gonçalves cordeiro

ECONOMISTA VICENTE VUOLO: Qual será o futuro de Mato Grosso após as eleições deste ano?Repetem-se os pré-candidatos, ao não propor absolutamente nada para resolver as questões mais críticas do Estado, relacionadas a saúde, educação, violência, infraestrutura, pobreza, trabalho escravo e infantil.

Vicente Vuolo, economista, é filho de Vicente Emílio Vuolo, senador da República, já falecido

Vicente Vuolo, economista, é filho de Vicente Emílio Vuolo, senador da República, já falecido

Sem propostas

por VICENTE VUOLO

Qual será o futuro de Mato Grosso após as eleições deste ano? Teremos um Estado menos desigual? Ou continuaremos a conviver com uma sociedade onde os ricos continuam cada vez mais ricos e os pobres cada vez mais pobres? Qual é a proposta dos “nossos” futuros governantes?
Se depender das declarações apresentadas até agora, prevalecerá a política do imediatismo, o consumismo, o prazer fácil e o levar vantagem em tudo. Porque os discursos se restringem a traçar apenas um panorama da realidade. Apontar os problemas existentes. Ou seja, repetem-se os pré-candidatos, ao não propor absolutamente nada para resolver as questões mais críticas do Estado, relacionadas a saúde, educação, violência, infraestrutura, pobreza, trabalho escravo e infantil,.etc.
É possível encontrar muitas vezes, nessas manifestações de candidatos, diagnósticos bem elaborados e afirmações verídicas. Mas, sem propostas. Ou seja, os problemas são levantados sem que se aponte a solução.
Cobra-se dos políticos, do Estado e dos outros somente. Mas, será que a mudança positiva não deve começar com cada um de nós? É claro que sim. É preciso repensar esse automatismo comportamental e refletir sobre a nossa responsabilidade na sociedade. Cada um de nós forma um homem cidadão. Um ser ativo, dinâmico, coparticipante do processo social e político, num contínuo trabalho de leitura da realidade e de tomada de decisões.
Por isso, não basta reclamar dos problemas sociais e nada fazer. É preciso incentivar as pessoas a praticar, de alguma forma, a intolerância e indignação às práticas generalizadas de ilícitos, crimes e corrupção na sociedade.
Cobrar das autoridades envolvidas e daqueles que pretendem chegar ao poder, alternativas concretas para a solução dos problemas. Qual será o compromisso? Como fazer? Em que prazo? Tem ou não tem proposta?
Perguntar, por exemplo, se irá incentivar a meritocracia no serviço público. Mérito é premiar com promoção e aumento de salário os professores que formam mais alunos capazes de atingir boa colocação em disputas acadêmicas.
Convencer os pais de que eles são parte da escola. Nada melhora mais o desempenho escolar do que o envolvimento dos pais no processo educacional.
Se será prioridade dobrar o saneamento básico nos próximos anos. Poucos municípios mato-grossenses são ligados à rede de esgotos. Deste, poucos recebem tratamento. O restante é despejado diretamente em rios, córregos e lagos. O nosso Estado é africano nessa área.
Discutir a criação de um teto para os Gastos Públicos. De todos os agentes econômicos, quem gasta pior é justamente aquele que não produz nenhuma riqueza: o governo. Em Mato Grosso, os gastos do Governo Estadual crescem sem um limite. O aumento real do gasto público deveria ser limitado por Emenda Constitucional ao teto de no máximo 1% ao ano.
Indagar se profissionalizar a gestão pública, constará na pauta, mudando a palavra “burocracia” como sendo um estamento dedicado à organização ágil e racional. Como a orientação de resultados, a flexibilidade e a recompensa do mérito.
Como inserir os pobres no mercado de trabalho, transformando-os num trabalhador capaz de prover as próprias necessidades. Dar-lhes qualificação profissional a quem nunca teve, ou criar programas de microcrédito, que transformam excluídos em pequenos empreendedores. É uma cura real da pobreza.
Enfim, provocar todo tipo de debate. Promover a discussão de temas relevantes. Não podemos mais, nos contentar em ficar mais preocupados com o futebol, com a Copa do Mundo, do que com os serviços deficientes de saúde, educação, transporte publico e segurança. Precisamos mais do que respostas de feito.
Exija proposta!

Vicente Vuolo é economista (UnB), ex-vereador em Cuiabá e analistat legislativo no Senado Federal.
E-MAIL: vicente.vuolo10@gmail.com

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

quatro − um =

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.