O QUE DÁ PRA RIR DÁ PRA CHORAR: Bosaipo já recebeu mais de R$ 1 milhão do TCE sem trabalhar, informa Midia News. Apontado como comparsa de Riva nos rombos da Assembleia, conselheiro Bosaipo recebe R$ 31,3 mil todo mês, enquanto seus processos se arrastam, há mais de 10 anos na Justiça. Quem entende caminhos e descaminhos da política, que favorecem Riva e Bosaipo e já colocaram no patíbulo o ex-federal Pedro Henry e o ainda vereador João Emanuel?

Humberto Bosaipo está afastado do Tribunal de Contas, por envolvimento em dezenas de processos que documentam rombos na Assembleia, mas continua recebendo gordos salários do Tribunal de Contas; Pedro Henry, condenado a sete anos de prisão no Julgamento do Mensalão em que o MP apresentou contra ele apenas indícios ralos; João Emanuel, flagrado em vídeo esquematizando mal-feitos na Câmara de Cuiabá, pode ter seu mandato de vereador cassado a qualquer momento; Geraldo Riva, afastado oficialmente da presidencia da Assembleia, continua manipulando cordéis do poder naquela Casa, nos bastidores e preserva seu mandato de deputado estadual, já que apesar das dezenas de processos contra ele, nem o MP nem as Ongs, nem os próprios colegas deputados questionaram a manutenção do seu mandato popular

Humberto Bosaipo está afastado do Tribunal de Contas, por envolvimento em dezenas de processos que documentam rombos na Assembleia, mas continua recebendo gordos salários do Tribunal de Contas; Pedro Henry, condenado a sete anos de prisão no julgamento tão manipulado do Mensalão em que o MP apresentou contra ele apenas indícios ralos; João Emanuel, flagrado em vídeo esquematizando mal-feitos na Câmara de Cuiabá, pode ter seu mandato de vereador cassado a qualquer momento; Geraldo Riva, afastado oficialmente da presidencia da Assembleia, continua manipulando cordéis do poder naquela Casa, nos bastidores e preserva seu mandato de deputado estadual, já que apesar das dezenas de processos contra ele, nem o MP nem as Ongs, nem os próprios colegas deputados questionaram a manutenção do seu mandato popular

 

 

A gente acessa a internet, vai no Google e pergunta pela situação de Humberto Bosaipo – que começou como assessor de imprensa que circulava em torno da família Campos e de seus correligionários, chegou a líder político no Estado, quando administrava os recursos da AL, sonhou até em ser governador e hoje é conselheiro afastado do Tribunal de Contas de Mato Grosso.

O Google nos joga na cara notícias variadas sobre Bosaipo – e todas elas contam histórias sobre o seu impedimento de atuar como conselheiro no Pleno do Tribunal de Contas. É uma situação esdrúxula, pois não? Um conselheiro que tem a responsabilidade de apontar a probidade ou a improbidade de gestores públicos dos mais variados escalões do serviço público de Mato Grosso, vive afastado de suas funções justamente sob a acusação de improbidade.

A história deste afastamento começou em 2011, conforme nos lembra, no Google, uma reportagem de Patrícia Sanches e Andréa Haddad:

 

“STJ acata 7 denúncias e renova afastamento de Bosaipo do TCE

http://www.rdnews.com.br/judiciario/stj-acata-7-denuncias-e-renova-afastamento-de-bosaipo-do-tce/33459

O STJ recebeu nesta quarta (7 de março de 2012) sete denúncias contra o conselheiro afastado do TCE, Humberto Bosaipo, acusado de peculato e lavagem de dinheiro. Os crimes teriam sido praticados no período em que presidiu a Assembleia. O órgão também renovou por mais um ano o afastamento do conselheiro, fora do cargo desde de 16 de março de 2011. “Julgo que a medida cautelar, seja pela natureza da acusação, pela quantidade de indícios em desfavor do réu ou até mesmo pelo fato de se tratar de infrações relativas a crimes praticados em detrimento do erário”, diz trecho do voto do relator do caso, Francisco Falcão.

