RODRIGO RODRIGUES – Há pouco mais de um ano e meio, Mauro Mendes dizia que MT era governado por uma quadrilha, se referindo ao rombo dos maquinários

A política e os aloprados
RODRIGO RODRIGUES

Nesta semana, a incoerência tomou conta do cenário político. Foram tantos devaneios que a população esta criando repulsa quando o assunto é eleição.

O que se viu foi um verdadeiro festival de traição e interesses escusos, em atos antropofágicos dignos de verdadeiros aloprados. Partidos com candidaturas próprias colocadas e viáveis, rifando projetos consistentes por benefícios rasteiros.

O resultado de toda essa presepada todos nós sabemos, pois o eleitor já mostrou por diversas vezes que não aceita essas manobras radicais, muito menos essas mudanças supersônicas de “ideologia”.

Hoje me espantei com as declarações do deputado Percival Muniz, e também do secretario geral do PSB de Cuiabá, Suelmi Evangelista. O deputado Percival Muniz foi uns dos criadores do Movimento Mato Grosso Muito Mais. Como ele se manteve firme até a consolidação da candidatura de Mauro Mendes, é natural que venha defendendo a unidade deste grupo, até porque tem interesse por ser candidato a prefeito em Rondonópolis.

Respeito e admiro o deputado, mas ele exagerou e cometeu um grande erro ao afirmar que o Dr. Kamil Fares não tinha legitimidade para opinar sobre o movimento e a sucessão de Cuiabá. Ora, convenhamos, Dr. Kamil tem toda uma história profissional e política pautados em princípios éticos, foi um dos fundadores do PSDB em Mato Grosso, colocou seu nome para defender o partido quando o PSDB cabia em um fusca, com isso ajudou na construção daquele que viria a ser o maior partido do nosso estado.

Sua conduta, como profissional da Medicina, ao longo de mais de trinta anos, fez dele um dos mais conceituados na sua área. Portanto, pela sua história, pelo respeito que goza de seus colegas, além de ser cuiabano, tem todo direito de opinar. Já o deputado Muniz, sendo de Rondonópolis não tem a mesma prerrogativa.

Enquanto tentávamos, na sede do PDT, criar o Movimento Mato Grosso Muito Mais, e levá-lo para o interior, o senhor Suelmi, capitaneado pelo deputado Valtenir, fazia de tudo para nos boicotar e tirar o PSB do grupo. Certo dia recebi um e-mail de Suelmi exigindo que eu não ligasse ou mobilizasse os militantes e vereadores do PSB para os encontros do movimento.

Tenho esse e-mail guardado ainda. Durante toda a pré-campanha de Mauro Mendes, em todos dos municípios que passávamos, houve uma ação direta de desmobilização do PSB por parte de Valtenir Pereira e Suelmi. Portanto, o senhor Suelmi Evangelista é que não tem o menor direito de falar em movimento, muito menos questionar o Dr. Kamil.

Ao contrario do que afirmou, foi o PDT que carregou Mauro Mendes por toda a pré-campanha, e em que pese minhas diferenças pessoais com o senador Pedro Taques, a bem da verdade, este não deve nada a Mauro, seu voto foi espontâneo, em uma linha direta com o eleitor. Suelmi só veio a somar na eleição de 2010 depois de esgotadas todas as chances de minar Mendes.

Vacilou, no afã de aparecer na mídia acabou por criar mais barreiras entre o PDT e o “chamuscado” Mauro Mendes, que numa atitude desastrada trocou o apoio de Pedro Taques pelo apoio de Totó Parente, dando um nó na cabeça dos eleitores que dificilmente entenderão essa união, afinal há pouco mais de um ano e meio, Mauro dizia nos discurso que Mato Grosso era governado por uma quadrilha, se referindo ao rombo dos maquinários.

Uma pena que esse modo incoerente, antiético, antidemocrático, calçado na desconstrução e nos interesses pessoais, de fazer política, ainda tenha espaço nos dias de hoje.Espero que esses desatinos e falta de respeito tenha uma resposta à altura.

RODRIGO RODRIGUES é filiado ao DEM

Categorias:Jogo do Poder

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

três × 2 =