SUIÇALÃO: Aparecem os primeiros tucanos gordos!

Fernando Henrique, ex-presidente da República, líder maior do tucanato no Brasil

Fernando Henrique, ex-presidente da República, líder maior do tucanato no Brasil

Suiçalão: aparecem os primeiros tucanos gordos!

icij2


Os internautas acharam um nome genial para popularizar o escândalo de lavagem de dinheiro e sonegação fiscal de 8,6 mil contas associadas ao Brasil achadas no HSBC da Suíça. E que agora usarei genericamente para os escândalos de evasão fiscal vazados ou descobertos através do Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ).

Suiçalão!

Quem sabe se, com esse nome atraente ao público, o UOL não divulga os nomes que estão sendo mantidos em segredo, à diferença do que vem acontecendo no resto do mundo, onde as listas dos beneficiários estão vazando?

Os brasileiros tinham aproximadamente R$ 20 bilhões em contas no HSBC da Suíça. Enquanto a mídia não se interessa, a blogosfera está aprendendo a trilhar os caminhos apontados pelos bancos de dados do ICIJ.

Por exemplo, há um escândalo revelado pelo ICIJ, anterior ao vazamento do HSBC, que também passou batido por nossa mídia.

É o escândalo das contas off shore. Um vazamento revelou a existência de milhares de contas secretas em paraísos fiscais das Ilhas Virgens Britânicas, Cingapura e Ilhas Cook.

(Houve uma certa confusão entre os dois escândalos: um são as contas off shore, de 2013; outro é o HSBC, mais recente. Nesse post, a diferença vem explicada, mas eu chamo ambos de “suiçalão”, assim como nossa mídia passou a chamar, durante um tempo, tudo de “mensalão”).

Cerca de 50 nomes de brasileiros com contas em off shores apareceram, conforme se pode ver neste link.

Não se trata especificamente do caso HSBC, mas é sonegação do mesmo jeito. Na verdade, é um caso ainda pior.

Os documentos das contas secretas off shore são públicos desde 2013, mas a nossa mídia nunca se interessou em investigar o caso.

É parecido com o que faz hoje, em que parece mais preocupada em esconder do que em revelar a participação do Brasil num dos maiores escândalos de lavagem de dinheiro e sonegação do mundo.

A divulgação dos nomes de brasileiros envolvidos no Suiçalão ajudaria o Brasil a fazer uma campanha contra a sonegação, o maior problema nacional; bem maior, em escala, do que a corrupção.

Fernando Rodrigues, do UOL, disse que só iria divulgar os nomes do escândalo do HSBC, ou Suiçalão, que apresentassem “interesse público”.

Pois bem, o blog Megacidadania encontrou um nome que apresenta “interesse público”.

Saul Sabbá.

O dono do banco Máxima, Saul Sabbá está no banco de dados do site Off Shore Leaks, de responsabilidade do ICIJ. A sua conta secreta está ligada à offshore Maximizer International Bank S.A.

Máxima, Maximizer, sacou?

O banco de dados do Off Shore Leaks mostra o Maximizer, por sua vez, ligado a vários outros nomes.

ScreenHunter_5521 Feb. 18 17.14


Entre os nomes, surge o escritório Zalcberg Advogados Associados, cujo sócio Chaim Zalcberg, que também está no mapa do Offshore Leaks, já foi preso pela Polícia Federal, em 2012, na Operação Babilônia, suspeito de evasão de divisas e lavagem de dinheiro.

Zalcberg seria o cabeça da quadrilha, segundo a PF. Ele esteve envolvido também nas tretas do Banestado, um daqueles escândalos tucanos que nunca deram em nada, e que, coincidentemente foi julgado pelo mesmo Sergio Moro que hoje pontifica como ditador da República do Paraná.

Outra figura central no Banestado – um escândalo de corrupção que resultou em prejuízo de dezenas de bilhões para o erário – foi o doleiro Alberto Youssef, o atual heroi da Lava Jato e da mídia. Youssef foi preso, algum tempo depois, por sua participação nos crimes do caso Banestado, mas solto logo em seguida, quando aceitou fazer uma delação premiada onde entregou bagrinhos e livrou os peixões.

Pena que a mídia não dá ibope para esses casos, talvez porque ela mesmo seja uma grande sonegadora.

Voltemos a Saul Sabbá, o dono do banco Máxima.

