O FUGITIVO: Afastado pelo juiz José Eduardo Marino, no início de julho, do cargo de prefeito de Juscimeira, acusado de improbidade administrativa, Valdecir Colle, o Chiquinho do Posto, que também é do PSD de Geraldo Riva, estaria fugindo há um mês da citação do oficial de Justiça. Chiquinho, nas águas de Riva, também foi eleito para presidir Associação dos Municípios. LEIA A DECISÃO

Juiz José Eduardo Mariano afasta Chiquinho do Posto da prefeitura de Juscimeira by Enock Cavalcanti

Chiquinho do Posto, prefeito afastado de Juscimeira e presidente da AMM, segundo o Tribunal de Justiça, estaria fugindo do oficial de Justiça, encarregado de sua citação, em cumprimento à decisão do juiz José Eduardo Mariano. Na foto, Chiquinho com seu padrinho político, o chefão do PSD, José Geraldo Riva

Chiquinho do Posto, prefeito afastado de Juscimeira e presidente da AMM, segundo o Tribunal de Justiça, estaria fugindo do oficial de Justiça, encarregado de sua citação, em cumprimento à decisão do juiz José Eduardo Mariano. Na foto, Chiquinho com seu padrinho político, o chefão do PSD, José Geraldo Riva

TJ-MT afasta Chiquinho do Posto da prefeitura de Juscimeira

JONAS JOZINO
24 HORAS NEWS

O prefeito de Juscimeira e presidente da Associação Mato-grossense dos Municípios, Valdemir Luis Colle, o “Chiquinho do Posto” foi afastado do cargo por decisão do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, que acatou representação do Ministério Público Estadual, que alegou a prática de improbidade administrativa.

A decisão foi dada pelo juiz José Eduardo Marino, que aceitou a denúncia do MP que investigou problemas na Secretaria Municipal de Saúde de Juscimeira. Na ação, o magistrado alegou “práticas abusivas, inclusive com a cobrança para realização de exames médicos, como raio-X, o que dera causa à propositura da ação civil pública, ante os atos omissivos e comissivos”, diz trecho da decisão.

O juiz cita ainda que o Ministério Público Estadual chegou a afirmar um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o município na regularização de medicamentos, mas que o mesmo foi “integralmente” descumprido no prazo acordado.

Com base nas afirmações do MP, o tribunal de Justiça de Mato Grosso determinou o determinou o afastamento imediato diante de fatos que considerou “gravíssimos”, de Chiquinho do Posto, que pode recorrer da decisão.

Segundo a assessoria do TJMT, o oficial de Justiça tenta cumprir a decisão, desde início de julho, porém até o momento não encontrou Chiquinho do Posto e seu secretário de Saúde José Ozette Freitas.

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

dezesseis − 1 =