TCE - OUTUBRO

Pra que gastar dinheiro com a Fundação Dom Cabral? Se Pedro Taques desse um simples telefonema para Vicentinho Vuolo, lá em Brasília, saberia que a proposta de transformar o 44º Batalhão do Exército, ao lado do Goiabeiras, em centro cultural e Parque da Cidade já foi aprovada pela Câmara de Cuiabá e só não foi adiante porque foi vetada pelo então prefeito Frederico Campos – a quem dia desses o Zé Pedro reverenciou com uma série de salamaleques no Paiaguás, sem saber que reverenciava um homem que, no caso desta proposta, se mostrou um inimigo da cultura e do meio ambiente de Cuiabá

Vicente Vuolo e Pedro Taques

Vicente Vuolo e Pedro Taques

 

Da cartola da custosa Fundação Dom Cabral, Pedro Taques, o governador que assumiu, aparentemente sem nenhuma idéia na cabeça, estás sacando, agora, a proposta de mudança da sede do 44º BIMtz, que ocupa uma área no bairro Duque de Caxias, em Cuiabá. Pela proposta que jornais amigos e jornalistas amestrados apresentam como mais uma “idéia genial” do novo e baixote governador, a nova sede do batalhão passaria ao distrito da Guia e, no espaço hoje ocupado pelo Exército em plena região central de Cuiabá, seria construído um centro cultural e também ambiental a ser bancado pelo Banco do Brasil.

Ora, ora, Zé Pedro Taques deveria ter a decência de dizer que esta proposta não é sua. Essa proposta é do economista Vicente Vuolo, apresentada quando foi vereador em Cuiabá, aprovada pela unanimidade da Câmara e só não foi implementada porque recebeu um truculento veto do então prefeito Frederico Campos – a quem dia desses o Zé Pedro reverenciou com uma série de salamaleques no Paiaguás, sem saber que reverenciava um gestor que, no caso do 44, atuou como um verdadeiro inimigo da cultura e do meio ambiente de Cuiabá.

Para trabalhar melhor essa idéia de transformação do quartel no Parque da Cidade, o governador Zé Pedro Taques deveria ter a decência de convocar ao Paiaguás o ex-vereador Vuolinho para discorrer mais longamente sobre a proposta que ele, pioneiramente, apresentou e o prefeito Frederico Campos, de triste memória, vetou. Ora, até agora o Zé Pedro só franqueou seu gabinete cheio de mordomias para o homem que impediu, lá na década de 80 que Cuiabá tivesse o seu Parque da Cidade onde hoje o 44º Batalhão continua atravancando a paisagem.

Pra que gastar dinheiro com a Fundação Dom Cabral? Basta conversar com as pessoas de bem de Cuiabá para ver que boas idéias para a Capital e o Estado existem aqui mesmo em nossa terra, a dar com o pau. Sem a necessidade de fazer desembolso. Aliás, o Zé Pedro já mostrou os recibos da grana paga a esses tecnocratas da Fundação Dom Cabral?

1 Comentário

Assinar feed dos Comentários

  1. - Responder

    Uma lei municipal,criada por um vereador que joga para a plateia,dá a posse de uma área federal e do patrimônio da união ,sob a jurisdição do Exército,ao município de Cuiabá ou ao Estado.Faz-me rir Enock,além de mal-intencionado é mal-(in)formado!

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

quatro × 5 =