(65) 99638-6107

CUIABÁ

A sociedade contra o crime

Mais 102 quilos de entorpecentes são incinerados pela Polícia Civil em Sapezal

Publicados

A sociedade contra o crime


Assessoria/Polícia Civil-MT

A Polícia Civil em Sapezal (480 km a noroeste) incinerou nesta quarta-feira, 13 de outubro, mais entorpecentes apreendidos pelas forças policiais do município.

De acordo com o delegado Heberth Hugo Montenegro, foram incinerados 102 quilos de drogas entre maconha, pasta base e cocaína apreendidas em ações das polícias Civil e Militar.

A incineração é o último ato na persecução penal em relação ao crime de tráfico de entorpecentes, quando a Justiça autoriza a queima dos produtos apreendidos e o inquérito é remetido ao Poder Judiciário.

Acompanharam a incineração, realizada nos fornos de uma algodoeira da cidade, o promotor da comarca, representante da Vigilância Sanitária e a equipe da Delegacia da Polícia Civil.

Fonte: PJC MT

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Polícia Civil recupera celular furtado e prende casal de idosos por receptação
Propaganda

A sociedade contra o crime

EMANUEL PINHEIRO AFASTADO: Operação Capistrum cumpre medidas contra gestores da prefeitura de Cuiabá

Publicados

em

 

Assessoria/Polícia Civil-MT 

O Ministério Público, por meio do Núcleo de Ações de Competência Originária (NACO), e a Polícia Civil cumpriram nesta terça-feira (19.10), dentro da Operação Capistrum, medidas cautelares criminais de busca e apreensão e sequestro de bens em desfavor do prefeito de Cuiabá e sua esposa, do chefe de gabinete da prefeitura, da secretária-adjunta de Governo e Assuntos Estratégicos e do ex-coordenador de Gestão de Pessoas. A decisão judicial também determinou o afastamento da função pública em relação ao prefeito e aos servidores e a prisão temporária do chefe de gabinete.

As decisões são oriundas de investigações originadas no Núcleo de Defesa do Patrimônio Público e da Probidade Administrativa de Cuiabá relacionadas a ilícitos apurados na Secretaria Municipal de Saúde.

Os pedidos foram acolhidos pelo Tribunal de Justiça no âmbito do procedimento de nº 47.520/2021, que corre em segredo de justiça.

O Gaeco e a Delegacia Especializada de Combate à Corrupção da Polícia Civil prestaram apoio no cumprimento dos mandados judiciais.

Além da medida criminal determinada pelo Tribunal de Justiça, o Ministério Público propôs, através do Núcleo de Defesa do Patrimônio Público e da Probidade Administrativa, ação cível por ato de improbidade administrativa visando a aplicação das sanções da lei de improbidade, bem como apresentou pedidos de indisponibilidade de bens e afastamento de agentes públicos.

Leia Também:  Polícia Civil recupera celular furtado e prende casal de idosos por receptação

Fonte: PJC MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA