gonçalves cordeiro

O sociólogo Rudá Ricci, ex-petista, e o impacto do julgamento do Mensalão

PARA VER O “ENTRE ASPAS”, DA GLOBONEWS, CLIQUE NO LINQUE ABAIXO
http://globotv.globo.com/globo-news/entre-aspas/v/especialistas-falam-sobre-julgamento-do-mensalao-e-seu-impacto-na-politica-brasileira/2181228/

 

Algumas observações complementares de Rudá Ricci:

Não me sinto nada confortável, como fundador do PT que fui, de acompanhar esta tragédia que assola uma das promessas mais profícuas da política brasileira, em toda história republicana. Me angustia, ainda, ver o envolvimento de Genoíno, com quem convivi na década de 1980 quando das articulações que envolviam a esquerda petista, que surpreendentemente se contrapunham ao projeto de José Dirceu. Genoíno sempre foi absolutamente íntegro e cordato. Se deixou envolver por quem, um dia, combateu, possivelmente por cansaço de estar sempre do lado minoritário da direção do partido.
Este, contudo, não é o caso de José Dirceu e, muito menos, Delúbio Soares. Mas Delúbio é uma figura menor, um operador sem expressão própria.
É um péssimo recurso a fulanização da política, porque reduz uma ação nobre a um folhetim de quinta categoria. Para um sociólogo, seria mais importante compreender as motivações que levam um partido inovador a se tornar um esteio da ordem patrimonialista.
Mas sei bem o que Zé Dirceu representou na guinada do PT. Ele foi o principal motivador para meu afastamento (doloroso, confesso) do PT. Imagino que tenha me tornado mais cético desde então e o brilho da utopia que me guiou na juventude ficou mais opaco.
O que quero dizer é que, antes mesmo do mensalão vir à tona, Zé Dirceu já tinha desmantelado parte dos sonhos daqueles petistas que nunca sentiram atração pelo pragmatismo político e muito menos pela burocratização ou controle partidário desde cima. Ele foi o artífice da destruição da novidade que o PT representava. Sem dúvida, fez o PT ser uma das grandes legendas nacionais. Mas tal crescimento custou caro. Custou a novidade. Custou uma promessa de uma esquerda mais arejada, criativa, enraizada no mundo real dos bairros, comunidades e empresas. O PT virou governo, mas perdeu a hegemonia cultural porque se rebaixou á mesmice.
Seria fantástico se o julgamento provocasse um debate franco entre petistas e toda esquerda tupiniquim. Mas já não tenho mais 20 anos. Não tenho motivos para acreditar que o brilho da utopia seja mais forte que as cores reluzentes do poder absoluto e domesticador.

fonte blog DE ESQUERDA EM ESQUERDA

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

3 × 5 =

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.