(65) 99638-6107

CUIABÁ

A sociedade contra o crime

Agressor é preso em flagrante após manter ex-mulher em cárcere privado e cometer abuso sexual

Publicados

A sociedade contra o crime

Um homem de 33 foi preso em flagrante pela Polícia Civil, na manhã desta sexta-feira (13.05), em Arenápolis, depois de manter sua ex-mulher em cárcere privado e cometer abuso sexual dentro da casa da vítima. E ainda descumpriu a medida protetiva de urgência que a vítima tinha contra ele.

No início da manhã de hoje, a vítima procurou a Delegacia da Polícia Civil e relatou que tinha sofrido agressões psicológicas, físicas e sexuais do seu ex-convivente. Ela estava saindo para o trabalho quando foi surpreendida por ele, que a ameaçou com uma faca e a fez voltar para dentro da residência. Depois, ele a trancou na casa e a forçou a ter relações sexuais.

A vítima conseguiu fugir do cárcere e procurou imediatamente a delegacia.

A equipe de investigação de Arenápolis fez diligência para localizar o agressor, que foi preso no momento em que tentata fugir em seu veículo. Os investigadores conseguiram abordá-lo e fazer a prisão.

“O suspeito já possui histórico de violência contra a vítima, inclusive, ela requereu medida protetiva de urgência, que ele descumpriu”, explicou o delegado de Arenápolis, Hugo Abdon.

Leia Também:  Polícia Civil fortalece unidades de fronteira com a entrega de fuzis

Ele será autuado em flagrante pelos crimes de estupro (Art. 213), cárcere privado (Art. 148) e descumprimento de medida protetiva (Art. 24-A, da LeiMaria da Penha). O delegado vai encaminhar representação à Justiça pela conversão do flagrante em prisão preventiva.

Fonte: PJC MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

A sociedade contra o crime

Polícia Civil busca por homem que agrediu brutalmente e mutilou companheira em distrito de Colniza

Publicados

em

A Delegacia da Polícia Civil em Colniza investiga os crimes de tentativa de feminicídio, tortura e cárcere privado praticados contra uma mulher em Taquaruçu do Norte, no último fim de semana. A vítima foi mutilada e sofreu diversas lesões causadas pelo companheiro que, após o crime, fugiu com a filha do casal, de nove meses. Ele é considerado foragido da Justiça.

O delegado Bruno França representou pela prisão preventiva do suspeito pelos crimes de tentativa de feminicídio, posse ilegal de arma de fogo, tortura qualificada e cárcere privado, decretada pelo juízo da Comarca local. Também foi deferido o pedido de busca e apreensão da criança.

A Delegacia de Colniza busca pelo paradeiro do criminoso e a Polícia Civil do estado de Rondônia foi comunicada sobre o mandado de prisão contra o suspeito. 

Crimes

A Delegacia de Colniza foi comunicada sobre as agressões praticadas contra a mulher de 21 anos, no distrito de Taquaruçu do Norte, distante em torno de 250 quilômetros da cidade de Colniza.

A Polícia Civil solicitou apoio ao núcleo da PM na região, que seguiu até a casa da vítima e encontrou a mulher com ferimentos, hematomas e uma lesão já infeccionada na genitália. Ela foi socorrida para Colniza, diante do quadro grave de saúde.

Leia Também:  Homem é preso pela Polícia Civil por descumprimento de medida protetiva em Colíder

Em depoimento à Polícia Civil, a vítima narrou que as agressões tiveram início na sexta-feira, 13 de maio. Ela e o agressor conviviam maritalmente e ele chegou na casa agressivo, após ingerir bebida alcoólica, quando tiveram uma discussão. Depois, o suspeito começou a sessão de socos e chutes e tentou atirar contra a vítima, como a arma falhou, ele quebrou o cabo da espingarda na cabeça da mulher e depois a mutilou. A irmã da vítima, que também convive com o agressor, tentou ajudá-la, mas foi agredida. Ambas foram impedidas de sair da casa para buscar ajuda.

Apenas 24 horas após o início das agressões, quando vizinhos foram à residência e se depararam com a situação de violência, foi possível pedir socorro e acionar a polícia.

Ao perceber a chegada da viatura policial em Taquaruçu do Norte, o suspeito fugiu para a mata levando a filha de nove meses.

O delegado de Colniza instaurou o inquérito para apurar os crimes cometidos contra a vítima de tentativa de feminicídio e também as agressões sofridas pela irmã dela. “As declarações colhidas exames realizados deixam bem claro que o suspeito submeteu a vítima a uma série de agressões físicas e psicológicas, com claro intento de provocar dor e sofrimento a sua companheira, o que foi então evoluindo para uma tentativa de feminicídio”, destacou Bruno França.

Leia Também:  Policiais civis participam de capacitação promovida pela Delegacia Especializada de Defesa da Mulher
Fonte: PJC MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA