REPRIMINDO AS MULHERES – Rubens proibe mini-saia no TJ

O desembargador Rubens de Oliveira parece que não tem muito com que se ocupar. Agora, antes de sair do comando do Tribunal de Justiça, comete mais uma das suas: resolveu proibir servidoras e visitantes que frequentam as dependências do TJ de usarem mini-saia. Essa decisão do desembargador de plantão (e, felizmente, de saída) de não permitir uso de minisaias ou shorts ou bermudas em um país tropical como o Brasil e numa cidade supercalorenta como Cuiabá, ou a ideia que perpassa esta decisão, de que roupa curta só serve mesmo para incitar o sexo, revela, no modesto entendimento deste blogueiro, um pensamento antiquado, retrógado e hipócrita, marcado por uma moralidade que não mais cabimento. Todos nós já somos bastante crescidinhos. As imoralidades a serem combatidas no Tribunal de Justiça são de outra ordem e todo mundo sabe quais são.Esperemos pela justa e rápida reação das mulheres. Confira o surpreendente informe oficial do TJ. (EC)

TJMT amplia segurança nas suas instalações

O presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, desembargador Rubens de Oliveira Santos Filho, determinou a publicação da Portaria nº 11/2013, que disciplina acesso de pessoas aos prédios do Tribunal de Justiça de Mato Grosso e a utilização dos estacionamentos. As medidas seguem premissas do Sistema de Controle de Acessoe serão aplicadas às dependências do edifício sede do TJMT, Anexo António de Arruda, Escola dos Servidores Desembargador Atahide Monteiro da Silva , Escola Superior da Magistratura (Esmagis-MT) e creche-escola Bem-me-quer.

O magistrado levou em consideração a necessidade de reorganizar o trânsito de veículos automotores, de promover a segurança das instalações físicas da Corte, bem como dos serventuários e usuários dos serviços prestados pelo Poder Judiciário Estadual, e ainda a necessidade de sistematizar o fluxo e acesso de pessoas ao Tribunal e a utilização dos estacionamentos. Para isso, determinou a instalação do Sistema de Controle de Acesso Eletrônico e Segurança Física do Tribunal de Justiça de Mato Grosso.

Leia as principais determinações:

Público externo – Em relação ao público externo, o artigo 1º da portaria prevê que o acesso de advogados, promotores de justiça, defensores públicos, imprensa, membros de outras instituições e visitantes deverá ocorrer pelas respectivas recepções, mediante a apresentação de documento oficial com foto, para confecção de cadastro eletrônico no Sistema de Controle de Acesso, que conterá nome e o número do documento apresentado.

Após o cadastro, o visitante receberá um crachá, com chip de identificação eletrônica, que permitirá acesso às dependências internas dos prédios. Já para o acesso aos gabinetes da Presidência, Vice-Presidência, Corregedoria-Geral da Justiça e dos Magistrados, será necessária autorização do setor de destino. A solicitação também deverá ser efetuada na recepção.

Público interno – O acesso de magistrados e servidores ocorrerá obrigatoriamente pela recepção das edificações e guaritas de controle de acesso aos estacionamentos. Os prestadores de serviço terceirizados e das instituições bancárias com posto de atendimento nos locais terão acesso pelo mesmo local.

O acesso será permitido aos magistrados e servidores após a identificação das digitais nos leitores dos equipamentos de controle de acesso (catracas, cancelas e portas).

Estacionamentos – O artigo 3º da portaria indica a distribuição das vagas, bem como define que o controle de acesso aos estacionamentos destinados aos magistrados e servidores será realizado por meio de sistema eletrônico, onde as digitais farão a liberação dos equipamentos (cancelas). Da mesma forma será liberado o acesso dos mesmos pelas catracas localizadas na recepção das unidades informadas e estacionamentos.

O estacionamento G (na entrada do prédio novo do Poder Judiciário) será destinado exclusivamente a advogados, promotores de justiça, defensores públicos, imprensa, membros de outras instituições e visitantes e não deverá ser utilizado por servidores. Prestadores de serviços eventuais deverão utilizar o estacionamento H (estacionamento de brita).

Horários e trajes – O acesso será restrito ao intervalo compreendido entre 5h e 21h, nos dias úteis, salvo com autorizações especiais, concedidas pela Administração. Aos sábados, domingos, feriados e períodos noturnos, os servidores e prestadores de serviços deverão ter autorização dos coordenadores, diretores e responsáveis pelos gabinetes, por meio do Sistema Informatizado de Controle de Acesso, com informações como nome, matrícula, setor e horário de entrada e saída.

Será vedada a entrada de pessoas trajando bermudas, calções, camisetas regatas, minissaia, mini-blusa, chapéu ou boné (exceto quando em serviço), admitindo exceções em caso de urgência ou de impossibilidade financeira de se vestir de forma adequada. O acesso de vendedores, entregadores, agenciadores de qualquer tipo de produto, bens ou serviços às dependências está proibido.

O descumprimento da portaria implicará notificação administrativa e informação ao Departamento de Recursos Humanos do TJMT, que adotará as providências disciplinares adequadas. Os casos omissos serão resolvidos pela Diretoria-Geral do TJMT.

Confira aqui a íntegra da Portaria nº 11/2013, disponibilizada na edição nº 8969 do Diário da Justiça Eletrônico (DJE), circulada nesta quinta-feira (10 de janeiro).

fonte Coordenadoria de Comunicação do TJMT

27 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 189.59.57.142 - Responder

    NOSSA MÃE!!! AQUELA DA FOTO AO LADO DELE VAI TER QUE SER BARRADA, MESMO!!! POR MOTIVOS DE SEGURANÇA NACIONAL!!! O QUE QUE É AQUILO?!? AUUUUUUU!!!…

  2. - IP 187.123.10.210 - Responder

    Pelo visto é vc Onofre que está sem ocupação.

  3. - IP 177.145.56.195 - Responder

    Enock, ambiente de trabalho nao é lugar de mini-saia e nao tem nada a ver com repressao às mulheres e nesse caso acho que é voce ENOCK que esta sem noticia pra publicar.

  4. - IP 201.34.17.232 - Responder

    Eu discordo do jornalista em duas questões: a primeira é que não entendo que resttringir acesso de mulheres com mini saia em ambiente de serviço seja repressão as mulheres, segundo pq se o entendimento do jornalista estivesse correto, ele deveria, se não agisse de forma discriminatória, também questionar o fato dos homens não poderem entrar em short e bermudas. Porque só falou das mulheres.
    Apesar de tudo, não vi nada de errado nas determinações em questão.

  5. - IP 177.193.135.188 - Responder

    Que tristeza, Enock, ver um jornalista como você completamente dissociado da realidade, cego por ideologias que são ocas e vazias, crente em mitos que não resistem a um momento de lógica. Feminismos, “Chavismo”, Lulismo, panelaço de estudantes que gozam do benefício da gratuidade, Advogados confusos com a lei e com a ética profissional, enfim, todo tipo torpeza intelectual e lógica. Lamento muito pelo rumo de suas ideias, mas o respeito, apesar de não conhecê-lo. Afinal, ao contrário da esquerda, sou cônscio do Estado Democrático de Direito e não do Estado Anárquico de Ideologias. Por isso, lamento muito estar deixando de acompanhá-lo, por discordar veemente de sua postura, não como jornalista, mas porta voz de uma cega ideologia. Aconselho a refletir e pesquisar não apenas sua razão, mas todos os elementos e categorias de conhecimento nas quais supõe se apoiar, afinal de contas, você parece ser um sujeito honesto, inteligente e excelente profissional. Espero que um dia recupere a razão e volte a ser um dos mais comentados e respeitado neste Estado, e não como motivo de piada e zombaria. Abraços.

    • - IP 177.145.233.128 - Responder

      Com esta postura conservadora e direitista você pensa corrigir o Enock, Marcelo? Estás malhando em ferro frio….

  6. - IP 189.74.35.172 - Responder

    Sábia decisão nobre presidente do TJMT. Há mais de vinte anos que trabalho nesse Poder e a cada dia vejo mulheres com roupas cada vez mais curtas. PS: começando pelas funcionárias. Respeito é bom e todos os decentes gostam.

    • - IP 177.145.233.128 - Responder

      Que coisa!!!!!!!!!!!!!!

  7. - IP 177.7.77.143 - Responder

    Adoro as mulheres , com ou sem mini saia, mas acho que essas roupas curtas e demasiados sensuais em ambientes públicos não cabem, por uma questão de respeito e nao de opressão. Ora se um home é barrado por usar bermuda , porque as mulheres podem então usar mini-saia?

  8. - IP 201.86.130.90 - Responder

    acho que o presidente está correto, porque tj é lugar de gordo e adeposo não gosta e nem prestegia isso, e as minas de mini deve povoar o meu terreno que terá o tratamento adquado e amoroso, não perca tempo mostrando para strong, came here babies. let me see.

  9. - IP 187.47.23.73 - Responder

    Qual é, gente? Nem nas igrejas as mocinhas mais descoladas são barradas por causa das micro mini-saias que estão usando. Acho que deveriam ser barradas outras obscenidades no TJMT!…

  10. - IP 189.10.99.42 - Responder

    Como mulher, posso dizer: não vejo isso como repressão!

    De fato, um ambiente austero como um Tribunal não se coaduna com certas vestimentas. Infelizmente, algumas pessoas não têm “senso do ridículo” e querem fazer do ambiente de trabalho uma festa, o que demonstra a necessidade de normatizar o assunto.

    • - IP 177.145.233.128 - Responder

      Ambiente austero? Corei de vergonha e raiva com essa!

