A DIREITA SE ASSANHA, ESPERNEIA, AMEAÇA – Eduardo Mahon que se espanta com a possibilidade da esquerda assumir o poder em Cuiabá, depois de anos e anos de administrações ruinosas da direita, tenta excomungar o Procurador Mauro para defender a volta de Wilson Santos, vejam só que despautério. É o Samba da Lorota em nova e abjeta versão. A volta de Wilson Lorota Santos, não! Nunca! E Emanuel, processado por distribuir esmeraldas falsas, também não me serve!

Eduardo Mahon, Wilson Santos, Emanuel Pinheiro e Mauro Lara

Eduardo Mahon, Wilson Santos, Emanuel Pinheiro e Mauro Lara

Se a candidatura é para Prefeito, a comparação do programa e dos projetos do Procurador Mauro deve ser feita com os projetos e os programas que políticos como Wilson Santos, Mauro Mendes, etc, tem realizado em Cuiabá. Wilson privatizou a Sanecap, o Procurador fala em torna-la novamente estatal. Isso é mal?

Eduardo Mahon, em mais um texto marcado pelo seu reacionarismo servil, vem falar de Venezuela, na expectativa de despertar os demônios mais bestiais que se alimentam dos baixos instintos das pessoas. O texto, transformado em panfleto, já está sendo distribuido pela cidade, na expectativa de que afaste os cidadãos eleitores de Cuiabá desta e de todas as candidaturas da esquerda para a Prefeitura.

E, na verdade, candidaturas de esquerda só existem três, que são as candidaturas do Procurador Mauro, do juiz Julier e do historiador Renato Santana que, estranhamente, insiste em dizer que não é de esquera ou direita, como se pudesse haver neutralidade na luta de classes.
Mahon ataca a realidade da Venezuela mas não não fala do terrorismo estatal, cotidianamente imposto ao mundo pelo império “democrata” dos Estados Unidos. Claro que nas eleições municipais esse não deve ser o centro do debate.

Mas vejam que o fato é que o Mahon se espanta com a possibilidade da esquerda assumir o poder em Cuiabá, depois de anos e anos de administrações ruinosas da direita. E todos nós sabemos, ele não faz segredo disso: o Mahon tenta excomungar o Procurador Mauro para defender a volta de Wilson Santos ao poder, vejam só que despautério. Eu diria que o artigo do Mahon é como o Samba da Lorota em nova e abjeta versão.

A volta de Wilson Lorota Santos, não! A rejeição de 54% contra o candidato tucano, identificada pela pesquisa Ibope, mostra bem o conceito de que goza o cidadão Wilson Santos não nos nichos da esquerda, mas entre seus concidadãos cuiabanos.

Por mais que as máquinas do Governo do Estado e da Prefeitura se ponham a trabalhar para mudar essa rejeição, sabemos que o prazo é curto e o sentimento popular de repúdio ao Galinho é profundo.

Sentimento que, vejam só, bate também no coração e na mente do atual prefeito, o empresário Mauro Mendes que não admite, sob hipótese alguma, pisar no mesmo palanque que o candidato imposto pelo governador Zé Pedro Taques. São contradições como esta, histórias mal contadas como esse, que estão levando a candidatura de Wilson Santos para o buraco.

As candidaturas da direita estão ruindo e o povo está querendo experimentar um prefeito de esquerda. É um direito do povo. Acho que não adianta ameaçar. Acho que está tendencia tende a se cristalizar – e nos próximos dias veremos um Eduardo Mahon cada vez mais esperneador.

Ah, sim, falo aqui do candidato direitista do PSDB mas também não me serve o candidato golpista do PMDB, o deputado Emanuel Pinheiro, precocemente aposentado, mamador de uma aposentadoria indevida e que é processado por um dos casos mais espantosos que o Judiciário mato-grossense já viu, sob a acusação de distribuir joias falsas para pagar a dívida com um amigo que lhe emprestou dinheiro sem pedir garantias e sem falar em juros. Vejam só como Emanuel Pinheiro, à luz das acusações que lhe são feitas, trata os seus amigos!

