SUELME BIELA – Com sua imagem de bom moço e fala mansa, Lúdio chegou a me convencer que seria um político diferente. Mas infelizmente tenho acumulado sucessivas decepções com suas atitudes. Pra completar Lúdio nomeou como seu alcaide-mor um dos mais nefastos abutres da política local, Éder Moraes

Suelme Biela, secretário geral do PSB, dispara sua metralhadora giratória contra Lúdio Cabral.

A história de um homem se encerra no seu último ato
*Suelme Biella

Lúdio Cabral foi meu contemporâneo da UFMT, nas lutas estudantis. Ele era do Centro Acadêmico (CA) de Medicina e eu do CA de História. Participamos de muitas mobilizações juntos; eu ligado ao PCdoB e ele com o velho PT.

Com sua imagem de bom moço e fala mansa, Lúdio chegou a me convencer que seria um político diferente. Mas infelizmente tenho acumulado sucessivas decepções com suas atitudes.

A primeira escorregada de Lúdio começou em 2009 quando na votação da cassação do maior ficha suja da Câmara Municipal, Lutero Ponce, pelo desvio de quase R$ 7 milhões do Legislativo Municipal, em um processo no qual ele mesmo foi relator. Por omissão ou conveniência, Lúdio se absteve da votação. Porque se calou? Quem cala consente.

Na ocasião, Enelinda Escala – sua companheira de partido – seguindo a orientação do PT votou pela cassação, isso soou estranho. Esperava de Lúdio pelo menos coragem para se posicionar.

Lúdio foi se coligar com o partido do Governador Silval Barbosa de última hora a troco das benesses e facilidades da máquina estatal, justamente o partido que implantou as Organizações Sociais em Mato Grosso (OSs) que tanto combaterá na Câmara Municipal e em audiência pública na Assembleia Legislativa. O que Mudou de lá pra cá? Sua opinião? Ou seu projeto revolucionário que virou casuísmo eleitoreiro?

Lúdio se diz defensor incondicional da saúde pública de qualidade para a população e foi se aliar justamente com o governador que deve repasses para saúde pública de Cuiabá há mais de seis meses e que nos últimos anos não construiu sequer um centro de saúde em nossa capital e ainda quer entregar o Hemocentro, o CRIDAC e o SAMU para as Organizações Sociais.

Pra completar Lúdio nomeou como seu alcaide-mor um dos mais nefastos abutres da política local, Éder Moraes que está por trás do financeiro, da coordenação de campanha e desse grande estelionato eleitoral que se tornou seu projeto para prefeito.

Ao fazer o pacto com Lúcifer Moraes no alto da torre, Lúdio rasgou sua história depois de caminhar por anos a fio no deserto, fez a triste escolha de ser governista como muito de seus companheiros, abandonando teses e correntes ideológicas, assumindo o pragmatismo eleitoreiro fisiológico típico da velha política patrimonialista, o toma lá dá cá de todo dia da máquina estatal, o final desta história todos nós já sabemos.

Com sua cara de bom moco e sua fala mansa, Lúdio vendeu sua alma para o diabo, mas não tem o direito de fazer isso com a alma de Cuiabá e dos cuiabanos. Lúdio, envelheceu 100 anos em 100 dias, é o próprio Doryan Gray de Oscar Wilde pagando o preço da vaidade e da paixão pelo poder! Chegou a hora de avaliarmos suas atitudes nestas eleições, pois como disse Bertold Brecht a “História de um homem se encerra no seu último ato”.

*Suelme Biella é Secretário Geral do PSB Cuiabá

3 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 177.0.80.60 - Responder

    Dias atrás o Aldo Rebelo esteve aqui e fiquei me lembrando daquele velho amigo do movimento estudantil que criticava a vaidade dos políticos que se sentiam acariciados quando chegavam em um lugar e eram recebidos com comitivas, aplausos, vivas e banquetes. Parece que o PCdoB está gostando dessas carícias. Felizmente caiu a máscara, pois aqui no MT decidiram investir no candidato errado e diga-se de passagem, historicamente inimigo do partido. Isso é vergonhoso. Essas razões me fizeram acreditar que comunista nesse partido só o nome.

    • - IP 201.71.177.70 - Responder

      Os militantes do PC do B em MT nunca agiram diferente do velhos fisiologismo dos velhos partidos, ou do PMDB. E isso inclui os ex-militantes estudantis do PC do B, sempre atrelados aos mandatários de plantão racionalizando um “um bem maior” inexiste, mas que sabemos ser o velho e bom “cargo público” ou “verba pública”. Portanto, não é por outro motivo que o senhor Suelme se enquadra dentro do esquema “egresso do PC do B”, todos, absolutamento todos, desde a UFMT, atrelados inicialmente ao PT e no pós-Lula a qualquel um que lhes ofereçam espaço para exercitarem sua experiência de militância. Em resumo, o artigo “A história de um homem se encerra no seu último ato” é absolutamente dispensável e não faz juz a um historiador do quilate de Sulme Fernandes.

  2. - IP 189.59.69.195 - Responder

    Marcos Dantas e Amaro Amador bateram na veia. O PC do B que não tem constrangimento de apoiar Riva e o PSB de ter um capitalista absoluto como candidato, se igualam. Nesse emaranhado partidário, nesse cipoal de coligações escrotas, ficamos perdidos, sem saber como votar. Luz, gente, luz…

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

um × 1 =