O HORROR! O HORROR! – Deputado tucano Carlos Mosconi, presidente da Comissão de Saúde da Assembleia, é denunciado na Carta Capital por possivel ligação com máfia do tráfico de orgãos em Minas Gerais. Mídia mineira e brasileira faz operação abafa. Masconi foi assessor especial de Aécio, quando este governava Minas

Uma petição pública que corre na internet pede que o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) volte a investigar nove médicos membros de uma suposta quadrilha de tráfico de órgãos em Poços de Caldas, no Sul de Minas, e apure a participação do deputado estadual Carlos Mosconi (PSDB), atual presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, no esquema

Deputado tucano é acusado de tráfico de órgãos

A revista Carta Capital divulga matéria estarrecedora: o presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, o deputado do PSDB Carlos Mosconi, estaria ligado à máfia de transplante de órgãos no estado.

Carta Capital denuncia o silêncio criminoso da imprensa mineira, “controlada a pulso de ferro pelo governador mineiro” – escreve o autor da reportagem Leandro Fortes. Diz ainda que, depois que o nome do deputado veio a tona na investigação, estaria havendo um complô para afastar o juiz Narciso de Castro do processo. Mosconi está no quarto mandado e foi assessor do governador Aécio Neves. Mas o escândalo só está circulando nas redes sociais. Eis o artigo, publicado na quarta (17).

“Querem trocar o juiz, após vir à tona nome de tucano”

Sozinho, escondido em Londres, na Inglaterra, depois de ter conseguido asilo humanitário na Itália, em 2008, o analista de sistemas Paulo Pavesi se transformou no exército de um só homem contra a impunidade dos médicos-monstros que, em 2000, assassinaram seu filho para lhe retirar os rins, o fígado e as córneas.

Paulo Veronesi Pavesi, então com 10 anos de idade, caiu de um brinquedo no prédio onde morava, e foi levado para a Irmandade Santa Casa de Poços de Caldas, no sul de Minas, onde foi atendido pelo médico Alvaro Inhaez que, como se descobriu mais tarde, era o chefe de uma central clandestina de retirada de órgãos humanos disfarçada de ONG, a MG Sul Transplantes. Paulinho foi sedado e teve os órgãos retirados quando ainda estava vivo, no melhor estilo do médico nazista Josef Mengele.

Na edição desta semana de CartaCapital, publiquei uma reportagem sobre o envolvimento do deputado estadual Carlos Mosconi (PSDB) com a chamada “Máfia dos Transplantes” da Irmandade Santa Casa de Poços de Caldas.

Mosconi, eleito no início do ano, pela quarta vez consecutiva, presidente da Comissão de Saúde (!) da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, foi assessor especial do senador Aécio Neves (PSDB-MG), quando este era governador do estado. Aécio o nomeou, em 2003, presidente da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (FHEMG), à qual a MG Sul Transplantes, idealizada por Mosconi e outros quatro médicos ligados á máfia dos transplantes, era subordinada.

As poucas notícias que são veiculadas sobre o caso, à exceção da matéria de minha autoria publicada esta semana, jamais citam o nome de Carlos Mosconi. Em Minas Gerais, como se sabe, a imprensa é controlada pela mão de ferro do PSDB. Nada se noticia de ruim sobre os tucanos, nem quando se trata de assassinato a sangue frio de uma criança de 10 anos que teve as córneas arrancadas quando ainda vivia para que fossem vendidas, no mercado negro, por 1,2 mil reais. Nada.

Esse silêncio, aliado à leniência da polícia e do judiciário mineiro, é fonte permanente da dor de Paulo Pavesi. Mas Pavesi não se cala. De seu exílio inglês, ele nos lembra, todos os dias, que somos uma sociedade arcaica e perversa ao ponto de proteger assassinos por questões políticas paroquiais.

Como sempre, a velha mídia nacional, sem falar na amordaçada mídia mineira, não deu repercussão alguma à CartaCapital, como se isso tivesse alguma importância nesses tempos de blogosfera e redes sociais.

Pela internet, o Brasil e o mundo foram apresentados ao juiz Narciso Alvarenga de Castro, da 1ª Vara Criminal de Poços de Caldas. Em de 19 de fevereiro desse ano, ele condenou quatro médicos-monstros envolvidos na máfia: João Alberto Brandão, Celso Scafi, Cláudio Fernandes e Alexandre Zincone. Eles foram condenados pela morte de um trabalhador rural, João Domingos de Carvalho.

Internado por sete dias na enfermaria da Santa Casa, entre 11 e 17 de abril de 2001, Carvalho, assim como Paulinho, foi dado como morto quando estava sedado e teve os rins, as córneas e o fígado retirados por Cláudio Fernandes e Celso Scafi. Outros sete casos semelhantes foram levantados pela Polícia Federal na Santa Casa.

