Nova denúncia sobre Maquinários pode sair até o Natal. E Maggi?

Mauro Zaque denunciou o ex- secretário Vilceu Marquetti e pediu permissão ao procurador geral para investigar Maggi. A questão foi objeto de debate no Conselho Superior do MP que resolveu assumir o inquérito contra o ex-governador. A conclusão deste procedimento, todavia, tarda.

O promotor Mauro Zaque já fez as denúncias, na área civel. A promotora Ana Cristina Bardusco fala na possibilidade de apresentar denúncias na área criminal até o fim do ano. O que continua se arrastando é a decisão final do Conselho Superior do Ministério Público de Mato Grosso quanto a uma figura chamada Blairo Maggi, ex-governador, na época do Escândalo dos Maquinários e atual senador da República pelo PR, cotado para um ministério do governo Dilma. O CNMP ficou de definir se Maggi deve ou não ser também indiciado neste rumoroso caso. Confira o noticiário. (EC)

ESCÂNDALO DOS MAQUINÁRIOS
Denúncia será oferecida em dezembro, diz promotora
Antonielle Costa

Dois anos após a Delegacia Fazendária finalizar as investigações do caso que ficou conhecido como Escândalo dos Maquinários, o Ministério Público Estadual ainda não ofereceu denúncia criminal contra nenhum dos envolvidos. Na época foi constatado um rombo de R$ 44 milhões na compra de 705 máquinas no Programa “MT 100% Equipado”.

Ao Mato Grosso Noticias, a promotora Ana Bardusco – que está com o caso, afirmou que ainda aguarda documentos referentes à quebra de sigilo bancário dos acusados. Por outro lado, ela destacou que se não recebê-los até meados de dezembro irá oferecer a denúncia sem os mesmos e depois irá juntá-los aos autos.

Sobre os acusados, a promotora preferiu não comentar, no entanto, apesar do indiciamento de doze pessoas pela Polícia Civil, Bardusco não precisa se ater a investigação, podendo aumentar o número de denunciados, caso comprove a responsabilidade de cada um ou, até mesmo, diminuí-los.

Dentre os indiciados pela Delegacia Fazendária estão três servidores da então secretaria de Estado de Infraestrutura (Sinfra) e nove empresários que venderam os maquinários para o Governo.

Segundo a polícia, ficaram comprovados os crimes de corrupção passiva, formação de quadrilha e fraude em licitações. Os bens adquiridos foram entregues de acordo com o edital, contendo apenas irregularidades nos pneus.

Entenda o caso

O caso começou a ser investigado após o então governador Blairo Maggi (PR) receber, em fevereiro de 2010, uma denúncia de suposto superfaturamento na aquisição dos maquinários. Na época, Maggi solicitou que a Auditoria Geral do Estado apurasse os fatos. Em julho passado, a auditoria apontou um rombo de R$ 44 milhões.

No relatório final, ficou comprovado que R$ 20,585 milhões estão relacionados a sobrepreço na compra dos maquinários e que R$ 23, 899 milhões foram superfaturados, somente na compra dos 376 caminhões basculantes.

O caso foi parar no Ministério Público Estadual e a promotora Ana Cristina Bardusco, na época, relatou a ocorrência, em tese, de crimes de fraude à licitação e peculato, por parte dos responsáveis pelos pregões, que são realizados pela Secretaria de Administração.

Diante dos fatos, Bardusco solicitou à Delegacia Fazendária a abertura de inquérito policial para investigar as denúncias.

Ações Civis

Na esfera civil, duas ações civis públicas por ato de improbidade administrativa e ressarcimento de danos ao erário já foram propostas, e os processos tramitam na Vara Especializada de Ação Civil Pública e Popular.

Entre os acusados pelo Ministério Público que respondem aos processos estão: os ex-secretários de Estado de Administração, Geraldo Aparecido de Vitto Júnior, e de Infraestrutura, Vilceu Francisco Marcheti; as empresas Cotril Máquinas e Equipamentos Ltda., Tork Sul Comércio de Peças e Máquinas Ltda., Dymac Máquinas Rodoviárias Ltda., Tecnoeste Máquinas e Equipamentos Ltda., Rodobens Caminhões Cuiabá S/A, Auto Sueco Brasil Concessionária de Veículos Ltda., Mônaco Diesel Caminhões e Ônibus Ltda., Iveco Latin América Ltda. e Extra Caminhões Ltda.

fonte MATO GROSSO NOTICIAS

1 Comentário

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 189.114.55.232 - Responder

    Essa era a turma da botina,corruptos e imcompetentes.Falta alguem em Nurenberg,falta chegar no CHEFÃO,exatamente , o mesmo cuja esposa usou vergonhosamente os recursos do MT – saude para pagar as contas no Sirio Libanes devido a complicações de uma cirurgia eletiva feita anteriormente.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

1 × 3 =