Sabbá é um daqueles empresários que engordaram na privataria tucana. O seu banco deu consultoria para FHC na privatização da Vale e da CSN.

Agora só falta sabermos quantos milhões de dólares exatamente Sabbá e seus colegas do Maximizer, todos “brasileiros honestos”, guardavam em suas contas secretas em paraísos fiscais.

E, claro, falta sabermos a participação do Brasil no escândalo do Swiss Leaks, ou Suiçalão.

Segundo o ICIJ, o Brasil é o nono país com mais dinheiro no HSBC da Suíça e o quarto, em número de clientes.

Há uma conta associada ao Brasil com mais de US$ 302 milhões. Sabe-se, pelo próprio ICIJ, que Edmond Safra, do Banco Safra, e a família Steinbruch, donos da Vicunha e da CSN, são alguns dos nomes envolvidos no escândalo do HSBC.

O Banco Safra foi o banco usado pela Globo para comprar os dólares que enviaria às Ilhas Virgens Britânicas, quando se envolveu naquela “engenhosa operação” para adquirir os direitos de transmissão da Copa de 2002 sem pagar os devidos impostos.

Aliás, por falar em privataria, um internauta hoje (@Politica_Santos) nos brindou com uma deliciosa recordação: um artigo de Eliane Cantanhêde sobre a Petrobrás, de 1999.

Era o tempo em que os jornais falavam sobre a privatização das principais estatais com incrível naturalidade.

Cantanhede faz uma revelação bombástica no artigo: “Para ficar ainda mais claro: o que resta de equipe econômica está de olho gordo sobre a Petrobrás (“joia da coroa”), o Banco do Brasil e até a Caixa Econômica Federal.

Esses são os “brasileiros honestos” que pretendem privatizar a Petrobrás, para livrá-la do demônio petralha…

B9-W8klIYAAp6Nn


 

 

Categorias:Direito e Torto

7 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 177.221.96.140 - Responder

    Olhem só os petralhas no desespero de tentar provar que o mundo é rigorosamente corrupto como eles.

  2. - IP 179.179.94.193 - Responder

    Enock cada vez mais ridículo,nenhum banco presta consultoria diretamente para um presidente da republica,o que este blogueiro quer é tentar igualar por baixo os muito diferentes.Procura pêlo em ôvo,mas não consegue explicar as consultorias milionárias da JD (jose Dirceu) às empresas que desviaram o $ do petrólão.FAZ UM SILÊNCIO ENSURDECEDOR!

  3. - IP 201.140.240.66 - Responder

    Não fiquem “brabosinhos”, tem algum Neves aí?

  4. - IP 200.101.25.147 - Responder

    Olha que coisa mais chinfrim; o pt e seus medonhos defensores com a velha conversa de beira de brejo que canta: “Todo mundo é corrupto ” .
    Depois vem aquela outra lorota : “Nós tiramos não sei quantos milhões da me%#@da”
    Ou aquela outra mentira “Nós acabamos com a miséria”.
    A propósito se qualquer petralha quiser eu levo eles pessoalmente à “casa”de uns dez abaixo da linha da pobreza , aqui mesmo em Cuiabá.

  5. - IP 187.7.247.116 - Responder

    A Direita se enrola toda quando flagrada com a mão na massa.

  6. - IP 187.7.247.116 - Responder

    Certo está Maduro, chega uma hora que é preciso lançar mão dos instrumentos constitucionais de defesa da ordem pública.

  7. - IP 177.7.119.196 - Responder

    FHC, em recente consulta na forma de pesquisa popular, é considerado o pior presidente da história da República do Brasil. Seu governo foi um balcão de negócios. Serjão vendeu tudo a preço de banana e o dinheiro das privatizações sumiu. Grande parte dessa fortuna está escondida na Suíça em contas secretas controladas pelo HSBC. Segundo as investigações promovidas pelo Ministério Público da Suiça, mas de 6 mil brasileiros escondem seu dinheiro de origem duvidosa naquele banco. O nome do assessor de FHC consta da relação. FHC nunca investigou ninguém e comprou a modificação da Constituição que autorizou sua reeleição. Mas para a Direita isso é normal e ético. Enfim, esses bostas não têm autoridade nenhuma para ensinar nada ao PT. São súditos emporcalhados de FHC, além de desavergonhados. Se tivessem vergonha na cara não se manifestariam do modo como se manifestam nesta Paginadoe.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

11 − dois =