 

LEIA, AGORA, O QUE EDUARDO MAHOU PUBLICOU
Procurador Mauro não! PSOL nunca!
Por Eduardo Mahon
Não voto no Procurador Mauro. Em hipótese alguma. Não em razão do próprio Mauro César Lara de Barros. Ele foi meu colega de faculdade. Estudamos 5 anos juntos e, desde cedo, professava a ideologia socialista, o que é muito natural no Direito da UFMT.
Trata-se de um homem sério, duro, íntegro, além de ter sido estudioso. Mas, lamentavelmente, o Muro de Berlim ainda não caiu para ele. Parece que o tempo não passou ou, se passou, ele não se deu conta e deixou de amadurecer.
O procurador Mauro vive atrelado numa ideologia que os brasileiros acabaram por vencer depois de longos 13 anos. Vencemos o PT. Vencemos o PSOL. Precisamos superá-los porque são desonestos com os próprios programas ideológicos – enquanto pregam o socialismo para o povão, lambuzam-se nas delícias capitalistas de restaurantes refinados e de jatos particulares.
O PSOL – partido do procurador Mauro – apoiou e apoia a trupe petista que tomou nosso país de assalto. O viés partidário a que os filiados estão jungidos prevê apoio ao bolivarianismo de Hugo Chávez e, agora, Nicolás Maduro. Apoiam o golpe militar na Venezuela, em Cuba, no Equador, na Bolívia, todos os países onde a democracia tropeça entre fardas e votos fraudados. O PSOL apoia movimentos incendiários, financiados pelo então lulopetismo, como o MST e o MSTS, verdadeiras quadrilhas que assaltam, matam, invadem, depredam, chantageiam.
É um dos partidos mais à esquerda do Brasil, isto é, pretendem a intervenção do Estado na economia de forma direta, reestatizando vários setores que funcionam com a livre competição, como transportes, comunicações e energia. Não dizem, entretanto, em que carro andam, onde moram, qual a marca do terno que usam. Não dizem que os filhos estudam nas melhores escolas particulares regionais e nacionais e tratam da saúde na rede particular. Ou seja, não vivem o que professam.
Há mais. o PSOL quer fundar “sociedade socialista”, conforme trata o art. 5o do Estatuto. Isso quer dizer que o Estado deve ter o controle dos meios de produção. Para os filiados do PSOL, é esse o objetivo político a ser perseguido.
Essa religião que se chama PSOL prevê o “dízimo” no art. 83 do Estatuto. Para eles, é preciso aparelhar o poder público com a maior quantidade de filiados possível para haver arrecadação. Isto porque, fizeram uma tabelinha de contribuição compulsória: “art. 83 – Os filiados ocupantes de cargos de confiança, assessores dos detentores de mandatos executivos, mesas legislativas e lideranças de Bancadas e de parlamentares, que não sejam funcionários públicos efetivos, deverão efetuar uma contribuição financeira mensal, conforme tabela abaixo: I – de zero a 3 (três) salários mínimos, no valor correspondente à aquisição da Carteira Nacional de Militante, estipulado pela Secretaria Nacional de Finanças; II – acima de 3 (três) e até 6 (seis) salários mínimos, no valor correspondente a 1% (um por cento) do salário líquido mensal do filiado; III – acima de 6 (seis) salários mínimos, no valor correspondente a 2% (dois por cento) do salário líquido mensal do filiado”.
O PSOL ainda acredita que o impeachment foi um golpe. Votaram a favor de Dilma Rousseff e a trupe petista que sugou o Brasil até o osso. Participou ativamente do governo que nos trouxe 12 milhões de desempregados, uma retração inédita de 10% do PIB em dois anos e uma inadimplência nacional de 60 milhões de brasileiros em apuros.
As irresponsabilidades populistas de esquerda levaram a Venezuela a conviver com uma pseudodemocracia onde falta até papel higiênico, o controle da internet e dos meios de comunicação em Cuba e o incentivo à produção de cocaína na Bolívia.
Não posso compactuar com o que o Poder Judiciário já condenou como a maior quadrilha já organizada em tempos republicanos, ainda que reconheça a lisura pessoal do meu ex-colega Procurador Mauro César. É que ele não governa sozinho. Ninguém governa sem base política sustentável, com base numa militância xiita.
O PSOL não tem sequer um único vereador na cidade. Com quem um prefeito do PSOL há de se juntar? Cuiabá não merece um programa estatizante, intervencionista, retrógrado e demagógico justamente depois do ocaso petista tão oneroso ao país.
Acredito na livre iniciativa. Acredito na competitividade. Acredito na economia de mercado. Acredito em Deus, na família e, sim, eu creio na propriedade privada. Nem por isso, sou um “porco fascista”, nem simpatizante do militarismo, nem tampouco conservador. Importante pontuar que acho válida a política de quotas, a proteção às minorias, os métodos contraceptivos, a definição de família em sentido amplo.
O Estado precisa sim modular a competição desenfreada, a propriedade inescrupulosa, a especulação criminosa. Mas não desapropriando, não violentando, não desprezando direitos individuais consolidados. A mediação, a capacidade democrática de congregar pessoas diferentes, não convive com a “sociedade socialista” do PSOL.
Ditadura do proletariado está não só fora de moda, como incompatível com a realidade de um país democrático. Cuiabá não merece ser laboratório socialista a um político que aparece de dois em dois anos, disposto a concorrer para qualquer cargo, desde que tenha poder.
É disso que estamos falando: poder. E nisso, posso garantir, o Procurador Mauro é igual a todos os políticos.

