VEREADOR ALLAN KARDEC: “Cuiabá é a única Capital do Brasil que não adotou o Programa Mais Médicos. Por que não fez isso? É questão ideológica, é uma questão política, qual é o motivo, se a gente está sofrendo e o nosso povo está morrendo?! Separada a distância ideológica que temos como prefeito, defendo uma solução paliativa para essa cidade. Retirando da atenção básica os médicos que estão em meio período e trazendo para a urgência e emergência e levando os médicos cubanos, argentinos, brasileiros e de outros locais para atenção básica, pelo menos 20 médicos. Precisamos adotar esse pacto da saúde”

 

 O vereador do PT estranha o fato do prefeito Mauro Mendes não ter engajado a prefeito de Cuiabá no Programa Mais Médicos, do Ministério da Saúde. Ele propõe um pacto pela saúde, com os petistas auxiliando o prefeito do PSB a conseguir recursos em Brasília que garantam melhor atendimento à saude dos cuiabanos


O vereador do PT estranha o fato do prefeito Mauro Mendes não ter engajado a prefeito de Cuiabá no Programa Mais Médicos, do Ministério da Saúde. Ele propõe um pacto pela saúde, com os petistas auxiliando o prefeito do PSB a conseguir recursos em Brasília que garantam melhor atendimento à saúde e dignidade para os cuiabanos

 

A precária saúde pública de Cuiabá foi a principal pauta debatida na Câmara Municipal da Capital nesta quinta-feira (15). O vereador Allan Kardec (PT) fez algumas observações e cobranças ao Executivo Municipal destacando que a bancada petista na Casa está pronta para ajudar em busca de soluções urgentes para melhorias no setor. E, para isso, vai acionar o deputado federal Ságuas Moraes (PT) em Brasília para ajudar nas discussões.

“Cuiabá é a única Capital do Brasil que não adotou o Programa Mais Médico. Por que não fez isso? É questão ideológica, é uma questão política, qual é o motivo, se a gente está sofrendo e o nosso povo está morrendo. Vamos parar com isso. Em todas as pautas positivas que essa Casa adotar pode contar com a bancada petista”, destacou Allan.

É consenso entre os vereadores cuiabanos que a saúde em Cuiabá só piora a cada dia agravada pela falta de medicamentos, insumos básicos nas policlínicas, UPA Morada do Ouro, e Pronto-Socorro Municipal e ainda a falta de médicos. “O Werley Peres, atual secretário municipal, é um servidor público de carreira da área da saúde e também não está dando certo. A impressão que se tem é que piorou”, disse Allan Kardec, opinião compartilhada, inclusive, por vereadores da base governista como Oséas Machado e Lueci Ramos que também fizeram fala sobre o assunto.

Kardec ressaltou que muitas vezes quando se faz a discussão de saúde e educação parece que tudo é culpa da Copa do Mundo, como se os recursos destinados para a Copa fossem retirados da saúde e da educação. “Vamos analisar isso com maior profundidade, porque os recursos da saúde foram ampliados. O SOS Emergência mais que dobrou o dinheiro vem direto do Ministério da Saúde para a Secretaria Municipal de saúde e o seu gestor é solidário igual ao prefeito, ele é o ordenador de despesas. Nós precisamos avançar e rápido em busca de algumas soluções”, enfatizou o vereador petista.

Ele destacou que é preciso encontrar uma solução mesmo que paliativa. “Separada a distância ideológica que nós temos como prefeito, eu no caso, defendo uma solução paliativa para essa cidade. Retirando da atenção básica os médicos que estão em meio período e trazendo para a urgência e emergência e levando os médicos cubanos, argentinos, brasileiros e de outros locais para atenção básica, pelo menos 20 médicos. Precisamos adotar esse pacto da saúde”, observou Allan.

Ao lado do colega de bancada, Cido Mendonça, Allan se comprometeu em conseguir um espaço com deputado federal Ságuas Moraes em Brasília para ajudar a saúde municipal de Cuiabá e receber uma comissão de vereadores da Capital para discutir os repasses do Governo Federal para Cuiabá. “Precisamos verificar se estão atrasados de fato e o por que. E que os nossos parlamentares tenham a consciência de nos ajudar aqui. Todos eles, inclusive, o candidato a governador que não colocou um centavo para a construção do Pronto-Socorro, nenhum centavo. É hora de fazer esse pacto, de todos nós abraçarmos e definirmos essa situação”, lembrou o vereador.

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

dezessete + 13 =