  11. - IP 189.10.40.35 - Responder

    Parabéns Sr. Pres. Rubens… isso não é repressão…Tribunal de Justiça é ambiente de Trabalho de autoridades, servidores e advogados… não é desfile de moda …. cada um merece o que procura…Beco do Porrete concorda com o Presidente e ponto….

  12. - IP 201.24.158.217 - Responder

    realmente, falta do que fazer, as pessoas sabem se comportar por conta própria, sem precisar de regras impostas por um desembargador metido a moralista. quem vai a um dependencia do Judiciário sabe que não está indo prum baile funk. esse desembargador não está com nada e o enoque faz bem em zoar com ele. só rindo mesmo…

  13. - IP 177.145.233.128 - Responder

    Estou de acordo com o Enock em ridicularizar essa medida. Mas não vejo repressão às mulheres por isso. Credito essa atitude muito mais à possível ciumeira da mulher do Rubinho e de outros figurões, que temem a concorrência de gente bonita mostrando as pernas.
    No meu Tribunal, TRT/MT, tem uma norma destas também e eu morro de vergonha toda vez que tocam nesse assunto. Uma cidade tórrida destas, onde quanto menos roupa, mas conforto, ficar exigindo isso ou aquilo no vestir… Francamente. E um motorista de caminhão, que em geral anda de bermuda, deve trocar de roupa para ir ao judiciário? Isso sim eu acho que é truculência.
    Deveria ser proibido o uso de paletó e gravata nesse clima nosso. Isso não passa de mera imitação da Europa. Isso também é ridículo!
    Mas fico triste com o número de pessoas que apóia essa norma ridícula do TJ/MT.

  14. - IP 189.97.232.165 - Responder

    Forçou a barra enock, misturou questões pessoais para atacar o Tj

  15. - IP 177.110.250.83 - Responder

    Em que século e pais nós estamos?

    • - IP 187.60.223.90 - Responder

      quem usa mini saia é puta e prostituta que querem ser estupradas e, não dão valor ao corpo que tem!, depois sofrem assedio, estupro e sequestro daí não sabem o porque kkkkk CADELAS IMUNDAS, VADIAS, PUTAS, PROSTITUTAS RETARDADAS E IMBECIS!

  16. - IP 201.10.175.138 - Responder

    Pra que mini saia gente? Vamos liberar geral…

  17. - IP 177.161.158.25 - Responder

    QUANTO AO TERNO E GRAVATA, A UNICA COISA QUE CONCORDEI COM O ADAMS NESSA VIDA. NA VERDADE A GRAVATA TEM A FINALIDADE DE FECHAR A CIRCULACAO DE AR E CONSERVAR O CALOR. DO CORPO. ADAMS, SEJA MENOS GAUDÉRIO E NAO FALE DE ESPOSA DOS OUTROS. NAO SE REPORTE CO O “MULHER DO OU DE”. GOSTARIA QUE EU DISSESSE “A CHINA DO ADEMAR”? CREIO QUE NAO, NAO É MESMO? MAS EU IMPLORO, SUMA DAQUI QUE VOCE É UM SER EXECRAVEL, LIBERTINO, FOLGADO E SEM EDUCACAO….

  18. - IP 177.193.155.107 - Responder

    concordo com o presidente do tj, sou funcionaria se não posso entrar com blusa de sem amanga por que as outras ´por que as as bonitinhas podem entrar de mini saias, e outra coisa quem vai no forum ou e a trabalho ou e procurando justiça não pra se aparecer.

  19. - IP 189.31.1.118 - Responder

    Isso aí é bom pra botar jeito pq as mulheres do Brasil estão já quase todas sem moral nenhuma e o nível delas está uma desgraça, andam que nem putas.

  20. - IP 177.161.27.202 - Responder

    o pres. Rubens, com essa decisão, acrescenta mais um acerto de sua excelente administração.

  21. - IP 201.15.105.178 - Responder

    Parabens Presidente Rubens, tambem concordo lugar de trabalho é de trabalho, acho um horror andar pelos corredores e ve por ai, servidores, juizas, advogadas etc… de saias curtas…aprovadissima sua decisão. Não só no TJ isso tambem tem que estender para as Comarcas…Olha Enok e não precisa falar da saida do presidente ele foi muito bom para nos funcionarios…que vergonha Enok publique sem demagogia….

  22. - IP 189.55.78.41 - Responder

    Olha, mas olha para o outro lado e veja um tal de Riva com 102 processos, e o enrquecimento meteórico dos Barbosa, e ainda bancando CDs de filhotes, depois vem falar de vestimentas, quer saber? vão plantar batatas…

  23. - IP 189.62.45.62 - Responder

    Gostaria de um esclarecimento: o que seria mini saia?
    Pois sou advogada e passei por constrangimento, ao tentar entrar em um Juizado trajando uma saia preta na altura do joelho, discreta e nada justa. O segurança do local advertiu-me que na próxima vez não poderia entrar se estivesse de mini saia.Um desrespeito ao profissional do Direito e uma intimidação ilegal a meu ver.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

quinze − nove =