Samuel Dalia Jr se despede do TRE chorando e fazendo saudação que lembrou ritual da Maçonaria

 

Samuel Dalia Jr se emocionou ao se despedir de seus pares no Pleno do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso

O advogado Samuel Dalia Jr fez lembrar o ritual da Maçonaria durante a cerimônia de sua despedida das funções de juiz eleitoral do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso, na noite desta quinta-feira, 14 de junho de 2012. Nomeado na cota da advocacia, há dois anos, pelo presidente Luis Inácio Lula da Silva, Dalia Jr rogou, durante a cerimônia de despedida  que  G.A.D.U concedesse sua iluminação e guardasse a todos que, depois dele ter cumprido seu prazo de atuação, permanecem em atividade, como juízes, no Pleno no Tribunal. G.A.D.U.  significa Grande Arquiteto do Univerno. É a forma como os maçons se referem à divindade superior que governa o destino da Humanidade,  já que homens de várias religiões participam da Maçonaria, que se anuncia como um movimento ecumênico. Confira as informações repassadas pela assessoria do TRE. (EC)

 

 Pleno se despede do jurista Samuel Franco Dalia Júnior

 

O Pleno do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso se despediu nesta quinta-feira, 14 de junho, do juiz membro na classe jurista, Samuel Franco Dalia Júnior, cujo biênio se encerra no próximo domingo (17).             Todos os membros do Pleno teceram elogios à dedicação do jurista à Justiça Eleitoral. ‘Desejo sucesso ao colega na sua jornada”, disse o juiz federal Pedro Francisco da Silva, no que foi seguido pelo juiz de Direito Francisco Alexandre Ferreira Mendes Neto.

‘Nesses dois anos aprendi a admirar o doutor Samuel, pessoa de alma ímpar. Aprendemos com o senhor o modo mineiro de ser, simples e educado. Sua preocupação com o que é justo prevalece sobre o legal, o normatizado”, disse o juiz de Direito Sebastião de Arruda Almeida.

Emocionado, o advogado Samuel Franco Dalia Júnior não conteve as lágrimas ao agradecer o apoio e o empenho de seu assessor imediato no Tribunal, Benedito Franco. E lembrou, nome por nome, os magistrados e grande parte dos servidores da Justiça Eleitoral, com os quais manteve contato, incluindo no rol as colaboradoras da copa, que lhe serviram café e chá durante as sessões plenárias.

Em nome de todos os membros do Pleno, o desembargador Gerson Ferreira Paes, vice-presidente e Corregedor Regional Eleitoral, leu uma homenagem ao colega que se despedia. ‘Considero como inestimável legado do biênio de Vossa Excelência os exemplos de um atuar permeado por simplicidade, divorciado, assim, dos frequentes discursos jurídicos intricados e inacessíveis, que acabam por distanciar do Poder Judiciário aqueles que mais carecem dele”, disse o desembargador Gerson Paes.

Veja abaixo a homenagem lida em plenário pelo desembargador Gerson Paes e, em seguida, a íntegra do pronunciamento de despedida, lido pelo jurista Samuel Franco Dalia Júnior:

DISCURSO EM HOMENAGEM À CONCLUSÃO DO BIÊNIO DO EXMO. DR. SAMUEL FRANCO DALIA JÚNIOR, POR GERSON FERREIRA PAES   

Tenho em mãos a honrosa, mas também árdua tarefa de tentar exprimir, com máxima fidedignidade possível, a ressonância de todo o trabalho dedicado pelo Excelentíssimo Doutor Samuel Franco Dalia Júnior à sociedade mato-grossense, durante os dois anos em que brilhantemente atuou como juiz membro desta Corte Eleitoral.                                              A mim, em especial, é tarefa ainda mais proeminente, porque desde meados do século passado tenho desfrutado de sua amizade e companhia, seja nos encontros a que fatalmente nos conduz o exercício da advocacia e da magistratura, seja naqueles em que a vida mesma, com seus mais variáveis matizes, nos convida a experimentar.

Portanto, embora convicto de que cada um dos ilustres membros desta Corte tenha muito o que expor acerca do trabalho deste distinto magistrado, sito que tal incumbência me veste melhor, porque meu testemunho recebe a chancela de que há muito conhece seu atuar cívico, honesto e preciso.

E dizer da importância da breve passagem de Vossa Excelência, Doutor Samuel, por este Tribunal, é dizer também de sua própria história, ou, em palavras mais enérgicas, de sua vocação intrínseca de influenciar positivamente as pessoas, deixando para além de si um valioso legado de virtudes.

