Campanha favorece Mauro. Mas nesta terça tem debate


Meus amigos, meus inimigos: na próxima terça-feira, por iniciativa dos acadêmicos de jornalismo do Centro Universitário Cândido Rondon (Unirondon) acontece o primeiro debate entre os candidatos a prefeitos de Cuiabá. Será a partir das 19 horas, na Unirondon.

Será que teremos, finalmente, confronto político nesta campanha?

A atual disputa eleitoral, em Cuiabá, favorece ao candidato Mauro Mendes. E não é porque ele tem muito dinheiro, não. É porque ele tem muito tempo de janela – vem sendo candidato há um bom o tempo e grande parte do eleitorado o adotou, como um homem que merece uma chance. É a escolha que o público faz por uma espécie de reflexo condicionado: o Mauro aparece há tanto tempo como candidato que acaba virando uma espécie de coca-cola, é só ele que aparece mais fortemente na cabeça do aturdido cidadão/eleitor que, como sabemos, geralmente não dá muita atenção para essa coisa de política e de políticos.

O Mauro está na frente e seus adversários parece que não encontraram um jeito eficiente de abalar seu prestígio junto à maioria do povo. Para tirar Mauro de dentro da cabeça do eleitor, seria preciso desconstruir fortemente a sua imagem. Maluf, Lúdio e Brito ficam se queixando do Mauro, tentando sugerir que o Mauro é rico, que o Mauro é prepotente e insistindo na tese, já várias desmentida pelo empresário, de que ele vai deixar a prefeitura para disputar o governo do Estado, em 2014. Acho que isso não basta. Isso acaba ate mesmo fortalecendo a imagem do cara do PSB.

O procurador Mauro e o candidato do PPL já entram abatidos pela síndrome do partido nanico – e está dificil, para eles, conquistarem o coração dos eleitores, daquela grande massa das periferias que vai decidir a eleição. Pouco tempo, pequena estrutura partidária, baixo acumulo político – são essas coisas que inviabilizam o PSOL e o PPL.

A campanha, em Cuiabá, está pobre, portanto, politicamente. A disputa está despolitizada. Ninguém bate nas contradições da campanha de Mauro Mendes. Por exemplo, ninguém fala da contradição  que é o encontro, no palanque, de Pedro Taques e Maggi, o primeiro que sugeria, na campanha de 2010, que o segundo podia estar por trás do Escândalo dos Maquinários. Ou seja, esse aval pro Mauro Mendes é uma farsa mas como é que Lúdio vai falar essas coisas arrastando atrás de si o peso do PMDB, do governo Silval, dos escandalos sem fim da Secopa, das cartas de crédito, da propina do VLT? Peddro Taques pode ser incoerente tranquilamente em meio a uma cena política em que a incoerencia é prática de todo o dia.

Como é que Carlos Brito vai falar qualquer coisa contra o Mauro arrastando atrás de si o peso do partido de Geraldo Riva, o cacique super-processado e super-conhecido da Assembléia Legislativa de Mato Grosso? Fica difícil, o Carlos Brito vacila, prefere tentar lembrar que já foi um combatente do movimento comunitário. Mas isso faz muito tempo. Assim que ascendeu ao poder, Carlos Brito tratou de se mudar do Parque Cuiabá e deu as costas ao movimento comunitário.

Guilherme Maluf pode falar o que, arrastando atrás de si o desgoverno de Wilson Santos e o fato escabroso de ter conseguido ser demitido pelo Wilson Santos que ainda se deu ao desplante de sair falando cobras e lagartos da atuação de Guilherme Maluf à frente da Secretaria de Saúde? Para saber o tamanho do desencontro entre Maluf e o PSDB velho de guerra, basta atentar para atual posição do candidato a vereador Luis Soares que se recusa a subir no mesmo palanque de Maluf. (Veja só: Luis Soares tenta se mostrar coerente com relação a Maluf, mas ao mesmo tempo caiu no colo da familia Campos, e certamente não é o político mais autorizado para falar de coerencia nesta campanha.)

Enfim, falta política e falar de política é sempre doloroso. Tem que ter coragem para fazer sangrar e extirpar certos tumores. Tem que ter coragem para mostrar que a prática é o critério da verdade, desde que Socrates conversava com seus alunos caminhando pelas ruas de Atenas.

Em meio ao silêncio sepulcral desta campanha, Lúdio tenta virar personagem de novela e fazer chorar a platéia, repetindo e repetindo a história de que foi um pobre do interior que ousou virar médico em Cuiabá. E Mauro Mendes segue na dianteira porque ele também tem sua novela para contar. E se o negocio é enredo de novela, Lúdio pode ter virado médico, mas Mauro virou um super-empresário de sucesso, o que costuma fascinar muito mais nossas platéias suburbunas que adora fazer da Capricho sua leitura de todo dia.

Na próxima terça-feira, por iniciativa dos acadêmicos de jornalismo do Centro Universitário Cândido Rondon (Unirondon) acontece o primeiro debate entre os candidatos a prefeitos de Cuiabá. Será a partir das 19 horas, na Unirondon.

Será que teremos, finalmente, algum confronto político sério nesta campanha?

Espero que sim. Ou os adversários melhoram sua performance ou a gente tem que reconhecer que, agora que está tentando pela terceira vez vencer uma eleição, Mauro Mendes tem tudo para conseguir seu objetivo. Afinal de contas, todos os candidatos que estão ai se parecem, até mesmo o procurador Mauro que acabou ficando com a cara de quem é candidato de si mesmo e não consegue construir um partido em torno de suas propostas.

Mas não há porque desanimar. Vamos em frente, Cuiabá. Pior seria se não fizessemos mais essa tentativa. Pior seria se não tívessemos uma democracia – ainda em esboço – para construir. (EC)

Categorias:Jogo do Poder

3 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 200.103.90.250 - Responder

    Já tinha escutado que a Serys estava nas bastidores apoiando Mauro Mendes,mas agora você Enock?! Com todo o poderio econômico,tempo de exposição na mídia, acho que o Mauro perde de novo, pela arrogância insuportável.

  2. - IP 201.49.165.95 - Responder

    Mauro, ´não perde , arrogancia e do lado de VG, madame querendo se dar bem, nunca trabalho .

  3. - IP 201.86.178.115 - Responder

    Tenho quase a certeza de que pela primeira vez na minha vida, vou anular meu voto.Nenhum desses candidatos aí consegue me inspirar!

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

14 − 11 =