Ao se posicionar pelo acolhimento das denúncias, o ministro ressaltou que a empresa Prospecto Publicidade e Eventos Ltda. existe apenas formalmente, pois não recolheu tributos, nem tem inscrição regular, bem como endereço de funcionamento. Conforme a denúncia do MPF, Bosaipo teria criado empresa de fachada para embolsar cheques emitidos pela Assembleia sem que os serviços fossem prestados.

Em 16 de março de 2011, o conselheiro foi afastado quando o STJ acolheu outra denúncia do MP referente à investigação da Operação Arca de Noé. Bosaipo responde a 20 ações penais pela suposta prática de cerca de mil crimes de peculato, lavagem de dinheiro e quadrilha. Segundo depoimentos, ainda serem confrontados com a defesa, o ex-deputado assinava os cheques e os levava pessoalmente à Confiança Factoring, de propriedade do bicheiro João Arcanjo Ribeiro, que estaria na ponta do esquema.

Além disso, conforme relatório do Banco Central, o destinatário final dos cheques era justamente Bosaipo. Para o relator, os indícios são suficientes para apontar o suposto envolvimento do ex-deputado nos crimes. “Pela quantidade de indícios em desfavor do réu ou até mesmo pelo fato de se tratar de infrações relativas a crimes praticados em detrimento do erário, se encontra perfeitamente justificada, até mesmo para preservação da respeitabilidade da Corte de Contas perante a sociedade mato-grossense”, disse Falcão, sobre o afastamento.”

 

Vejam que o relato que fazem as repórteres do RD News, tratando das decisões do ministro Francisco Falcão, atual corregedor do Conselho Nacional de Justiça, é impactante, e não fala de suposições, pelo contrário, fala de provas robustas, reunidas e juntadas ao processo pelo Ministério Público Estadual.

Vejam que, por muito menos, condenado por indícios ralos, o ex-deputado Pedro Henry, foi condenado a mais de 7 anos de prisão no julgamento do Mensalão e cumpre pena em Cuiabá. Por que só o Pedro Henry?!

No entendo, o tempo passa, o tempo voa – e o julgamento, ou os julgamentos de Bosaipo, parece que não avançam.

Pelo que relata Francisco Falcão está bem documentado que, no caso cita da reportagem, Bosaipo assinava cheques em nome de uma das muitas empresas fantasmas utilizadas pelo esquema – a Prospecto Publicidade e Eventos Ltda – e os levava pessoalmente à factoring do bicheiro João Arcanjo Ribeiro e embolsava o dinheiro. A Assembleia Legislativa pagava a Prospecto que acabava, no final das contas, segundo o relato processual, pagando a Bosaipo. (E isso, sabemos nós, dadad as noticias relativas a dezenas de outros processos, sempre de autoria do insuspeito Ministério Público Estadual, acontecia outras e outras vezes, envolvendo outras empresas fantasmas e sempre a mesma factoring do mesmo bicheiro e sempre os cofres da mesma Assembleia, quando colocado sob a administração de Bosaipo.)

A mais “severa” punição contra Bosaipo, até agora, foi seu afastamento do Pleno do Tribunal de Contas. Neste domingo, no Midia News, Laise Locatelli nos informa que, enquanto espera pela conclusão de seus julgamentos, Bosaipo já faturou mais de um milhão sem trabalhar.

Seus colegas conselheiros do TCE, vejam só que maravilha, não viram até agora razão suficiente para acionar o Conselho de Ética do Tribunal para analisar a situação de Bosaipo. Ele responde a uma carrada de processos por improbidade (corrupção, no juridiquês) mas é mantido lá, integrando aquele conselho respeitável. Fico me perguntando se o TCE tem algum tipo de Conselho de Ética. Ou será que Ética que coisa que pouco importa naquele ambiente que é uma espécie de paraíso para políticos que vão, faustosamente, saindo de cena?

Vejam que os processos contra ele nem bem começaram, e o vereador João Emanuel já tem diversos pedidos de cassação contra ele listados na Câmara Municipal de Cuiabá. Por que só o João Emanuel?

