PREFEITURA SANEAMENTO

Olhar Direto escalou repórter Ronaldo Pacheco para assinar matéria carnavalesca em que candidatura de Maggi ao governo volta a ser considerada como possível e forte. A dificuldade é Maggi ter a coragem de encarar o legado administrativo que deixou em Mato Grosso, corporificado em figuras como Éder Moraes, Vilceu Marchetti e Geraldo De Vitto

É tolo quem acredita quem Blairo Maggi vai deixar o sossego de sua posição em Brasília para encarar uma campanha eleitoral em que ele, necessariamente, terá que dar muitas e muitas explicações sobre os desvarios administrativos pelos quais hoje respondem na Justiça ou nos inquéritos policiais, ex-homens de ouro como Vilceu Marchetti, Geraldo De Vitto e Éder Moraes

É sonhador quem acredita quem Blairo Maggi irá deixar sua posição no Senado Federal, em Brasília, onde dispõe de mais quatro longos anos de mandato e de sossego, para encarar uma campanha eleitoral que se anuncia sangrenta em Cuiabá, em que ele, necessariamente, terá que dar muitas e muitas explicações sobre os desvarios administrativos pelos quais hoje respondem na Justiça ou nos inquéritos policiais, ex-“homens de ouro” como Vilceu Marchetti, Geraldo De Vitto e Éder Moraes – que se revelaram, tal qual o Villa retrata aquele ex-senador tucano, com pés de barro.

O repórter Ronaldo Pacheco, de longa tradição no jornalismo cuiabano mas sem experiência firmada no campo da análise política, parece que recebeu, nesta segunda-feira de carnaval, uma missão inglória: assinar mais uma matéria encorajando o ex-governador Blairo Maggi (PR) a esquecer os escândalos em que se atolou a sua primeira administração à frente do Governo do Estado, para se lançar novamente como candidato à sucessão do governador Silval Barbosa (PMDB). Cisca daqui, cisca dali, dispondo de nenhum dado objetivo e contando apenas com o fato objetivo da viagem em que Maggi foi a Cuba, acompanhando o ex-presidente Lula, para cuidar dos seus milionários investimentos com as commodities, Pacheco – que ostenta o curioso apelido de Pachecada – só conseguiu produzir mesmo mais uma matéria carnavalesca que servirá para alimentar a índole diversionista de certos setores do grupo situacionista, até que venha o novo e repetitivo pedido de Maggi para que o esqueçam. Para um jornalismo que fez prosperar, recentemente, o cômico factóide de um Hitler papa-goiaba, em boa hora identificado pelo experiente Mário Marques, até que Ronaldo Pacheco soube se manter dentro dos padrões.  Confira o noticiário. (EC)

Blairo Maggi pede a Lula tempo para decidir, mas tendência é de que seja candidato a governador de MT

Da Redação – Ronaldo Pacheco, no OLHAR DIRETO

Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula

Blairo Maggi pede a Lula tempo para decidir, mas tendência é de que seja candidato a governador de MT

A semana que passou ao lado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) fez com que o ex-governador e atual senador Blairo Maggi (PR) admitisse “refletir melhor” sobre uma eventual nova candidatura a governo de Mato Grosso, nas eleições deste ano. Ele foi com Lula para Cuba e recebeu tratamento de chefe de Estado, ao apresentar alternativas para melhorar a produtividade de soja e corrigir a deficiência energética da ilha.

Em verdade, Lula está de olho é na contribuição que Blairo tem condições de oferecer para a reeleição da presidenta Dilma Rousseff (PT), que vislumbra um páreo duríssimo com outros dois presidenciáveis – o senador mineiro Aécio Neves (PSDB), neto do ex-presidente Tancredo Neves, e o governador Eduardo Campos (PSB), de Pernambuco, neto do ex-governador Miguel Arraes.

Maggi pediu “um tempo” para Lula e ao seu próprio partido, o PR, ante de se iniciar as discussões dentro do grupo de agremiações que compõem o arco governista – atualmente, PMDB, PT, PR, PSD, PP, PC do B, Pros, PSC e PRB. “Sem a sua candidatura, as coisas se complicam. E tanto Mato Grosos quanto a Dilma necessitam de você”, teria repetido Lula, durante a viagem a Cuba.

