TCE - DEZEMBRO

Quem diria, Paulo Henrique Amorim, blogueiro aburguesado, longe de ser um militante de esquerda, veio a Cuiabá e pregou a rebelião popular contra o golpe. Teve a ousadia de falar dos erros do PT e desafiou a plateia dos trabalhadores da Educação: “É preciso voltar pras ruas. É preciso voltar aos protestos. Temer fica no poder o tempo que vocês quiserem”. VEJA EM VIDEO

Paulo Henrique Amorim com Enock Cavalcanti e Roseli Reichelmann

Paulo Henrique Amorim com Enock Cavalcanti e Roseli Reichelmann

O jornalista e blogueiro Paulo Henrique Amorim passou por Cuiabá, mais uma vez. Desta vez, veio participar do painel de abertura do Congresso dos Trabalhadores da Educação e falar sobre o seu livro, O 4º Poder, que trata da força descomunal que a mídia, capitaneada pela Rede Globo, consegue manter dentro da estrutura de poder, no Brasil. “O 4º Poder na verdade é o primeiro poder”, pondera ele, sempre sorridente.

Pareceu-me um homem cansado, que falou para uma plateia atenta mas não teve gana para responder a perguntas depois de ficar de pé e falar por uma hora, já se encaminhando para o descanso rápido no hotel, antes de nova viagem para novas palestras, pelo Brasil afora, novas provocações contra o poder golpista, contra a Globo, contra o ministro Gilmar Mendes, no intervalo de suas gravações para a Record.

Auditório lotado, mais de mil pessoas para ouvi-lo falar do seu livro que, mesmo mantido na clandestinidade pela midia corporativa, já vendeu mais de 40 mil exemplares. Nenhum jornal ou site ou tv ou emissora de rádio da chamada midia corporativa deu bola pro livro do PHA.

Numa rápida conversa comigo e com a jornalista Roseli Reichelmann, Paulo Henrique Amorim definiu seu blogue,o Conversa Afiada, como um chute diário na canela da Rede Globo. E reclamou do tanto que tem trabalhar para pagar os advogados que fazem sua defesa na disputa judicial que trava com o ministro do STF Gilmar Mendes.

Na entrevista e na palestra, ele discordou daqueles que tentam diminuir o poder e a influência da Rede Globo, dizendo mesmo que a Globo continua dando o tom da informação e argumentou que ele e os demais blogueiros que se espalham pelo País exercem papel secundário.
Disse que teria orgulho de ser chamado de panfletário.
Definiu-se como um brizolista, um homem de esquerda.
Durante a palestra, falando do seu livro 4º Poder, Paulo Henrique Amorin contou muitas histórias que documentam o poder da Rede Globo principalmente sobre alguns dos principais políticos brasileiros. “Não quero preto nem desdentado no Jornal Nacional” – determinou Roberto Marinho, dono da Globo, ao jornalista Armando Nogueira.
“A Globo é o que é mais pelo que não deu do que pelo que deu” – esta é a frase de Marinho que define, segundo PHA, a Globo e o seu poder maquiavélico.
Em sua fala, para uma plateia de muitos petistas, Paulo Henrique Amorim fez a defesa do muito pouco defendido ministro Zé Dirceu e também uma análise bastante critica do governo da presidenta Dilma Rousseff que, segundo ele, teria tentado se livrar do PT – facilitando desta forma sua própria queda.
Foi uma passagem meteórica, algo febril. Sua palestra, uma provocação. Falando da tibieza do governo da Dilma, dos equívocos dos governos do PT, de uma certa forma ele confrontava a militância de muitos que estavam ali, naquele auditório. Pena ela não ter querido responder a questionamento, para que as contradições ficassem mais claras e os temas fossem aprofundados.
De qualquer forma, sua orientação foi segura. O Brasil atualmente dominado pelos golpistas só muda se aqueles que estão insatisfeitos com os atuais rumos do País forem para as ruas, para as praças, para a luta sem trégua contra o governo Temer.

Paulo Henrique Amorim é um andarilho, um pregoeiro de uma rebelião popular que ele gostaria que acontecesse já.
“É preciso voltar pras ruas. É preciso voltar aos protestos. Temer fica no poder o tempo que vocês quiserem”, disse, provocativamente para a plateia de professores, sindicalistas, estudantes que se aglomerava no Hotel Fazenda, em nossa capital na noite do feriado de 12 de outubro de 2016.

O registro que fiz em vídeo, meio anárquico, oferece com tudo, uma visão do que foi essa nova passagem de Paulo Henrique Amorim por Cuiabá.

Ah, sim. PHA anunciou que já está com outro livro pronto para ser encaminhado para publicação. “Manual Inútil da Televisão e Outros Bichos Curiosos”, em que pretende contar causos que marcaram a sua trajetória profissional.

4 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - Responder

    OLHA O NÍVEL DESSE IRRESPONSÁVEL,ISSO EXPLICA PORQUE A GLOBO MANDOU EMBORA ESTE LUNÁTICO.Perdeu uma bocona de mais de 1 milhão por mes,e está inconsolável.É apresentador de um programa na Record,pertencente à outro charlatâo o sinistro Bispo Edir Macedo,o homem certo no lugar certo.Ainda acha idiotas para segui-lo e publica-lo.

  2. - Responder

    … e comentá-lo…

    • - Responder

      …..e escrever aqui……

  3. - Responder

    Se quiserem o impechiment do Temer terão que trazer de volta o Eduardo Cunha para comandar a votação na câmara porque o PT não tem moral para isso.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

um × dois =