gonçalves cordeiro

TROCA DE ACUSAÇÕES: Tabelião de Sto Antonio manda prender advogado que o acusa de forjar flagrante

Advogado Pérsio Landim com o presidente do Tribunal de Defesa das Prerrogativas do OAB, advogado André Stumpf

O advogado Pérsio de Oliveira Landim, presidente da subseção da OAB em Diamantino foi detido na tarde desta sexta-feira pelo delegado Fernando Fleury. na Delegacia de Santo Antonio do Leverger(35 kms da capital). O advogado é acusado pelo titular do Cartório de Leverger, o sr. Felix Alvares Gerônimo, do crime de extorsão. Acontece que o dono do cartório também chegou a ser detido, já que foi acusado pelo advogado Pérsio de ter forjado o flagrante para tentar incriminá-lo e escapar da acusação que sofre de ter ajudado a forjar escritura falsa que foi usada na Comarca de Sinop para arrestar bens de um produtor rural, que é defendido pelo advogado, bens esses avaliados em mais de 400 milhões de reais.

Para tentar esclarecer esta guerra de acusações, também estiveram em Leverger o presidente da OAB-MT, Leonardo Campos e o titular do Tribunal de Defesa das Prerrogativas da OAB, André Stumpf Gonçalves. A OAB deve ingressar com habeas corpus no Tribunal de Justiça para garantir a liberdade de Persio Landim.
O advogado Pérsio Landim contou aos representantes da OAB que, após a fraude com a escritura, o produtor rural entrou na Justiça e obteve liminar para suspender os efeitos da escritura publica e o Juiz deferiu uma tutela liminar para suspender os atos do cartório, tendo em vista que a escritura teria sido supostamente lavrada no cartório comandado por Félix Gerônimo mesmo dia en que o produtor rural estava internado em um Hospital, não tendo como comparecer no cartório.

Após tudo, o tabelião Felix marcou encontro hoje 20/01/2017 com o advogado dizendo estar disposto a resolver a disputa. Todavia o advogado saiu preso, acusado de extorsão. De acordo com o que relatou Felix Gerônimo, Pérsio Landim o teria tentado extorquir.

 

O advogado Pérsio Landim com o atual presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Rui Ramos

1 Comentário

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 200.96.182.124 - Responder

    Enocke, como assim o tabelião “mandou prender”? Se prendeu, foi porque o delegado viu/ouviu algo, não? O que seria? E o advogado foi “detido” ou foi “preso”? Se foi só detido, e não preso, por que vão ter de impetrar um HC no Tribunal?
    E, por último: se teve um flagrante, provavelmente é porque teve um áudio gravado..Cadê esse áudio? O que o advogado disse que levou à sua prisão? …Já já o áudio aparece e vamos ver o que o advogado queria…O estranho é o advogado querer se reunir lá em Sto. Antônio com alguém que vinha acusando de ser falsificador…

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

1 + catorze =