Percival alisa mas deixa evidente suas restrições ao gestor inexperiente que é o governador Zé Pedro Taques. “Ele quer comandar tudo, saber até porca do parafuso. Estou torcendo que supere logo essa fase de auditar, punir e tal pra poder ver se sobra um dinheiro para a gente fazer um convênio”

Um governante concentrador e que, por isso mesmo, vacila na hora de decidir, fazendo com que a máquina do governo se movimente de forma devagar, quase parando. É o que retrato que se revela de Zé Pedro Taques, depois de nova avaliação que o experiente prefeito de Rondonópolis, Percival Muniz, fez ao RD News sobre a atual administração de Mato Grosso. Percival ainda está querendo ver o governador Zé Pedro Taques deixar de lado os vícios de pretenso xerife de Mato Grosso e passar a atuar como um gestor mais ágil. Será possível? ou teremos quatro anos, pela frente, em ritmo de Grande Irmão?  (EC)

 

Percival Muniz, atual prefeito de Rondonópolis (MT), pelo PPS

Percival Muniz, atual prefeito de Rondonópolis (MT), pelo PPS

Percival diz que Taques deveria dar mais liberdade para equipe trabalhar

Patrícia Sanches, do RD News

O prefeito de Rondonópolis, Percival Muniz (PPS), avalia que o governador Pedro Taques (sem partido) precisa confiar mais na equipe. O socialista, que está no terceiro mandato não consecutivo à frente da cidade, diz que Taques está se dedicando à função, trabalha 18h, mas avalia que é necessário delegar mais.

“Ele quer comandar tudo, saber até porca do parafuso. E isso passa a impressão de que o secretário não tem autonomia”, pontua o socialista, em entrevista ao Rdnews.

Um dos principais aliados de Taques nas eleições do ano passado, quando senador se elegeu governador, Percival diz já ter alertado o chefe do Paiaguás de que será julgado como governador, por isso, o povo espera que ele faça ações que melhorem, especialmente, a segurança, infraestrutura e educação.

“Acho que Taques tem que confiar mais. Confiar total. Se fez errado, troca”, diz Percival, sobre a gestão do ex-pedetista, que teve início em janeiro deste ano. Depois, completa dizendo que não gosta de reunião, mas, sim, de resultado. “Papel do prefeito, governador e presidente é nomear e dar autonomia”, finaliza.

O socialista, apesar das ponderações, avalia o governo como positivo. Ressalta que Taques está cumprindo o que prometeu à população, fazendo auditorias e gerindo o dinheiro público com honestidade. “Estou torcendo que supere logo essa fase de auditar, punir e tal pra poder ver se sobra um dinheiro para a gente fazer um convênio”.

De todo modo, o gestor municipal diz compreender que crise econômica é grave e que, por isso, entende que Taques já é um vitorioso por conseguir manter o pagamento dos salários dos servidores em dia.

Parcerias

Sobre a relação com Rondonópolis, Percival pondera que, até agora, a cidade não recebeu nenhum aporte financeiro do Estado. Lembra que, no início do ano, solicitou R$ 20 milhões do Executivo, mas até agora não recebeu a resposta.

Os recursos seriam aplicados em obras de infraestrutura, como pavimentação e drenagem. Apesar disso, o gestor municipal pontua que a relação é amistosa e  muito boa. “A gente vê o interesse. As coisas que não dependem de recurso estão sendo realizados, como a emissão de licenças. Agora recursos novos, não temos nenhum, é zero”, enfatiza Percival, reforçando que já esperava um cenário complicado em razão da situação financeira do Estado

Categorias:Jogo do Poder

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

2 × três =