Virtudes que têm por pedra angular o fiel compromisso de atuar nas raias da Constituição e das leis, não por que tal qual foi a promessa que fizera solenemente há dois anos atrás, neste mesmo plenário, quando investido nas funções de juiz eleitoral, mas por que, muito antes, assim decidiu seguir tanto o caminho da advocacia, como também o da vida, sempre, e independentemente dos percalços.

Impossível não rememorar que o ingresso de Vossa Excelência nesta Corte sucedeu um período marcado pela desconfiança, maculado por suspeitas que, ainda hoje, repousam obscuras na história da justiça eleitoral mato-grossense. Recordo que na ocasião, muitos respeitáveis juristas receavam integrar o Tribunal, cautelosos com as equivocadas opiniões públicas que insistiam em compartilhar entre os demais os supostos desvios de apenas alguns.

Vossa Excelência, ao revés, reafirmando a máxima de Sócrates, de que não vale a pena viver uma vida sem desafios, juntou-se a esta Casa de justiça com espantosa serenidade, como se temesse apenas o medo de desisti, de esmorecer diante das dificuldades.

Perfilhado aos outros membros deste Sodalício, foi responsável pelo seu ressurgimento, conduzindo com higidez comprovada todo o processo eleitoral de 2010, oportunidade em que integrou com maestria a Comissão Apuradora, participando ativamente das discussões e proposições de reformas, como a necessária atualização do regimento Interno, cumprindo, enfim, o que havia prometido em seu discurso de posse: ‘pautar-se sempre pela cordialidade, agilidade e imparcialidade”.

Mas não só isso. Considero como inestimável legado do biênio de Vossa Excelência os exemplos de um atuar permeado por simplicidade, divorciado, assim dos frequentes discursos jurídicos intricados e inacessíveis, que acabam por distanciar do Poder Judiciário aqueles que mais carecem dele.

Certamente que o convívio com Vossa Excelência nos ensina que a simplicidade somente se conquista com muito trabalho, coragem e esperança. Não é sem razão, a propósito, que o conhecido filósofo Arthur Schopenhauer afirmou que a simplicidade é o último grau da sabedoria.

É, enfim, desse modo simples, como Vossa Excelência nos desafia a ser, que, em nome dos demais pares, externo toda a gratidão pelos relevantes serviços prestados ao Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso durante o biênio que, com pesar, se encerra hoje, fazendo-lhe votos de singular êxito no nobre ofício da advocacia.

PRONUNCIAMENTO DE DESPEDIDA, PELO JURISTA SAMUEL FRANCO DALIA JÚNIOR                                                                   Saudações.

Deixo no dia de hoje o cargo de Juiz Membro Titular- Classe jurista, do Egrégio Tribunal Regional Eleitoral do Estado de Mato Grosso para o qual fui nomeado em 17 de junho de 2010 por ato do Sr. Presidente da República, indicado que fui pelo colegiado superior mato-grossense, agraciado com significativa margem de votos. Acredito que, na condição de advogado, tenha honrado o Poder Judiciário, decidindo de forma independente, imparcial e ética, garantindo a vontade do eleitorado mato-grossense concomitantemente à segurança do ordenamento jurídico nacional.

Minha contribuição foi bastante modesta, mas atinada à realidade prática das dificuldades rotineiras dos candidatos, mandatários e de todos aqueles que se socorrem do Poder Judiciário. E, para quem sempre pleiteou à judicatura, uma vez togado acredito que não deixei de atender democraticamente quem quer que fosse, primando por todos os valores que a compostura do cargo demanda. Aprendi muito com a Corte, com os colegas, com o Ministério Público e principalmente com os jurisdicionados. É na análise do caso concreto e no debate colegiado que pude enriquecer minha vida profissional de mais de 40 anos de experiência.

Queira Deus que eu possa continuar contribuindo, já que tive a satisfação de uma nova indicação por larga maioria do egrégio Tribunal de Justiça de Mato Grosso e encabeço a lista tríplice para a apreciação da Exma. Sra. Presidente da República. Certamente, com a soma dos conhecimentos que aqui colhi, poderei julgar melhor, amparado pelos colegas com a sempre benfazeja contribuição ministerial e dos advogados que militam no foro eleitoral. Aliás, devo sublinhar o agradecimento ao Des. Rui Ramos Ribeiro que, com substancial parcela de tolerância, sensibilizou-se por este colega e auxiliou no que foi possível.

Acredito ter retribuído à advocacia um bom nome que me emprestou, não diminuindo a classe com a minha participação neste Sodalício. Precisamos em nossas representações nos tribunais de membros dignos que espelhem a trajetória honrada da enorme maioria dos advogados mato-grossenses. Tive o prazer de receber muitos no gabinete, manter o convívio com os amigos, ainda que eventualmente contrariasse interesses particulares. De outro lado, Excelências, souberam conservar a própria independência do colega investido em jurisdição, respeitando-me em meus posicionamentos. Pela compreensão, consideração e total liberdade, quero agradecer minha classe e meus mais diletos amigos.

