PAULO BOMFIM: São descabidos ataques da Prefeita Thelma aos vereadores que votaram pela cassação do mandato da Prefeita de Chapada

Thelma, a prefeita

A Rainha da mentira e o retorno à “Era Goebbels” – A princípio, sem princípios

Por Paulo Bomfim

A princípio, registro lisonjeado, os agradecimentos aos amigos(as) e leitores(as) que manifestaram a gentil e generosa cobrança de ver este singelo escriba dar prosseguimento ao último artigo, com uma reflexão mais profunda, sobre estes aspectos dos caminhos da mentira e verdade, no contexto político social, discorrendo sobre os momentos atuais de nosso País e que, como não poderia deixar de ser, também abarcam a nossa cidade de Chapada dos Guimarães.

Na ocasião, rememoro, começamos navegando pela filosofia de Parmênides, flutuamos pelos recônditos de Milan Kundera e na tentativa de alguns agentes políticos que apresentam-se na condição de “insuspeita autoridade legítima”, de negacionista oficial da História, o que considero como apenas mais uma cortina de fumaça, lançada por esta estrutura política miliciana que tomou o Brasil de assalto, onde já somam-se 13 milhões de brasileiros desempregados e mais de 25 milhões de pessoas no subemprego e não há uma palavra sequer sobre o assunto.

Com a Economia do País em franco declínio com previsões de recessão e de Produto Interno Bruto – PIB, em plena queda livre, previstos em torno de pífios 1% para 2019, peço licença a generosidade dos senhores(as) leitores(as), para que permitam-me reprisar esta parte do texto do artigo anterior.

….” Os líderes mentirosos, por sua “superior inteligência e sagacidade”, estão “nadando de braçada”, baseando-se na premissa de que sua propaganda, sob tais condições, podem fazer as pessoas acreditarem nas suas afirmações, as mais fantásticas e absurdas possíveis em um dia e que, no dia seguinte, caso sejam oferecidas provas irrefutáveis ​​de sua falsidade, estas mesmas pessoas irão refugiar-se no cinismo da fé cega e, antes de quaisquer reflexão sobre a conveniência de abandonarem estes líderes mentirosos. Estas mesmas pessoas, pelo contrário, estarão negando e protestando, manifestando-lhes admiração….”

Ainda, no contexto da contemporaneidade, na esteira das recentes discussões estéreis que, na verdade são tentativas espúrias de falsificação da história para entreter aos incautos, sobre se o nazismo/fascismo é de esquerda ou direita, hoje vamos ancorar na verdade quase absoluta de que Adolf Hitlero Führer(líder) levou, solitariamente, a má fama, mas o grande expoente e baluarte doutrinário do nazismo foi Paul Joseph Goebbels.

Consta dos compêndios que a palavra propaganda apareceu pela primeira vez em 1622, quando o Papa Gregório XV convocou uma comissão de cardeais – a Congregatio Propaganda Fiade – para difundir a palavra cristã em missões estrangeiras. Durante 300 anos, a palavra propaganda induzira o interesse de muita gente pelo mundo. Mas foi só a partir do primeiro encontro entre Adolf Hitler e Joseph Goebbels que os estudos sobre a capacidade de manipular as massas, na teoria e na prática, começaram a se desenvolver cientificamente. Surgem as primeiras estratégias do que hoje chamamos de marketing, para difundir as ideias do nacional-socialismo. As práticas mais modernas do marketing, baseadas em pesquisas nas emoções humanas mais do que na razão, têm seu berço no nazismo.

Em 1924, Goebbels aderiu ao Partido Nacional-Socialista (Partido Nazista). Em ascensão, empreendeu carreira meteórica, sendo logo escolhido por Hitler para ser líder na capital, Berlim. Em 1927, fundou a Der Angriff (O Ataque), jornal semanal nazista. Nessa esteira, assumiu o posto de diretor nacional de propaganda do Partido.

Quando Hitler tornou-se chanceler da Alemanha, em 1933, nomeou Gobbels para o cargo de Ministro da Propaganda na Alemanha Nazista. Uma posição de extrema importância no seu governo, pois dependia das suas notáveis capacidades oratórias em público e pelo seu profundo e fanático anti-semitismo, com sua crença na conspiração internacional judaica, que o teria levado a apoiar o extermínio dos judeus no Holocausto.

Um exímio estrategista da manipulação, Goebbels, associado e devoto apoiante de Adolf Hitler, tornara-se um poderoso político na Alemanha,  em cuja doutrina a humanidade pode e deve prestar muita atenção; vejam bem, não falo em render homenagens.

Na divulgação do nazismo incrementou a função/teoria de que uma avalanche de mentiras pode e deve tornar uma população impotente para resistir ao convencimento da propaganda oficial. Cabia ao seu ministério o controle de toda a produção jornalística da Alemanha, acarretando forte censura e perseguição a jornalistas judeus e de outros grupos de oposição.

