SOCIALISTA CONQUISTA A AMÉRICA – Escolha de Hillary Clinton como candidata do Partido Democrata à presidência dos Estados Unidos parecia estar em céu de brigadeiro, sem qualquer obstáculo, até que surgiu o nome de Bernie Sanders, senador pelo estado de Vermont. Mas por que Bernie tem se tornado fenômeno nacional e internacional? Além de se classificar como “socialista democrata”, Bernie tem feito ataques ao que chama de “poder econômico” que, para o candidato é representado por Wall Street e tem dito que mesmo Hillary Clinton e demais proponentes à Casa Branca são candidatos “comprados” pelas grandes corporações. Até o fim da eleição primária, muita coisa pode acontecer… Mas, já temos um fato: Bernie Sanders é uma avalanche política e um desafio a todos os outros candidatos, pois, na história recente dos Estados Unidos nunca um candidato tinha se apresentado como “socialista e representante do povo comum”. VEJA DISCURSO DE BERNIE

Interessante perceber que, também na campanha eleitoral para a presidência dos Estados Unidos, a grande mídia corporativa joga seu papel manipulador e tem sido identificada pelo surpreendente Bernie Sanders, como fator de desestabilização da democracia americana. Ora, ora. Lá eles também sofrem com o PIG, como se vê no discurso do Bernie.  Cadê os perfis aprofundados na mídia brasileira sobre esse candidato democrata? Será difícil lermos estes perfis, já que nossa mídia sabe bem quem são seus adversários e não farão nada que possa fortalecer um pensamento crítico contra o PIG aqui neste Brasil onde já conseguiram formar uma legião de golpistas a partir da esperta manipulação do noticiário político.  (EC)

Bernie Sanders: onda vermelha nos EUA?

|

Marcelo Hailer, Inanna Educação

A nomeação de Hillary Clinton como candidata do Partido Democrata à presidência dos Estados Unidos parecia uma céu de brigadeiro, sem qualquer tipo de obstáculo, até que surgiu o nome de Bernie Sanders, senador pelo estado de Vermont. De início o seu nome foi ignorado, até que teve início a corrida por doações e as primeiras declarações e apresentações de suas principais plataformas políticas.

Bernie Sanders se apresenta como um “socialista democrata” e, para um país como os Estados Unidos, que, durante as décadas de 1950, 60 e 70 perseguiu políticos e ativistas comunistas isto não é pouca coisa: se a paranoia anticomunista é algo novo no Brasil, por lá é algo comum e que sempre norteou o debate político. Para se ter uma ideia, vários setores da sociedade e políticos dos EUA consideram a gestão de Obama “comunista” e isso se intensificou quando o atual presidente tentou implantar um sistema de saúde à semelhança do SUS brasileiro.

Clinton era dada como favorita absoluta, mas, isso já não é mais uma certeza e hoje Sanders é uma “ameaça” concreta as pretensões da ex-secretária de Estado do governo Obama de se tornar a primeira mulher presidenta dos EUA.

Mas por que Bernie Sanders tem se tornado um fenômeno nacional e internacional?

Além de se classificar como um “socialista democrata”, Sanders tem feito ataques direto ao que chama de “poder econômico” que, para o candidato é representado por Wall Street e tem dito com todas as letas que a candidata Hillary Clinton e os proponentes à Casa Branca estão todos vinculados ao establishment econômico, que são candidatos “comprados” pelas grandes corporações.

Outra proposta que tem causado temor nos liberais ortodoxos dos EUA é a da criação de um Sistema Único de Saúde, com acesso universal e gratuito. Na mesma linha, o senador também propõe a criação de universidades públicas e a taxação das grandes fortunas.

Para um país que foi construído sob a moral do “faça você mesmo”, tais propostas são um choque, porém, tem atraído multidões de apoiadores e, sem apoio empresarial para financiar a sua campanha, Sanders tem arrecadado, a partir de doações individuais cifras acima dos 10 milhões de dólares. Não é pouca coisa.
Outra pauta que o candidato tem batido é o fim do financiamento empresarial das campanhas, pois, para Sanders, trata-se de um mecanismo corrupto.

No debate que aconteceu em New Hampshire, o primeiro direto entre Clinton e Sanders, a candidata se colocou contra as propostas de um sistema de saúde gratuito e também contrária ao ensino superior também gratuito e declarou que tais propostas “são impossíveis”. Aliás, essa tem sido uma crítica comum a Bernie Sanders, no que ele sempre responde: taxando as fortunas de Wall Street as propostas são sim possíveis.

Na década de 1980 Angela Davis foi vice candidata numa chapa presidencial à Casa Branca, mas à época, se apresentava como uma “anti-candidatura”. Bernie Sanders não e, a cada dia que passa, o apoio a sua candidatura cresce e isso pode se verificado nas pesquisa e nas doações das pessoas.

Até o fim da eleição primária, muita coisa pode acontecer… Mas, já temos fato: Bernie Sanders é de fato uma avalanche política e um desafio a todos os outros candidatos, pois, na história recente nunca um candidato tinha se apresentado como “socialista e representante do povo comum”.

Um candidato representante das vozes dissonantes do Occupy Wall Street?

Em setembro de 2011, grupos de jovens ocuparam Wall Street e qual era o principal lema dos revoltosos? O fim da ganancia corporativa de Wall Street e este tem sido o principal lema da campanha de Bernie Sanders, colocar limites e taxar as fortunas de Wall Street. Talvez, Sanders seja a primeira representação das vozes dissonantes que, há 5 anos chamaram a atenção do mundo e, caso seja o nome do Partido Democrata ele pode fazer como tem prometido: uma revolução política nos Estados Unidos.

Podemos estar diante de um paradigma político à esquerda na seara liberal, assim como aconteceu na Grécia com o Syriza e na Espanha com o Podemos. A vitória de Sanders pode representar uma virada na política ocidental, com uma influência simbólica que ainda não temos parâmetros.

Um candidato que tem ousado enfrentar Wall Street, os grupos econômicos-corporativos e a imprensa, em um país como os Estado Unidos, não é pouca coisa e é por aí que devemos entender o forte apoio dos jovens a sua chegada à Casa Branca.

No vídeo abaixo, você pode conferir o discurso após o resultado da eleição primária em Iowa, onde Sanders e Clinton empataram.

2 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 187.113.47.187 - Responder

    Cuidado Enock,Trump pode ganhar,aí verás o que é a direita raivosa americana.Aguarde!

  2. - IP 187.7.195.61 - Responder

    Um ” socialista” governando os EUA? É uma piada indecente .

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

doze − 9 =