Podem prender Lula, mas quem Lula indicar será favorito em 2018, avalia cientista politico Wanderley Guilherme dos Santos

Wanderlei Guilherme dos Santos

Wanderley


Apesar de aparentemente constitucional, o processo que afastou a presidente Dilma Rousseff foi pavimentado por ações que se desviaram das regras legais do país, subvertendo o equilíbrio da democracia
Colangem a partir das fotos de Marcello Casal Jr/ Agência Brasil e José Cruz/ Jornal Grande Bahia
Jornal GGN – Apesar de aparentemente constitucional, o processo que afastou a presidente Dilma Rousseff foi pavimentado por ações que se desviaram das regras legais do país, subvertendo o equilíbrio da democracia. As consequências do rompimento constitucional ainda estão em curso e podem impedir que as forças populares participem em pé de igualdade das eleições em 2018.
A avaliação é de Wanderley Guilherme dos Santos, professor aposentado da UFRJ e um dos maiores cientistas políticos da atualidade, reconhecido por ter prenunciado o golpe militar de 1964, dois anos antes, no seu livro “Quem Dará o Golpe no Brasil” (Civilização Brasileira, 1962).
Em entrevista para Luis Nassif, Wanderley falou da sua mais recente publicação, “A Democracia Impedida – O Brasil no Século XXI” (FGV, 2017), analisando a crise política atual que, segundo ele, teve como raiz a “fraude constitucional” que partiu da interpretação de três ministros do Supremo Tribunal Federal: Joaquim Barbosa, Ayres Brito e Rosa Weber, no julgamento da Ação Penal 470, conhecida como “mensalão”. Começando pelo que considerou “uma declaração gravíssima”, do Ministro Barbosa, de que a Constituição Federal era o que o Supremo Tribunal Federal dizia que ela era.
FONTE BLOG DO LUIS NASSIF

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

quatro + 9 =