Todos os condenados são ligados à MG Sul Transplantes. Scafi, além de tudo, era sócio de Mosconi em uma clínica de Poços de Caldas, base eleitoral do deputado. A quadrilha realizava os transplantes na Santa Casa, o que garantia, além do dinheiro tomado dos beneficiários da lista, recursos do SUS para o hospital. O delegado Célio Jacinto, responsável pelas investigações da PF, revelou a existência de uma carta do parlamentar na qual ele solicita ao amigo Ianhez o fornecimento de um rim para atender ao pedido do prefeito de Campanha (MG). A carta, disse o delegado, foi apreendida entre os documentos de Ianhez, mas desapareceu misteriosamente do inquérito sob custódia do Ministério Público Estadual de Minas Gerais.

Ontem, veio o troco – A Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) suspendeu as audiências que aconteceriam de hoje, 17 de abril, até sexta-feira, 19 de abril, para se iniciar, finalmente, o julgamento do caso de Paulinho. Neste processo, estão sendo julgados, novamente, Cláudio Fernandes e Celso Scafi, além de outros acusado, Sérgio Poli Gaspar.

De acordo com a assessoria do TJMG, o cancelamento se deu por conta de uma medida de “exceção de suspeição” contra o juiz Narciso de Castro impetrada pelo escritório Kalil e Horta Advogados, que defende Fernandes e Scafi. A defesa da dupla, já condenada a penas de 8 a 11 anos de cadeia, argumenta que o juiz teria perdido a “necessária isenção e imparcialidade” para apreciar o Caso Pavesi.

Ou seja, querem trocar o juiz, justo agora que o nome do deputado Carlos Mosconi veio à tona. Eu, sinceramente, ainda espero que haja juízes – e jornalistas – em Minas Gerais para denunciar esse acinte à humanidade de Paulo Pavesi que, no fim das contas, é a humanidade de todos nós.

Fonte: Leandro Fortes, de Carta Capital

—————-

Movimento cobra ação contra máfia dos órgãos no Sul de Minas

19.4.13  Ademir Palacios 

JORNAL FAMA – SUL DE MINAS

 

Uma petição pública criada na internet pede que o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) volte a investigar nove médicos membros de uma suposta quadrilha de tráfico de órgãos em Poços de Caldas, no Sul de Minas, e apure a participação do deputado estadual Carlos Mosconi (PSDB), atual presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), no esquema. A relação entre o parlamentar e os acusados foi denunciada em reportagem publicada na revista “Carta Capital”, no último sábado. A descrição no site da petição afirma que a investigação tem sido obstruída pelos réus, com sumiço de provas e queima de arquivo.

Como o documento – que em dois dias recebeu 80 assinaturas – não tem força legal, a ideia é fazer um apelo para que o promotor do caso, Marcelo Mattar, reabra a investigação. Em fevereiro deste ano, o primeiro dos oito casos denunciados foi julgado na 1ª Vara Criminal de Poços de Caldas, e quatro médicos da Santa Casa da cidade foram condenados, por tráfico de órgãos, a penas entre sete e 11 anos e meio de prisão. O transplante ilegal foi feito em 2001, quando José Domingos Carvalho teve os órgãos retirados após os médicos atestarem sua morte cerebral.

Participação do Deputado. Na sentença, o juiz Narciso Alvarenga Monteiro usou documentos do processo que citam uma carta que teria sido escrita pelo então prefeito de Campanha, no Sul de Minas, ao deputado estadual, pedindo a intermediação dele para conseguir um transplante de rim para um amigo – o que foi confirmado pelo delegado da Polícia Federal (PF) Célio Jacinto na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) instaurada na Câmara, em 2004.

Em seguida, o juiz descreveu o texto do inquérito da PF que indica que o homem citado na carta teria feito o transplante e pagado R$ 8.000. Coletada pela PF, a carta teria sumido, sob a guarda do Ministério Público.

Apesar de o juiz ter citado Mosconi na sentença, o deputado não é um dos réus nem foi alvo de investigação no inquérito. No julgamento, como testemunha de defesa, ele negou a existência da carta. “Tenho plena convicção de que os médicos condenados serão absolvidos em instâncias superiores”, disse Mosconi ontem.

O promotor responsável pelo caso não foi encontrado pela reportagem.

24 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 177.28.132.242 - Responder

    Enquanto isso a amante do lula a Sra. Rosemaru, esta cada vez mais rica e a revista que venera os petralhas nao fala nada.

    • - IP 201.88.56.5 - Responder

      Seu Carlos, vc esta justificando e apoiando o Deputado? Caso a “Sra. Rosemaru” ( sic) seja amante, o que vc tem haver com isso. Acho justo ela esta sendo investigada. Em relação a revista, vc tem um pouco de razão. Mas acho que a Veja, época, folha etc etc etc deve ser a sua leitura.

    • - IP 177.9.104.247 - Responder

      Incrível ver uma notícia dessas sobre matar pessoas para vender órgãos, e vc falar de outro assunto sem importância, não acredito. Você apoia o deputado criminoso? uma coisa e uma coisa, outra é outra coisa, nada a ver.

    • - IP 152.236.170.181 - Responder

      Como vc é insensível e irresponsável com este comentário absurdo. Que comparação totalmente desconecto. O que tem a ver uma amante de Lula com tamanho absurdo e requinte de crueldade retirar órgãos de pessoas vivas pra fazer comércio e tráfico. Esqueça a política partidária e tenha bom um pouco de bom senso e se não pedir muito, mais humanidade e menos ódio. Tenha um 2016 com muito amor !!

    • - IP 179.216.208.171 - Responder

      João (só), você é a criatura mais desinformada que conheço. Senti vergonha ao ler seu comentário, acredito que nem a a mais podre das revistas você lê.

    • - IP 177.137.112.6 - Responder

      Carlos o assunto em Paula é máfia de órgãos no sul de Minas Gerais. Volte e releia, talvez haja engano de sua parte ao fazer comentário de outro assunto. Não podemos perder o foco sob pena sermos arrastados na rua e desaparecer nas mãos destes criminosos. Não saia só, cuide-se. Tenho medo de ficar numa calçada com netos, de sair a rua ou sentar numa praça. Todos os dias desaparece crianças e adolescentes, as mais visadas pela máfia, máfias em todo o planeta. Viajo e vejo fotos em aeroportos e pontos turísticos, não escapa ninguém que anda só. As noticias sempre contam que a pessoa estava só, saiu e não voltou.

    • - IP 189.31.249.69 - Responder

      Por que so os coxinhas conhecem a suposta amante de Lula? nem o lula conhece, e isso nao pode ser verdade, nos sabemos disso. mas, o que mais irrita os coxinhas e falar dos crimes dos tucanos, ah, eles ficam irados. nos temos que cobrar do mp que investigue Aecio neves pois ja foi citado 4 vezes como participante de propina na petrobras, desvio de recursos da saude, e, ate trafico de drogas. sendo que esse ultimo foi feito pelo policial civil de b h, Lucas Gomes arcanjo. o que vcs querem mais em coxinhas?

    • - IP 201.83.28.55 - Responder

      Eis um tucano renitente que mesmo sem qualquer prova acusa. Já no caso dos Tucanos assassino há provas cabais. Só que tucano só é acusado quando já está morto

  2. - IP 186.198.102.90 - Responder

    Prezado João pra mim ladrão é ladrão independente de cor partidária se esse deputado for isso que a revista disse que cumpra a ele os rigores da lei, quanto a minha leitura com ctz essa revista é a que tem menos credibilidade, desculpe joao mas nao da pra leva a serio uma revista que idolatra jose dirceu, lula e toda petralhada. Esse pais precisa sair da mão dessa corja de ratos.

    • - IP 179.245.197.93 - Responder

      SE É PRA TIRAR OS RATOS PARLAMENTARES, ACREDITE QUE NÃO VAI FICAR QUASE NENHUM, SE SOBRAR ACHO Q NÃO PASSAM 3% HONESTOS!

    • - IP 177.9.104.247 - Responder

      É verdade sim, foram presos alguns médicos, matavam crianças e adultos para retirarem os órgãos, um juiz chegou a prender, e outro comprado por eles soltaram, o deputado foi acusado sim, e tem provas, só que a justiça de MG ficou muitos anos submissa aos poderes. Veja o caso do helicóptero dos Perrellas, até agora nenhuma prisão, todos soltos, e o helicóptero devolvido ao dono, e foi um flagrante pela PF, que o juiz invalidou. Nosso maior problema é o judiciário, porque era o órgão que deveria cumprir as leis, mas alguns são comprados, outros fazem parte do esquema, e outros são ameaçados. Pode contar que agora vão remexer de novo nesse caso.

  3. - IP 201.59.136.174 - Responder

    Primeiro: É Carlos MOSCONI o nome do pilantra e não MASCONI.
    Segundo, não tentem jogar a culpa dos outros no PT.
    Terceiro: o cara é do PSDB e conceituado no partido em MG.
    O que tem a ver o PT com isso?
    Vão fazer cocô que vocês ganham mais.
    Vai desviar a assunto lá na casa do…

  4. - IP 177.98.117.15 - Responder

    A raposa no galinheiro.