Poderia dizer que minha participação pareou a legislação com o bom senso, porque o advogado sempre foi o primeiro juiz de suas próprias causas e, no curso de décadas de lides, aprendi que a razoabilidade deve ser o princípio norteador de qualquer ordenamento jurídico, mormente daquele ligado aos destinos eleitorais por meio das manifestações populares. Vossas Excelências souberam compreender que, sem a vaidade de ser o mais atilado doutrinador eleitoral, humildemente somei com a razoabilidade em minhas decisões o que, em minha opinião, já é um acréscimo em experiência e em equilíbrio. Essa é o mérito de um colegiado – cada julgador contribui com um elemento, seja dos estudos, seja da vivência e, assim, mesmo havendo dissenso, quem ganha é a democracia.

Tive a alegria de aqui trabalhar com velhos companheiros, colegas, Juízes de Direito, Professores como eu também fui da Universidade de Cuiabá, como Des. Márcio Vidal, Des. Rui Ramos Ribeiro, nosso Presidente, Des Gerson Ferreira Paes, meu amigo desde Mirassol Doeste,Des. José Ferreira Leite e Des. Luis Ferreira da Silva, Dr. Sebastião Arruda Almeida, mui digno Juiz Titular do 6º Juizado Especial Cível do Bairro do Porto, Dr. Jorge Tadeu Rodrigues, agora para nossa alegria, Juiz Auxiliar da Presidência, Dr. Pedro Francisco da Silva e agora do nosso prezado Dr. Francisco Ferreira Mendes Neto, filho do meu amigo o saudoso Des. Milton Ferreira Mendes, de ficar conhecendo o Eminente Juiz Federal Dr. Cesar Augusto Bearsi , Dr. Jeffersson Shineider e Dr. Paulo Cezar , de admirar o posicionamento e a combatividade dos Eminentes e brilhantes Membros do Ministério Público Regional Eleitoral Doutores Tiago. Lemos de Andrade, Ana Paula Fonseca Goíes Araújo e Gustavo Nogami e do colega advogado Dr. André Pozetti, ex aluno da Universidade de Cuiabá e juiz Membro Substituto deste Tribunal, além dos eminentes Juízes de Direito Substitutos, Dr. Gonçalo de Barros (Saíto) Dr. Gilperes Fernandes da Silva e Dr. Jones Gattas Dias que nos deram a honra de conosco trabalharem em suas respectivas convocações.

Destaco ainda e até por um dever de justiça e de o mais sincero agradecimento aos competentes assessores desta Casa, Assessores de todos os Juízes Membros, grandes conhecedores da matéria eleitoral, tanto da legislação como da jurisprudência que estiveram sempre ao nosso lado na orientação que cada caso exigia, cumprimentando a todos na pessoa do meu prezado amigo e irmão Dr. Benedito Lima Junior, meu assessor, meu colega, meu amigo e meu irmão de instituição. Obrigado Dito. E obrigado também ao incensurável Willer, nosso Mestre de Cerimônias, Doutores Breno e Mauro, Airton e o seu pessoal da informática que nos dão o apoio técnico imprescindível, as meninas da taquigrafia e as nossas zelosas Ledir Laurindo e Eliana Arruda de Souza com o seus reconfortantes chá e café: gostaria mesmo de agradecer a cada um dos servidores em particular, mas o faço agora em nome da Direção geral do Tribunal pedindo que transmita a todos os meus mais sinceros agradecimentos por tudo.

Des. Presidente, Des Corregedor. Senhores Juízes Membros deste Sodalício.

De grande valia ainda haver na comissão referente ao Regimento Interno do TRE/MT juntamente com o Des. Márcio Vidal, Dr. Cesar Bearsi e Dr. Thiago Lemos de Andrade, devidamente assessorados por competentes chefes de departamento deste TRE/MT, igualmente componentes daquela Comissão ; de igual forma e de grande aprendizagem a participação nas eleições majoritárias de 2010, bem como na Apuração dos votos e na diplomação dos candidatos eleitos. A festa da democracia. Da mesma forma, me fiz presente no lançamento das urnas biométricas em Campo Verde e isso juntamente com meus colegas Doutores Jorge Tadeu, Sebastião Almeida e do Presidente Des. Rui Ramos Ribeiro, além de estarmos também juntos quando das instalações das Zonas Eleitorais em Sinop e Nova Mutum, nas Palestras no TRE , nas Conferências na Escola Judiciária Eleitoral do TER e nas Reuniões no Plenário da Casa da Democracia, , no Congresso Internacional de Direito Eleitoral em Brasília, enfim em todas as oportunidades que me foram concedidas por esta Casa.

