais civis recuperam motocicleta que foi vendida a vítima e estava com antigo dono do veículo

Publicados

em


Assessoria/Polícia Civil-MT

Policiais da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Veículos (Derfva) recuperaram no fim de semana uma motocicleta modelo Honda Biz que teria sido furtada próximo ao bairro Dom Aquino, na Capital.

A equipe policial realizou pesquisas para checar a origem da motocicleta e localizou outros boletins de ocorrências de furto para o mesmo veículo, sendo dois deles registrados em abril e maio deste ano, um deles feito pelo mesmo comunicante, o que causou estranheza aos investigadores e a suspeita de se tratar de um golpe.

Com as informações em mãos, os policiais mantiveram contato com a vítima que constava em um dos boletins, que informou ter adquirido a motocicleta de seu patrão, que por sua vez a comprou de um ex-funcionário, sendo acertado que ele realizaria a transferência futura para a vítima do boletim que noticiou o furto.

A vítima disse ainda que o ex-dono da moto ligou informando que o veículo havia sido apreendido pela PM e estava no pátio de uma delegacia, contudo, ao checar essa suposta apreensão, os policiais da Derfva não localizaram nenhum registro.

Leia Também:  Polícia Civil cumpre mandado de prisão contra procurado pela Justiça pelo cometimento de furto tentado

Os policiais então localizaram o endereço do antigo dono da motocicleta e ao chegar ao local foram informados de que ele havia saído de casa em uma motocicleta Honda Biz, com as características da moto que teria sido furtada. Minutos depois, o rapaz apareceu, porém, sem a motocicleta e disse que a deixou estacionada no bairro Alameda, em Várzea Grande.

A equipe da Derfva localizou a motocicleta no local informado e enquanto aguardava o guincho para transportá-la ao pátio da delegacia, a mãe do rapaz apareceu e agrediu verbalmente os policiais e insinuou estavam auferindo vantagem financeira do ex-patrão do filho.

A mulher e o filho foram conduzidos para a delegacia. Após ser apresentada ao delegado plantonista, ela pediu desculpas aos policiais.

Fonte: PJC MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA