GOVERNO DO VACILO: Quase um ano depois de eleito, Zé Pedro Taques, que garganteou tanto que sabia o que fazer para colocar Mato Grosso no rumo, continua gastando dinheiro público para definir rumo de que vai dar ao VLT. Vejam só, o governador, com a maior cara de pau, confessa que não sabe o que fazer. Ora, e aqueles estudos da Fundação Cabral, no período de transição? Não valeram pra nada? Por que falar na contratação de nova empresa e novos técnicos para fazer estudos e planejamentos que a secretaria de Planejamento, a secretária comandada pelo Gustavo Oliveira e outras mais deveriam estar fazendo? Pra que ganha essa gente?

Pedro Taques e Silval Barbosa: cada vez mais parecidos na hora de tomar decisões

Pedro Taques e Silval Barbosa: cada vez mais parecidos na hora de tomar decisões

O governo do vacilo
Enock Cavalcanti

Meus amigos, meus inimigos: será que o governador de Mato Grosso, Zé Pedro Taques, precisaria gastar tanto dinheiro público para tentar chegar a uma definição do que fazer com o dinheiro público?

Nesta quarta-feira, o Zé Pedro voltou a dizer que pretende retomar as obras do VLT. Mas, antes – tem sempre um mas -, antes ele pretende contratar mais uma empresa para fazer estudo especializado pelo assunto. E com tanto gasto, o que deveria ser o Veículo Leve sobre Trilhos, vai ficando mais caro e mais longe, no horizonte das realizações do Governo do Estado.

Que diferença entre esse governo de hoje e o governo de ontem, que tinha o BRT já definido mas, com Silval emprenhado pelo ouvido, pelo Zé Riva e outros deslumbrados, acabou trocando o certo pelo duvidoso e o que se tem hoje são essas obras paradas, essas ruas esburacadas, essa falta absoluta de rumo na capital do Estado?

O que fazem os “gabaritados” técnicos que Zé Pedro Taques disse ter reunido em torno de sua personalidade concentradora mas tão vacilona, que não lhe dão as tais informações de que precisa para que nos garanta a conclusão do modal?

Se o governador vacilão fizesse uma rodada de debates e negociação com os deputados estaduais, vereadores cuiabanos, técnicos do Crea, dirigentes comunitários, empresários do CDL, empresários da Fiemt, tal e coisa, com objetivo de se chegar aos finalmentes, será que não poderíamos ser poupados deste triste espetáculo de tanta vacilação? Será que não se poderia chegar a um rumo?

Quando fazia campanha eleitoral, bem maquiada por seus marqueteiros, Zé Pedro Taques conseguiu levar na conversa a maioria dos eleitores, falando como se ele soubesse que rumo dar a nosso Estado, nos mais diferentes áreas, nos mais diferentes aspectos.

Agora, passado quase um ano da campanha, que nos resta é o Zé Pedro vacilão. Tanto que confessa, sem pudor, que ainda não sabe o que fazer com o VLT – apesar de ter dito coisa bem diferente na campanha.

Veja que, ao falar deste novo estudo, nesta quarta-feira (2.9), o governador vacilão, sem ser questionado por nossa mídia chapa branca, disse, mais uma vez, que “o diagnóstico vai ser apresentado aos deputados e à população, por meio de audiência pública”. A gente já não viu esse filme antes?

Ora, é aqueles estudos da Fundação Cabral, no período de transição do governo Silval para o governo de Zé Pedro? Custaram quanto? Quem pagou? E não valeram pra nada?

Por que falar na contratação de nova empresa e novos técnicos para fazer os estudos e os planejamentos que a secretaria de Planejamento, a secretária comandada pelo Gustavo Oliveira e outras mais deveriam estar fazendo?

Será que depois de oito meses (mais o período da transição), os técnicos fabulosos e paludos que Zé Pedro Taques disse ter reunido em torno de si, não fizeram nada? Não foram capazes de garantir ao governador a segurança necessária para tomar decisões? Zé Pedro não confia nos técnicos que escalou e que estão custando rios de dinheiro aos cofres públicos? Se não confia, se não são tão fabulosos assim, como dito na propaganda, por que os contratou?

No aspecto do planejamento, pelo que se vê, o governo de Zé Pedro Taques tá ficando cada vez mais parecido com o governo de Silval Barbosa. Ele disse que tinha um rumo mas o que se vê é que não há rumo nenhum.

5 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 177.5.109.14 - Responder

    Enoque, estou começando acreditar que ele não vai adiante com o VLT por medo. Não é nem questão política nem financeira, apenas medo, puro e simples.

    Gostaria de estar errado!

  2. - IP 177.59.44.29 - Responder

    Diria que todo esquerdista é além de tudo um pessimista! Deixa o cara trabalhar e vamos dar o tempo necessário para que o Pedro Taques mostre serviço ele foi “contratado” por 4 anos para fazer o serviço é não podemos achar que está tudo errado se nem deixamos ele começar direito.

  3. - IP 191.222.15.27 - Responder

    Seu ato mais importante foi suspender os pagamentos dos contratos do Estado, causando desordem econômica e caos social. Seu governo acabou em seis meses. Ademais, aprendeu muito rápido as traições e quebra de pactuados, abandonando companheiros das primeiras horas.

  4. - IP 191.33.164.194 - Responder

    Se Mato Grosso está mal com um Governador acusado de desconhecer os problemas que ele prometeu solucionar, imagine o Brasil com uma presidente incompeTENTA que disse que estava tudo bem para se reeleger e agora que a verdade bateu a porta ela não sabe o que fazer.

    Tenho uma sugestão para a presidente incompeTENTA, diga que a culpa é do FHC!!

  5. - IP 177.96.165.254 - Responder

    Enock, se você fosse governador de MT, o que faria?

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

18 − oito =