  5. - IP 189.41.40.144 - Responder

    Toda vez que acusam o PSDB alguém rebate no PT. Deve ser por que o PSDB é o partido mais santo do Brasil. Aliás, acredito que seja o contrário. PSDB nunca mais! Não custa nada fazer uma longa pesquisa para descobrir a influência ou ligação do PSDB com o judiciária e a mídia. Mas os coxinhas são tão preguiçosos que preferem somente informarem-se pela TV e tapados de lerem as mesmas revistas que sempre vêm pedindo DESCULPA, ERRAMOS, ERRAMOS, ERRAMOS hsuashaushaushausha.

  6. - IP 177.18.216.138 - Responder

    puxa Carta Capital… que história e essa? Um caso assim sério e importante vem com frases “estaria ligado”, “possível ligação”… Pelo visto, são fatos não confirmados..então, espera a verdade vir a tona, antes de sair colocando nome e foto na matéria.

    • - IP 177.9.104.247 - Responder

      Primeiro essa matéria não é da Carta Capital, é uma réplica, leia a matéria deles. Segundo saiu em todos jornais, procure que verá. Terceiro foram presos médicos que retiravam órgãos das pessoas vivas para vender, isso foi confirmado, um juiz pediu a prisão deles, outro soltou. MG é sem lei, o MP, polícias e legislativo todos comprados. Alguns são ameaçados para solta-los. Estamos falando de uma máfia perigosa.

  7. - IP 177.107.15.186 - Responder

    Sou morador de Poços de Caldas. Trabalho com pessoas bem próximas do deputado carlos mosconi (escrevo em letras minúsculas de propósito), não sei se vão publicar meu comentário porque não me identifico e nem o farei para que não tenha que recorrer a asilo internacional, junto com minha família, e outros amigos que ficarão em risco se meu nome for mostrado, mas o que se suspeita sobre o carlos mosconi é tudo verdade.

    Tem mais coisas, os médicos condenados são os peões, o chefe é o mosconi, o dono da clmepe e outros que tiraram o corpo fora, inclusive o paulo sadao.

    Alguns dias o carlos mosconi atravessou na minha frente e eu freei. Meu filho que sabe de muitas das coisas que sei disse: papai, você perdeu a oportunidade de limpar a cidade!!!

    Não tenho nem terei sangue nas mãos, mas carlos mosconi tem…

    Desejo que a verdade – TODA – seja descoberta!!!

    Que alegria ver uma – porção ínfima da – verdade aparecendo, mesmo que como “possibilidade”!!

    • - IP 177.9.104.247 - Responder

      Que bom que você como mineiro veio a público falar, precisamos disso na sociedade. Eu sei que o deputado é um criminosos como muitos sabem, mas como lutar com esse poder? estão todos em conivência, seja por medo, através de ameaças, ou fazem parte do esquema. Lembra do do coronel da PM o deputado da Serra, que esquartejava as pessoas antes de matá-las? demorou mas foi pego, esperamos que o mesmo aconteça com o Mosconi, esse safado tem muitos sangue nas mãos. Vamos torcer e pressionar para que seja pego.

    • - IP 177.36.173.209 - Responder

      Pq se esconder?! Dê a cara pra bater. Os coxinhas são covardes e bundões. Quando seus crimes são escancarados, eles é que tentam se esconder…!!!

  8. - IP 201.69.7.93 - Responder

    Cadê o Estado-Justiça da minha querida terra natal, que já não investigou e puniu esses criminosos? Onde está o jornalismo investigativo das grandes empresas de comunicação ou será que existe verdadeiramente Jornalismo e sim, boletins de propaganda de alguns políticos representantes de certas classes sociais? Pau que bate em Chico também não bate em Francisco? Onde foi parar a ética jornalistica e judiciária? Tá puxado aceitar a lógica das classes dominantes, todos não iguais perante a lei?

  9. - IP 200.162.197.145 - Responder

    São crimes de todos os tipos de qualificação se ficar sem resposta é uma vergonha nacional

  10. - IP 200.162.197.145 - Responder

    Meu Deus eu estou estárecindo

  11. - IP 179.83.144.44 - Responder

    Minas supera MT em termos de crimes macabros. Empata em termos de judiciário malandro, corrupto e emparelhado pelas máfias. Imagino o terror dos pilantras que encomendaram, pagaram, estão de “posse” e “usam” os órgãos “roubados”. O que faria a “justiça” caso levasse o caso a frente como se deveria? Sendo um roubo o “objeto roubado” teria que ser devolvido. Ou não? Prevejo milhões de reais saindo de contas bancárias de todos envolvidos e indo para as contas dos advogados e “vendedores” de decisões judiciais. Esses órgãos, agora sim, vão ter seus custos inflacionados.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

17 − três =