TEU NOME É CALAMIDADE: Mauro Mendes fecha delegacias da Polícia em 21 cidades e um distrito

Mauro e Pivetta

Mauro Mendes fecha delegacias da Polícia Civil em 21 cidades e um distrito

POR EDUARDO GOMES, no www.boamidia.com.br

Sem Polícia Civil. Essa será a situação de 21 cidades mato-grossenses e de um distrito de Cuiabá, a partir da segunda-feira, primeiro de março. A decisão é do governador democrata Mauro Mendes. A justificativa:enxugamento da máquina pública. O mecanismo para o fechamento das delegacias está pronto. A decisão será anunciada em coletiva por Mauro, na véspera do carnaval, que é considerado pelo Palácio Paiaguás como o período ideal para tanto.

A tecla é a mesma: não há recursos financeiros e a única saída, o enxugamento. Sob esse argumento Mauro revelará sua decisão a Mato Grosso. A informação é de uma alta fonte da Secretaria de Segurança Pública, que acompanhou a tramitação dos procedimentos internos para a definição dos municípios que serão atingidos. Os estudos foram presididos pelo delegado geral da Polícia Civil, Mário Demerval Aravéchia de Resende com supervisão do secretário de Segurança Pública, Alexandre Bustamante.

A mesma fonte acrescenta que no final da semana passada o governador reuniu-se com diretores dos principais veículos de Comunicação e pediu que todos afinem o discurso no noticiário, de modo a não levantar a opinião pública contra sua decisão. Governador e empresários do segmento teriam batido o martelo, o caso será tratado com naturalidade e analistas políticos dessas empresas, juntamente com formadores de opinião, participarão de uma verdadeira avalanche em defesa da retirada da Polícia Civil das 21 cidades e do distrito.

O estudo para o fechamento revela que 104 mil mato-grossenses passarão a viver em municípios sem Polícia Civil. Essa população corresponde ao número de habitantes de Tangará da Serra, o quinto município mais populoso de Mato Grosso..

Sem Polícia Civil a segurança nas cidades atingidas será feita exclusivamente pela Polícia Militar, que não tem prerrogativa de Polícia Judiciária. Todo cidadão preso nessas localidades terá que ser encaminhado para uma delegacia de outra cidade, naquela comarca. Com isso surgirá o chamado turismo carcerário.

A estrutura da frota policial da Polícia Militar é acanhada e o combustível que a abastece é bem limitado. O número de ocorrências definirá a quilometragem mensal de cada unidade da PM em tais municípios.

O facão não exclui nem mesmo cidades na faixa de fronteira, onde o crime transnacional tem forte presença. Pela medida, na região serão atingidas as cidades de Glória D’Oeste e Nova Lacerda, à margem da BR-174 que liga Mato Grosso a Rondônia e Acre.

SUGESTÃO – Um assessor de Mauro teria sugerido que em alguns casos a condução de preso para a delegacia mais próxima seja feita – sempre que possível – por ambulâncias que transportam pacientes para Cuiabá e hospitais regionais. O assessor teria tomado Acorizal como exemplo. A delegacia daquela cidade será riscada do mapa. Sua população atendida pelo Sistema Único de Saúde (SUS) é encaminhada para a Santa Casa de Misericórdia e o Pronto Socorro de Cuiabá. A distância entre as duas cidades é curta: 60 quilômetros, por rodovia pavimentada. O trânsito de ambulâncias é intenso no trajeto e, elas, poderiam transportar pacientes ao lado de presos, desde que devidamente algemados e com a presença de um PM a bordo. O governador teria descartado a sugestão temendo noticiário nacional, que poderia ser altamente desgastante para seu governo e até mesmo criar implicações judiciais.

FECHAMENTO – Nossa Senhora da Guia, no município de Cuiabá, é o único distrito na lista do fechamento de delegacias. Serão atingidas 21 cidades: Acorizal, Carlinda, Glória D’Oeste, Araguainha, Nova Santa Helena, Novo Mundo, Castanheira, Nova Marilândia, Alto Boa Vista, Santo Afonso, Nova Lacerda, Santo Antônio do Leste, São José do Povo, Ponte Branca, União do Sul, Luciara, Canabrava do Norte, Santa Cruz do Xingu, Novo Santo Antônio, Jangada, Araguaiana e Nossa Senhora do Livramento.

Nenhum município atingido é sede de comarca. Mas o encolhimento da Polícia Civil em algumas cidades aumenta o vácuo daquela instituição em áreas já carentes de segurança. Ao sair dos municípios contíguos de Novo Santo Antônio, Alto Boa Vista e Luciara, o vácuo de polícia judiciária será a marca registrada de uma região que se estende também por Serra Nova Dourada e Bom Jesus do Araguaia, onde a mesma já não se faz presente.

O levantamento que leva ao fechamento das delegacias foi anunciado discretamente em 8 deste fevereiro, numa entrevista de Mário Demerval à TV Centro América, mas a Secretaria de Segurança Pública não toca no caso.

Eduardo Gomes – boamidia

1 Comentário

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 177.6.238.30 - Responder

    Infelizmente, esse governador está mancomunado com o Bozo. Toda a política neoliberal praticada pelo governo federal e a grande balela de que o Estado de Mato Grosso está quebrado será desculpa para o Mauro Mendes fazer cortes financeiros em áreas fins como; Educação, Saúde e Segurança Pública. Neste momento fecha-se delegacias, depois pode ser escolas, hospitais etc.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

dois × cinco =