O tucano Marconi Perillo ruma para o abate

O tucano Perillo ruma para o abate
Por Altamiro Borges

O PSDB tem feito de tudo para livrar a cara do governador de Goiás, Marconi Perillo, acusado de estreitas relações com o mafioso Carlinhos Cachoeira. Até José Serra jurou em entrevista que daria “um voto de confiança” ao amigo – ele também queria Arruda, ex-governador do Distrito Federal preso por corrupção, com o seu “vice-careca”. Mas com a instalação da CPI, o tucano metido a “ético”, que até já sonhou em ser presidente da República, parece caminhar para o abate.
Num primeiro momento, Perillo negou ter transformado o governo estadual numa repartição da quadrilha, com a nomeação de vários aspones do mafioso para cargos públicos. Nesta semana, porém, ela admitiu uma “pequena” influência de Cachoeira em seu governo, segundo matéria de Josias de Souza, da Folha. A confissão pode significar o enterro definitivo do tucano.

Pacote com R$ 500 mil

Desde os primeiros vazamentos dos grampos da Operação Monte Carlo da Polícia Federal, Marconi Perillo já ceifou a cabeça de três auxiliares próximos: sua chefe de gabinete, Eliane Gonçalves Pinheiro; o presidente do Detran-GO, Edvaldo Cardoso; e o procurador-geral do Estado, Ronald Bicca. A tentativa de sair do foco do escândalo, porém, não conteve a sangria.

As denúncias continuam a pipocar. Ontem, vários veículos noticiaram que um pacote recheado de dinheiro teria sido entregue em plena sede do governo goiano. Escutas da Polícia Federal levantam a suspeita de que a grana foi enviada pelo mafioso Carlinhos Cachoeira. O próprio “Jornal da Globo” especulou que o valor enviado ao  Palácio das Esmeraldas teria sido de R$ 500 mil.

A aparente tranquilidade do tucano

Diante da cachoeira de denúncias, o governador Marconi Perillo ainda tenta aparentar tranquilidade. “Eu não sou investigado. Só há algumas citações irresponsáveis em relação ao meu nome… O governo do Estado não tem envolvimento em nenhuma destas investigações da Operação Monte Carlo”. Ele também jura contar com a “absoluta solidariedade” do seu partido, o PSDB. Será?

Até Josias de Souza, o blogueiro da Folha, parece não acreditar na conversa fiada do governador tucano. Em tom irônico, ele conclui seu artigo: “Como se vê, Marconi Perillo defende-se com a segurança retórica de alguém que, tendo caído de um edifício de dez andares, solta fogos ao passar pelo sétimo pavimento: Até aqui, tudo bem”

Categorias:Jogo do Poder

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

5 × 2 =