Portanto, como não poderia ser de outra forma, deixo esta casa pela porta da frente e com a satisfação do dever cumprido. Ainda que minha independência tenha contrariado muitos colegas, não deixei de ter os amigos que tinha e quero acreditar ter conquistado outros companheiros. Eis aí o fruto da postura sempre penitente pelos erros, compreensiva da minha própria limitação, mas atenta ao que o Poder Judiciário me exigia enquanto julgador.

Sei e sabemos que a Justiça Eleitoral tem destacado papel na transformação do Brasil e os julgamentos vindouros provavelmente serão os mais importantes na vivência jurisdicional dos Tribunais Eleitorais. Preparemo-nos, portanto. Muito esforço, independência, ética será cobrada de todos os membros deste e de todos os colegiados, sobretudo pelas novas exigências das legislações julgadas constitucionais pelo Supremo Tribunal Federal. Uma revolução de costumes está vindo pela vontade do povo, traduzida pelo Congresso Nacional e subscrita pelo Poder Judiciário.

O êxito da Justiça Eleitoral em bem cumprir suas atribuições haverá de ser reconhecido por nossa sociedade e este o nosso principal objetivo e dever. Não tenho a menor dúvida de que, passadas as eleições de 2012 e 2014, terá o Tribunal Regional Eleitoral ajudado a mudar o perfil da política mato-grossense, porque foi a sociedade quem nos impele dessa forma. Gostaria de estar presente nessa guinada e, caso esteja, contem com mais independência e razoabilidade da minha porção pessoal de empenho e, caso contrário, saibam que estarei aplaudindo Vossas Excelências da mesma forma.

Agradeço aos meus pais Samuel e Lucila, que não se fazem aqui presentes pessoalmente por desejo do Ser Supremo, mas sim, com certeza, em espírito, pelos bons exemplos que sempre deram a mim a mim e a meus irmãos, pela dedicação a minha educação e formação profissional, exemplos estes que procurei e que ainda procuro seguir por todos os dias da minha vida. Agradeço aos meus filhos, Luis, Samuel e João Paulo pelo incentivo que me deram . Lutem pelos seus como luto por vocês.

Agradeço por derradeiro a presença de todos os meus amigos, colegas, e aos caros funcionários do TRE de Mato Grosso. Os irmãos que prosseguem irmãos aos amigos que permanecem amigos, aos advogados e magistrados que ainda se ombreiam com este velho camarada, muito obrigado. Ser amigo é saber conservar os limites e não sacrificar o irmão na busca de um favor. Agradeço o respeito que granjeei de todos por isso e a distinção e a honra de aqui ter assento.

Concluo, Senhor Presidente e Senhores Juízes Membros deste Tribunal, em ratificação ao que já foi dito, que me retiro respeitando, acima de tudo, as naturais divergências de interpretações e entendimento, mas sempre com o maior objetivo de proporcionar aos nossos concidadãos o lídimo exercício da cidadania, principio reitor do sistema jurídico e democrático vigente. Obrigado a todos por essa liberdade de entendimento que tenho e que continuarei conservando e externando pela minha vida e carreira.

Que o G.A.D.U a todos ilumine e guarde.

Muito obrigado

3 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 177.132.243.121 - Responder

    Grande coisa… ele apenas professou a crença dele…ora, se ele falasse “que Deus nos ilumine” não teria nada a ver. Este site tem uma verdadeira tara por maçonaria. Assim como para Adriana Vandoni tudo que o PT faz é ato golpista, para o Pagina do E a maçonaria tem poderes paranormais…. a maçonaria não é nada demais – vamos parar com essa fixação patológica -… é mais fácil acreditar que o homem não chegou à Lua e que Elvis não morreu que nessas maluquices conspiratórias de que tudo a Maçonaria tá por trás. Comecem a pegar outros pontos em comum entre os poderosos e verão que a Maçonaria é apenas uma coincidência. FORA PRECONCEITO DE CRÉDULO!

  2. - IP 187.5.109.210 - Responder

    Sinop e Juarez Costa te agradecem, o Sr. sabe pq !!!!!!!!!! Já vai tarde…

  3. - IP 177.145.221.73 - Responder

    Esse advogado faz melhor ir cuidar de galos de rinha. Foi um péssimo magistrado e não deixa saudade nenhuma à sociedade. Como nunca teve destaque que o fizesse merecer tal cargo, de fato, já vai tarde. Do nada veio, ao nada volta.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

19 − nove =