Planejamento torto do governo Silval gera contrasenso absurdo: Indea devolve ao Governo Federal dinheiro que falta para se reestruturar

Daniella Bueno revela que convênio com o Ministério de Desenvolvimento da Agricultura - MDA, que passa dos R$ 5 milhões, está depositado na Superintendência do MDA desde a semana passada e deve ser estornado à Brasília nos próximos dias por falta de 10% de contrapartida que o governo do estado até agora não depositou. O desperdício deste dinheiro, é claro, agrava o sucateamento do Indea e mostra que, graças ao Núcleo Sistemico, administração de Silval segue fazendo trapalhadas

Contrasenso denota Indea em luta por melhorias com quase R$ 5 milhões na conta

CCDA detalha situação do Indea e alerta para perda de convênio por falta de R$ 500 mil do estado

por Alexandra Araújo/Sintap-MT

A gestora da Coordenadoria de Controle de Doenças Animais, Daniella Soares de Almeida Bueno participou do encontro entre as entidades que apoiaram o Sintap-MT e Sinterp-MT na luta pela reestruturação do Indea-MT, nesta terça-feira (28). A coordenadora explanou qual a real situação do órgão, denotando o disparate de tantas deficiências enquanto o Indea tem mais de R$ 5 milhões para serem liberados, os quais serão devolvidos ao governo federal pela falta da contrapartida do estado em pouco mais de R$ 500 mil.
Daniella Bueno ratificou também via documento que o Convênio com o Ministério de Desenvolvimento da Agricultura – MDA, que passa dos R$ 5 milhões, está depositado na Superintendência do MDA desde a semana passada, cujo valor será estornado à Brasília nos próximos dias, se os 10% de contrapartida do governo do estado não seja depositado.
Conforme a coordenadora, o dinheiro será utilizado pelo Indea para a manutenção das sete barreiras e vigilância sanitárias do Brasil-Bolívia até fevereiro de 2013, aquisição de veículos, computadores, ar condicionado, GPS, câmera digital e atendimento aos focos de raiva, sorologia de febre aftosa, de aquisição de equipamentos para o laboratório de saúde animal e cursos de capacitação para os médicos veterinários. “Estamos com 28 focos em aberto de raiva e seis de varíola em todo o estado, precisando ser atendidos de imediato”, alertou a coordenadora.
Veículos – “85% da frota do Indea está parada”, afirmou Daniella, a exemplo da regional de Cáceres, regional com 28 veículos, o maior número por ser uma região fronteiriça, dos quais apenas quatro estão em funcionamento.
Barreiras Sanitárias – Segundo Daniella, os servidores do Indea estão trabalhando nas sete barreiras Brasil-Bolívia há dois plantões sem receber (cada plantão é de 10 dias) e, segundo ela,  no próximo dia 30 irá começar o terceiro plantão.  Isto significa que o Indea já possui um débito em diárias com os servidores e a Polícia Militar de R$ 85 mil. “Não sabemos quanto gastamos de água, luz, telefone, nada, pois está tudo com o Núcleo Sistêmico Agropecuário; ou seja, não temos o controle destes nem de outros gastos. É uma caixinha preta”, finalizou.

 

—————————

Entidades se reúnem com Sintap e Sinterp para ratificar apoio à luta do Indea

Representantes de entidades oficializarão pedido ao governo do estado para  providências na reestruturação do Indea

Alexandra Araújo/Sintap-MT

Mais uma vez as diversas entidades participantes da reunião com o governo do estado na última segunda-feira (27), se uniram em um encontro para oficializar seu apoio à luta do Indea-MT, nesta terça-feira (28), desta vez na sede da Famato.  Além desta, a Acrimat, Acrismat, Sindifrigo, Aprosoja e outros representantes ouviram da presidente do Sintap-MT, Diany Dias, e sua equipe os problemas enfrentados no órgão, bem como do presidente do Sinterp-MT, Gilmar Brunetto, que reforçou as problemáticas em nome da Empaer, a qual também vivencia deficiências estruturais semelhantes e também luta pela desvinculação do órgão do Núcleo Sistêmico Agropecuário, assim como o Indea.

Acrimat – “Nós pagamos as maiores taxas do país, e só os valores destas mantêm tudo o que vocês têm solicitado para melhorar a estrutura do Indea, pois só nestes tributos há superávit de arrecadação”, assegurou o vice –presidente da Associação dos Criadores de  Mato Grosso – Acrimat e presidente do Sindicato Rural de Cuiabá, Jorge Pires de Miranda, ao afirmar que tem conhecimento da realidade crítica do Indea, e que tudo já foi repassado ao governo do estado pela entidade.

Pires acrescentou que vai aguardar documento com todos os dados a serem enviados pelo Indea, no que tange às necessidades “urgentes urgentíssimas”, para que a entidade envie imediatamente ao governo do estado, oficializando enquanto pedido também deste representante.  O intuito é unir forças para que seja concretizado de forma mais imediata possível, o que fora autorizado pelo secretário de administração, Cesar Zilio, em reunião no dia anterior, na Casa Civil, que deverá viabilizar suplementação orçamentária  para que soluções sejam tomadas. “Nós não podemos escutar que o nosso dinheiro está sendo gasto erroneamente, por isso vamos nos reunir primeiramente com o governador, mas se for preciso vamos enviar até para o Ministério Público, para que as autoridades competentes tomem as providências”, enfatizou.

Acrismat – Estamos bastante sensibilizados com a situação em que se encontra o Indea, porque somos parceiros de longa data, e consideramos inconcebível que um órgão fiscalizador vivencie tanta precariedade, o que já vem ocorrendo há muito tempo, e sabemos que por parte do governo não há um olhar sensível para a questão”, afirmou o diretor executivo da Associação de Criadores Suínos de Mato Grosso  – Acrismat, Custódio Rodrigues de Castro Júnior.

Famato – O diretor executivo da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso – Famato, Seneri Kernbeis Paludo, acredita que o Indea precisa de recursos, que sejam suficientes para administrar suas necessidades “urgentes urgentíssimas” pelo menos até o final deste ano. Além disso, ele citou a questão dos convênios, os quais só são liberados com a contrapartida do governo do estado, que precisam ser priorizados pelo executivo estadual. Para tanto, Seneri também solicitou documentos com a explanação das prioridades que urge providências no órgão de defesa agropecuária.

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

um × 2 =