Confira o noticiário. (EC)

———————

Bosaipo já recebeu mais de R$ 1 milhão do TCE sem trabalhar
Conselheiro está afastado do cargo há quase três anos
LAÍSE LUCATELLI
DO MIDIA NEWS

http://www.midianews.com.br/conteudo.php?sid=1&cid=186329

 

O conselheiro Humberto Melo Bosaipo está próximo de completar três anos afastado do Tribunal de Contas do Estado (TCE). O primeiro afastamento foi em 16 de março de 2011, determinado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). Desde então, o afastamento está renovado e ele continua impedido de trabalhar.

Nesses 34 meses, Bosaipo recebeu cerca de R$ 820 mil em salários, e R$ 246 mil em auxílio-moradia, perfazendo um total de mais de R$ 1,065 milhão. Por mês, ele recebe R$ 31.352,92, sendo R$ 24.117,63 de salário e R$ 7.235,29 de auxílio moradia.

Durante esse período, os processos sob a relatoria de Bosaipo foram julgados pelo auditor-substituto de conselheiro Luiz Henrique Lima. A partir de fevereiro, o auditor Luiz Carlos Pereira assumirá a relatoria dos processos.

Segundo a assessoria de imprensa do TCE, o afastamento de Bosaipo não causou prejuízo ao órgão, já que há um quadro de substitutos para os conselheiros.

Enquanto a Justiça não definir pela condenação ou pela absolvição de Bosaipo, o conselheiro deve continuar nessa situação – sem poder trabalhar, mas recebendo por isso. O TCE não pode aposentá-lo por conta própria, pois ainda faltam 10 anos para que ele atinja a idade-limite de 70 anos.

Humberto Bosaipo assumiu a cadeira no TCE em dezembro de 2007, indicado pelo Poder Legislativo, e passou pouco mais de três anos no cargo até ser afastado.

Acusação

Somente no STJ, tramitam contra ele 10 ações. O primeiro afastamento do TCE foi por causa da ação penal resultante da Operação Arca de Noé, deflagrada em 2002 pela Polícia Federal, que acabou resultando na prisão de João Arcanjo Ribeiro.

A denúncia aponta que o conselheiro, que na época era deputado estadual, e outros dez denunciados, entre eles o deputado José Riva (PSD), causaram prejuízo de mais de R$ 2,6 milhões aos cofres do Estado.

Eles são acusados de se apropriar de dinheiro público em um suposto esquema no qual seriam fraudados pagamentos à Assembleia Legislativa, por meio da emissão de cheques para empresas inexistentes ou irregulares.

Documentos enviados à Justiça Federal apontam que mais de R$ 65 milhões oriundos da Assembleia teriam circulado pelas contas da Confiança Factoring Fomento Mercantil Ltda, empresa pertencente ao grupo empresarial de Arcanjo.

Bosaipo chegou a ter os bens bloqueados pela Justiça, no ano passado, mas conseguiu a liberação.
FONTE MIDIA NEWS

4 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 177.142.99.71 - Responder

    Um foi julgado pela corrupta justica local,outro pela maioria dos ministros do STF,nomeados pelo PT.Simples assim!

  2. - IP 201.24.144.24 - Responder

    Deu na gazeta de hoje:

    Tentáculos
    Estranhamente o nome de
    Fernando Mendonça apontado
    como financiador do senador
    Pedro Taques (PDT) e que
    estava filiado ao partido em
    Várzea Grande teria sido
    sacado, segundo registro
    contido na Justiça Eleitoral,
    logo após a deflagração da
    Operação Ararath. Mendonça
    é um dos citados pela
    denunciadora, Karina
    Nogueira.

  3. - IP 200.96.182.146 - Responder

    Na matéria abaixo (sobre rolezinho nos shopings) vê que o judiciário quando quer ser rápido e ágil é (desde que somente pobre seja prejudicado), já para fazer a devida justiça o colegiado estadual é uma vergonha, mas querem saber de uma coisa, vão a merda brasileiro é 99% ladrão ou omisso, tem o que merece. Digo um 1% não merece isso (1% que branda, mas ninguém quer ouvir).

  4. - IP 177.201.97.123 - Responder

    Essas 4 figuras abjetas , sào em suma a mesma e infame representação do que de pior os eleitores néscios e inconsequentes , colocam no poder.

Deixe uma resposta para Napoleão    ( cancelar resposta )

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

19 + doze =