Para embasar sua tese, o ex-presidetne Maggi venceu as eleições para governador do Estado em 2002 com 51% dos votos, no primeiro turno. Depois, em 2006, se reelegeu governador de Mato Grosso com 69,59% dos sufrágios. Já em 2010 conquistou a vaga de senador com 66% dos votos, conquistando votação maior que o próprio governador Silval Barbosa (PMDB), seu companheiro de chapa.

“Eu não tenho dúvidas em afirmar que o senador Blairo pensa seriamente na candidatura”, revelou o deputado estadual Mauro Savi (PR), para interlocutores privilegiados, sem pedir ‘off’. O que pesa para ‘sim’ do senador republicano é o fato de, em sendo candidato, ser obrigado a responder por estripulias e possíveis irregularidades cometidas por assessores, no seu mandato.

Como é certa a candidatura do senador José Pedro Taques pelo PDT, com apoio de Democratas e tucanos, entre outros, deve acontecer um choque de titãs, nas urnas, em outubro. E o cenário bem peculiar: Maggi X Taques.

Outra sinalização da candidatura de Maggi é a hipótese cada vez mais clara de desincompatibilização do governador Silval Barbosa (PMDB), adversário do senador Jayme Campos (DEM) para o Senado. A única dúvida reside no fato de pesquisas de opinião pública sobre tendência do eleitorado, para consumo interno dos partidos governistas, supostamente apontarem que uma candidatura de Silval a qualquer cargo arrastaria um desgaste enorme a seu aliado.

A reportagem do Olhar Direto tentou vários contatos por telefone e e-mail com Blairo Maggi. Sua assessoria ficou incumbida de tentar contatá-lo no decorrer dos próximos dias para atender às perguntas da reportagem.

 

Ronaldo Pacheco, repórter com longos anos de atividades nos bastidores da política de Mato Grosso. Dessa vez, infelizmente, acho que ele apresentou uma análise rala dos embates políticos que marcam os bastidores da sucessão em Mato Grosso

Ronaldo Pacheco, repórter com longos anos de atividades e bom trânsito nos bastidores da política de Mato Grosso. Dessa vez, infelizmente, acho que ele apresentou uma análise rala dos embates políticos que marcam os bastidores da sucessão em Mato Grosso

Categorias:Direito e Torto

4 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 179.118.78.201 - Responder

    Engraçado esse site, para apoiar o Julier o Blairo é top né Enock? Vamos fingir que em 2010, no auge do escândalo dos maquinários, o Blairo não teve mais de um milhão de votos, se elegendo como primeiro ex governador direto senador e colocou seu vice em seu posto. Tudo isso com bençãos sagradas da elite petista Enock! Blairo é o maior candidato com chance de se eleger, pergunte a Dilma ou Lula.

  2. - IP 189.59.54.67 - Responder

    Este senador nada fez no governo,as estradas PPP alardeadas a prosa e verso pelo bajulador-mor, o Pagot do DNIT,já se desmancharam. TODAS,é só pegar a lista das que foram feitas,na Sinfra, e pautar um repórter para percorrer esses trechos.Vão verificar o horror.Na segurança,sua maior obra foi proteger o “queridinho”,cel.Neuwack.Na saúde,nem um grande hospital ou pronto-socorro foi edificado aqui na baixada.Na educação além dos escândalos,NADA foi feito.Por que então pregam a volta dele. É que a mesma turma que mamou , quer mamar mais.O Pagot vai comandar o malfeito,com certeza.

  3. - IP 201.24.144.74 - Responder

    Plêiade de vampiros, todos…. inclusive os blogs e a mídia de um modo geral… vivemos em um país que a grande maioria da população não passa de um bando de canalhas… desgraçadamente…

  4. - IP 177.203.42.171 - Responder

    ‘Chega a ser nojento ler essas matérias do Ronaldo Pacheco, babando ovo para os poderosos. “Briga de Titâns” e outros adjetivos desnecessários para um decano que precisa lamber bota de Taques e dos mendonças para pagar a pensão dos filhos. Toma vergonha na cara Pacheco, vc envergonha o jornalismo mato-grossense.

Deixe uma resposta para Osmir    ( cancelar resposta )

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

dezessete + 3 =