Eduardo Mahon é advogado em Cuiabá (MT)

12 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 177.125.28.199 - Responder

    Enock, não gaste vela com difunto ruim

  2. - IP 191.187.106.39 - Responder

    Patético o artigo, quadrilha tem no STF, que violentam a Carta Cidadã. Punição tem que ser para todos e não somente para um partido político. Morei em Cuiabá 18 anos e não vi nenhuma mudança significativa. Quem sabe com Procurador Maura, haja mudança. Não podemos perder as esperanças.

  3. - IP 191.187.106.39 - Responder

    Procurador Mauro

  4. - IP 177.132.246.228 - Responder

    Enock,vce é que dá guarita para esse advogado midiático,quando ele defende indiretamente em artigos contra o MP e o Moro, os procedimentos contra membros da sua facção partidária..Vá catar coquinho Enock!

  5. - IP 179.216.217.46 - Responder

    Quem mandou o PT ficar tão desmoralizado.

    Agora aos petistas só resta torcer para o Brasil dar certo porque antes, com os petralhas, era impossível alguma coisa dar certo.

    Quer uma prova?

    É só olhar para o que fizeram Cuba e com a Venezuela.

  6. - IP 177.4.189.130 - Responder

    Esse Mahon gosta de aparecer, ele precisa explicar umas “verbas” desaparecidas da AML, meu IP está acima Mahon, não precisa espernear pedindo ordem judicial, vc foi o pior Presidente da AML…

  7. - IP 189.72.141.20 - Responder

    O Comitê da Maldade abriu a caixa de ferramentas para atacar o Procurador Mauro. Quer reverter a rejeição a WS apontada em todas as pesquisas eleitorais. Saravá!

  8. - IP 179.216.211.145 - Responder

    O que condena esse procurador Mauro é ele ser do PSOL um partido que é um satélite do odioso pt .

  9. - IP 191.222.98.155 - Responder

    Mahon é um cara esperto.
    Ele se diz contra agora, mas quando o Procurador Mauro assumir e espantar toda uma classe de aspones e sanguessugas que lá existem, irão aparecer muitos clientes para o Mahon.
    Ele está pensando lá na frente, já contando com a vitória do Mauro.
    Ele é e$perto.
    O cara é, de fato, um enxadrista.
    Um Maquiavel contemporâneo.

  10. - IP 191.179.136.46 - Responder

    Esse velhaco ws além de não ter nada de novo a oferecer, nem mentiras novas, o povão gosta de ser enganado, é fato, usa sua propaganda pra falar de outros candidatos, é muito burro mesmo..tá mais perdido que cego em tiroteio.

  11. - IP 178.62.93.181 - Responder

    Quando um sujeito qualquer, seja quem for, coloca Deus, Família, Cuba e Venezuela em qualquer debate político, ainda mais em uma eleição municipal, já me dá preguiça e eu nem continuo a ler. Demagogia pura, argumentos rasos como um pires. Tipo Meme de Whats app. Haja paciência.

  12. - IP 187.7.193.181 - Responder

    Alguém aí… ofereça um cafezinho para o ilustrado advogado… adoçado com algumas gotinhas de rivotril… Relaxa, excelência…

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

2 × 4 =