Sob ordens de Hitler, Goebbels convocou a população a boicotar negócios judeus. Incentivou e organizou a queima de livros considerados “não alemães”, o que mais uma vez atacava a população judia, pois, para o ministro da propaganda, “a era do intelectualismo judaico extremo chegou ao fim”. Goebbels tornou-se temido, sobretudo, por esse setor da população, que assistia, no início da década de 1930, o avanço dos discursos de ódio.

Durante a Segunda Guerra Mundial, o uso da propaganda pelos nazistas ficou ainda mais intenso e, pelos cinco continentes espalhava-se como rastilho de pólvora: derrotas tornavam-se vitórias, discursos enaltecedores do Führer e da Alemanha eram feitos e a população convocada a combater os inimigos: judeus, ciganos, comunistas e aliados.

Em 1943, diante da pressão Aliada pela rendição alemã, a ideia de “guerra total” passou a ser divulgada. Esperava-se assim mobilizar todos os recursos – físicos, econômicos e militares – possíveis a fim de garantir a vitória nazista. Não tiveram sucesso.

Goebbels possuía um poder excepcional, tanto que foi o indicado pelo Führer para sucedê-lo e, após a morte de Hitler, assumiu a liderança do Terceiro Reich, tendo exercido o cargo de chanceler por apenas um dia. Diante da derrota cada vez mais próxima, seguiu o caminho de Hitler, após envenenar seus seis filhos, cometeu suicídio com sua esposa, Magda Goebbels.

Goebbels foi o verdadeiro poder por trás do trono no submundo nazista. A capacidade inquestionável de Goebbels era a manipulação e identificação de vários mecanismos de sugestão, o que lhe permitiu implementar táticas manipulativas altamente eficazes.

Goebbels foi o grande “gênio” responsável pela divulgação das ideias nazistas e da criação da imagem de Hitler como o Führer. O seu trabalho e de toda sua equipe, consistia na criação de cartazes, filmes, agitações na rua e outras formas de compatibilizar as ideias que eram defendidas pelos nazistas e os “sentimentos” da população comum, a quem necessitavam convencer. Jornais, rádio, filmes, teatro, literatura, música e artes: todas as formas de mídia disponíveis no período foram utilizadas por Goebbels e pela “grandiosa” máquina(do mal) de propaganda nazista.

A propaganda, segundo Goebbels, é composta por onze pilares ou princípios, em que destaco os dois que considero principais:

Princípio da vulgarização: “Toda propaganda deve ser popular, adaptando seu nível ao menos inteligente dos indivíduos a quem é dirigida. Quanto maior a massa a ser convencida, menor deve ser o esforço mental. A capacidade receptiva das massas é limitada e sua compreensão é escassa; além disso, a massa tem grande facilidade para esquecer e;

Princípio da orquestração: “A propaganda deve ser limitada a um pequeno número de ideias e repetida incansavelmente, apresentada repetidas vezes a partir de diferentes perspectivas, mas sempre convergindo para o mesmo conceito. Nenhuma fissura ou dúvida.

Os esquemas de manipulação implementados por Goebbels continuam em pleno vigor e sendo usados ​​na política para capturar a consciência dos cidadãos como o pensamento marginal de que política é um jogo de trapaça. Não o é.

Não tenho como intuito cansar o ilustre leitor/a com divagações, mas preciso voltar ao tema da importância atual no Brasil da mentira como “Instrumento legítimo da ação política”.

Quando pensamos já termos visto de tudo eis que surgem as surpresas.

Os fatos, com todas as circunstâncias, são muito mais severos e emblemáticos. Mas como não sou um profissional da mente, deixo a bola” para os Psicólogos e Analistas, Psicoterapeutas, que tem todo o embasamento técnico cientifico de análise. Deter-me-ei nas questões da política legislativa e administrativa.

Para o início, quero deixar registrado que por mais que as diversas ruas, travessas, vielas, avenidas, as estradas, bueiros, fossas sépticas, mangueiras, cantos e recantos de Chapada dos Guimarães estejam afirmando o contrário, não acredito que Prefeita Thelma de Oliveira seja uma simples ladra do dinheiro público!

Para seu enriquecimento pessoal não, mas os desmandos e malversações do dinheiro público servem à manutenção de um “sistema político corrupto, perverso e de seus esquemas”, o que faz muito mal à toda sociedade.

Não está agindo como deveria.

Como não poderia ficar de fora da “festa da mentira nacional”, a nossa Chapada dos Guimarães tem a sua representação maior, nesta grande balbúrdia nacional, na pessoa da Prefeita, Sra.Thelma de Oliveira, cujo componentes principais é a sua espantosa capacidade de dissimulação, manipulação e destreza com as escaramuças das trapaças políticas e, enfim com o seu grande traquejo para com as mentiras.

Segundo escritos de trabalhos Acadêmicos, elaborados por profissionais, há quatro tipos de mentiras; a social, utilitária, patológica e existencial. Mentiras são mentiras, porém as duas primeiras, possuem capacidades limitadas de abrangência. Já as mentiras patológica e existencial são de amplo espectro e causa de grande destruição pessoal e coletiva.

As pessoas mentirosas patológicas simplesmente não conseguem ficar um minuto sem dizer uma mentira. As pessoas mentirosas, existenciais, são um dos maiores problemas do nosso tempo. Esta mentira existencial, pode ser considerada como a Rainha das Mentiras. Ocorre quando o agente mentiroso acredita ser algo que não corresponde à sua própria essência. Essa mentira também chamada de coletivista ou absoluta passa a ser considerada mais verdadeira que a própria realidade. É como se existisse um gênio enganador que ocultasse ao mentiroso as verdades sobre ele mesmo e sobre o mundo que o cerca.

Ao permitirmos que a mentira existencial se estabeleça, temos como consequência o império do autoengano e o reino do imbecil coletivo. A mentirosa existencial atua como se soubesse o que não sabe e como se não soubesse o que está careca de saber. Ela mente, antes de tudo, para si mesmo; e crê cegamente na própria inverdade; vivendo imersas, o tempo todo na mentira existencial e, em nosso tempo, são cada vez mais numerosas. Constituem-se em cúmplices perfeitos para os psicopatas, os corruptos e os bandidos de toda espécie. Quando a pessoa mentirosa existencial desconfia que está enganando a si mesma, acontece como no poema Tabacaria, de Fernando Pessoa: …”Quando quis tirar a máscara, estava pegada à cara. Quando a tirei e me vi ao espelho, já tinha envelhecido”…

Quando, no ato de tirar a máscara, a pessoa mentirosa descobre que a máscara está colada ao próprio rosto surgem, mais do que depressa, hordas de outras pessoas mentirosas para convencê-la de que a sua máscara é o seu verdadeiro rosto:

A pessoa mentirosa existencial é sempre uma escrava da coletividade e da opinião alheia. Quando pilhada em flagrante delito, a primeira reação da mentirosa é culpar “a oposição, a sociedade”.

Mas como para Deus ninguém mente, a mentira existencial tem cura. A solução existe e está na sabedoria dos séculos. Na busca da transcendência, na firme decisão pela procura da força do “Laço Eterno do Coração Divino”, ao qual estamos todos unidos.

Para acreditar nas mentiras que estão sendo propaladas é preciso que os moradores de Chapada dos Guimarães percam a noção das proporções, que a realidade impõe.

O caráter individual é fundamental. As pessoas com bom caráter são guiadas por bons princípios A ausência de bons princípios gera a busca por vitória e sucesso a qualquer custo. No Brasil estão relativizando os bons princípios. Princípios cristãos de igualdade, de união e amor ao próximo, estão em desuso. Hoje os princípios são utilitários são uma realidade e estão na moda política. Vale tudo menos a verdade.

Todos são convidados a viver a política com a visão realista que Yeshua de Nazaré tinha da sociedade: ‘’Aqueles que têm poder nesse mundo exercem o poder com dominação e autoritarismo. E ainda querem se fazer passar por benfeitores! Entre vocês, não será assim. Quem quiser ser o primeiro, quem quiser mandar, seja o servidor do último” (Lucas 22,24-27).

É POSSÍVEL OBTER ÊXITOS E VITÓRIAS POLÍTICAS RESPEITANDO O PRÓXIMO. O que está acontecendo é um escárnio com o povo que vive em Chapada dos Guimarães. Não é apenas chocante por sua ignorância, má-fé e cinismo, mas é também infame quando consideradas as responsabilidades inerentes de Chefe do Executivo Municipal como Prefeita da Cidade.

É um estelionato político. Sempre com desculpas e discursos prontos, muito superficiais, sem compromisso nenhum com a verdade.

Governar é ter coragem para efetivar as reformas necessárias. Esta cidade está dividida, tornando-se explosiva, insegura e insustentável, não interessa aos 99%, que moram nela.

A cidade cooperativa, solidária, diversa, humana, pacífica e criativa sim, interessa. A construção é lenta, não se conserta 50 anos de desmandos em 4 anos mas, não temos escolha.

Temos que ter coragem para a ação. E esta ação começa com a coragem para expor a verdade à sociedade.

Defendo com extrema convicção o fato de que, para fortalecer a democracia local, é imperiosa a necessidade de erradicar o analfabetismo urbanístico entre os moradores da cidade, bem como, também, promover-se este conhecimento nas mídias convencionais, alternativas e sociais.

As cidades são fundamentais como instâncias participativas na democracia. Os conhecimentos científicos, técnicos, urbanísticos e ambientais, são fundamentais para combater a manipulação dos investimentos públicos e da legislação urbanística, em benefício de poucos, constituindo-se na indelével corrupção urbanística.

Joair, Aline e Rosa, os vereadores da Comissão Processante

 

É absurdamente esquizofrênica as insinuações da Prefeita da Cidade, Sra. Thelma de Oliveira que, em Nota Oficial, tentou diminuir e resumir em entrevistas às mídias, em nível apenas de:….disputas políticas visando as próximas eleições de 2020 tenham motivado as denúncias contra a sua gestão, com claro objetivo de prejudicar o município…..”, os trabalhos e decorrente Relatório Final da Comissão Processante do Processo de Cassação da Câmara Municipal de Chapada dos Guimarães.

A Senhora Prefeita Thelma de Oliveira está faltando com a verdade…. A Comissão Processante, instalada na Câmara de Vereadores, destinada à apuração de inúmeras irregularidades, desmandos e malversações do dinheiro público, cometidas pela atual administração, durante o exercício da gestão no ano de 2017 culminou, brilhantemente, com a aprovação do Relatório Final pelo Plenário da Câmara de Vereadores, em total de votos – 6 votos a 5, pelo afastamento e cassação da chefe do executivo.

A cassação não foi consumada devido ao fato de não terem sido atingido o quórum mínimo regimental de 2/3 dos votos – 8 (oito) votos, exigido pela Lei Orgânica Municipal.

Somente a Deus e aos envolvidos cabe saber por quais esgotos e fétidos pântanos, transitam e permanecem, os votos faltantes para o devido cumprimento do quórum mínimo regimental, sendo certo que 1(um), desses 5(cinco) votos, foi agraciado com a nomeação de filho para a direção do SAAE – Sistema Autônomo de Água e Esgoto.

Senhora Prefeita Thelma de Oliveira, posso testemunhar que os trabalhos e o relatório da Comissão Processante foram realizados com o máximo de isenção ética e política, pelo menos em sua parte majoritária.

A senhora Prefeita, quais são as suas condições morais e políticas para questionar os trabalhos da Comissão Processante da Câmara Municipal?

Convém, senhora Prefeita, lembra-la do fato que é de conhecimento público, de que a senhora responde ao Processo nº 45169 junto ao Supremo Tribunal Federal – STF, em decorrência da DELAÇÃO PREMIADA do Ex-Governador SILVAL BARBOSA – Termo de Declarações de números 12 E 28, com a denúncia de cobrança e recebimento de propina no valor de R$ 1.000.000,00 (Hum Milhão de Reais), pela Emenda Parlamentar destinada às obras da construção da Nova Estação de Tratamento – ETA e Rede de Abastecimento de Água de Chapada dos Guimarães, no período em que desenvolvia atividade parlamentar de Deputada Federal pelo Estado do Mato Grosso.

Senhora Prefeita, Thelma de Oliveira, com toda a certeza, tivesse a delação premiada ocorrida antes do processo eleitoral do ano de 2016, os eleitores da nossa cidade teriam a possibilidade de eleger uma outra pessoa, comprometida com a verdade e valores éticos superiores, para chefiar a administração pública da nossa cidade.

A maioria dos vereadores, tem dignidade e plena consciência de que o mandato conferido pelo sufrágio universal, expressos em votos e confiança da população, não são para prejudicar o município.

Muito pelo contrário, os vereadores, tem sim a obrigação de fiscalizar, indignar-se e lutar à favor da sociedade de Chapada dos Guimarães, contra os desmandos e malversações do dinheiro público, perpetrados pela gestão catastrófica estabelecida.

A senhora Prefeita, anseia que todos os 11(onze) vereadores não cumpram com as suas obrigações e missão de trabalhar pela coletividade, para agradar-lhe?

Senhora Prefeita, Thelma de Oliveira, a Câmara Municipal cumpriu os Dispositivos Legais estabelecidos na Lei Orgânica do Município.

Prefeita Thelma de Oliveira, foi de extrema infelicidade a divulgação de sua Nota Oficial, com a acusações aos comportamentos dos 6 tenazes e diligentes Vereadores alegando que eles teriam atuado: …”com claro objetivo de prejudicar o município….”.

“Não existe nenhum mérito em sermos corretos com nossos semelhantes. […] A verdadeira bondade do homem só pode se manifestar com toda a pureza e com toda a liberdade em relação àqueles que não representam nenhuma força”.

Milan Kundera

Vamos avançar. Continua. 2020 bate à porta!!!

 

 

Paulo Bomfim é cidadão brasileiro e eleitor de Chapada dos Guimarães

 

Comissão Processante defend… by on Scribd

Relatorio do Tribunal de Co… by on Scribd

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

2 × três =