(65) 99638-6107

CUIABÁ

A sociedade contra o crime

Ação integrada das polícias de MT e GO localiza suspeito de feminicídio ocorrido em Cáceres

Publicados

A sociedade contra o crime


Raquel Teixeira/Polícia Civil-MT

O suspeito do feminicídio que vitimou Fátima Ferreira do Nascimento, 36 anos, ocorrido no último final de semana, em Cáceres, foi preso nesta quarta-feira (09.06), no estado de Goiás. A  vítima foi encontrada morta em sua casa, no bairro Luz do Sol, com diversas perfurações de arma cortante, na manhã de segunda-feira, 07 de junho.

A partir da instauração do inquérito pela Delegacia Especializada de Defesa da Mulher de Cáceres para apurar o crime, a Polícia Civil reuniu diversas informações durante as diligências que embasaram a representação à Justiça pela prisão preventiva do suspeito.

A delegada da DEDM de Cáceres, Judá Maali Marcondes, destaca o empenho das equipes policiais, do Judiciário e Ministério Público do município e a colaboração das forcas de segurança de Goiás que resultaram na localização do suspeito do feminicídio.

Em troca de informações entre a Polícia Civil em Cáceres e as polícias Civil e Militar de Goiás foi possível chegar à localização do suspeito, que foi encontrado quando tentava embarcar na rodoviária da cidade de Rio Verde em direção ao estado do Maranhão.  Ele foi preso por uma equipe da Polícia Militar e depois conduzido à delegacia da Polícia Civil de Rio Verde.

Leia Também:  Mulher é presa pela Polícia Civil com bicicleta furtada e autuada por receptação

Fátima Ferreira teve um relacionamento por um ano com o suspeito e estavam separados há um mês, contudo, o homem não aceitava o fim da relação. Após cometer o crime, ele teria ligado para sua mãe e dito que havia acabado de matar a ex-namorada e estava ao lado do corpo dela.

Conforme apuração realizada pela DEDM de Cáceres, o suspeito tem diversos registros por crimes relacionados à violência doméstica contra outras ex-companheiras e também uma condenação pela Comarca de Cáceres por estupro de vulnerável.

Fonte: PJC MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

A sociedade contra o crime

Investigado pela Polícia Civil pela morte de companheira é condenado a 21 anos em Tribunal do Júri

Publicados

em


Assessoria/Polícia Civil-MT

O homem investigado pela Polícia Civil por um feminicídio da companheira, ocorrido há três anos, em Cuiabá, foi condenado pela Justiça Estadual a 21 anos de prisão. A decisão foi do Tribunal do Júri em julgamento realizado nesta quinta-feira (24), na Capital.

M.J.S.D. matou Vanessa Tito Poquiviqui em 31 de janeiro de 2018, no bairro Três Barras. O crime foi investigado pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que apurou que o criminoso, depois de matar a vítima asfixiada, filmou a namorada agonizando.

Ele ficou foragido durante um ano e depois de diversas diligências, a equipe da DHPP o localizou na região do Coxipó do Ouro. Ele utilizava documento falso para escapar do mandado de prisão que foi expedido pela 2a Vara de Violência Doméstica e Familiar de Cuiabá pelo feminicídio da companheira.

O crime

A vítima, de 21 anos morava há cerca de um mês com o namorado. À época, ele estava com 30 anos e já tinha quatro passagens criminais, sendo três por violência doméstica, com três mulheres diferentes, mas nenhuma contra Vanessa.

Leia Também:  Polícia Civil apreende autor de roubo com restrição de liberdade cometido contra adolescente em Tangará da Serra

A jovem foi localizada pela mãe do suspeito, que acionou a Polícia. A equipe de plantão da Delegacia de Homicícios (DHPP) encontrou a jovem na cama do quarto do casal e apresentava lesões no rosto, um corte de faca no supercílio e outro corte superficial no queixo.

Histórico criminal

A primeira prisão de do investigado foi registrada em 2009, por lesão corporal. Ele foi condenado no processo, mas foi determinada medida cautelar com uso de tornozeleira.

Em 2011, ele respondeu a procedimento por porte ilegal de arma de fogo de uso permitido.

Ele também respondeu por lesão corporal e injúria contra uma menor de idade, crime que tramitou pela Delegacia Especializada de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Deddica).

A quarta passagem criminal foi registrada por crime de lesão corporal em 2017, em inquérito pela Delegacia da Mulher de Cuiabá.
 

Fonte: PJC MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA