PREFEITURA SANEAMENTO

Novas acusações a Zé Dirceu expõe farsa do “mensalão”. Em 2005, a tática conservadora foi acusar sem provas José Dirceu e deixar o preconceito contra o PT fazer o resto – Dirceu acabou condenado e preso. Recentemente, em meio às acusações sobre corrupção na Petrobras, surgiram novas tentativas (sempre sem provas) de envolver Zé Dirceu no caso. O que fica óbvio é que o ataque ao PT é uma estratégia central do conservadorismo

José Dirceu, ex-ministro chefe da Casa Civil no governo do presidente Lula

José Dirceu, ex-ministro chefe da Casa Civil no governo do presidente Lula

 

Novas acusações a Dirceu expõe farsa do “mensalão”

Nicolas Chernavsky
Culturapolítica.com
Em 2005, a tática conservadora foi acusar sem provas José Dirceu e deixar o preconceito contra o PT fazer o resto; agora, em 2015, a tática é parecida, mas o jornalismo brasileiro – com a força da Internet – está diferente, e o progressismo está mais consciente de que o ataque ao PT é uma estratégia central do conservadorismo.

Recentemente, em meio às acusações sobre corrupção na Petrobras, surgiu uma acusação contra José Dirceu. A princípio, essa acusação poderia prejudicar o PT, ao ligar as atuais denúncias ao caso conhecido por muitos como “mensalão”. Mas será que prejudica mesmo? Ou é ao contrário? Se essas novas denúncias sobre José Dirceu não forem comprovadas, as pessoas não vão se perguntar se de fato foram comprovadas as denúncias no “mensalão”?

E por que essa questão é importante para o PT? Porque é no tal “mensalão” que se concentra parte considerável do preconceito contra o PT – o antipetismo. Nessas últimas eleições presidenciais, inúmeras conversas entre quem apoiava Dilma e quem apoiava Aécio se desenrolavam com a argumentação, por parte de quem apoiava Dilma, da redução drástica da fome, da miséria e da pobreza, com Minha Casa Minha Vida, ProUni, Bolsa-Família, aumento no salário mínimo, etc. Muitas vezes, após todos esses argumentos, quem apoiava Aécio citava palavras como “mensalão”, “José Dirceu” e “Genoino” e considerava que estes “argumentos” sobrepujavam qualquer melhora da qualidade de vida do povo que tivesse ocorrido durante os governo de Lula e Dilma.

Até a crise política de 2005, que originou o termo “mensalão”, o PT vinha crescendo numericamente de forma consistente no parlamento nacional, eleição após eleição, tanto na Câmara de Deputados quanto no Senado. Quanto aos deputados federais, por exemplo, tinham sido eleitos 49 em 1994, 58 em 1998 e 91 em 2002. Após a crise política de 2005, o desempenho do PT nas eleições para o parlamento nunca mais alcançou o de 2002 (83 eleitos em 2006 e 88 em 2010), sendo que nessas eleições de 2014 o partido elegeu seu menor número de deputados federais desde as eleições de 1998, com 70 deputados. Nisso, teve influência também um outro fato bastante fomentado pelo “mensalão”, que foi a saída de vários parlamentares do PT rumo ao PSOL e outros partidos. Ou seja, o “mensalão” vem tendo considerável influência na atividade política do PT nos últimos anos.

E quanto à figura de José Dirceu? Por que seu nome especificamente está “na ponta da língua” de quem quer acusar o PT de qualquer coisa? E por que justo ele agora retorna como acusado nas denúncias sobre a Petrobras? É notório que ele atrai mais antipatia dos setores antipetistas que Genoino ou João Paulo Cunha, por exemplo, também citados no “mensalão”. Ou seja, além do fato de Dirceu ter sido 8 anos presidente do PT e de ser provavelmente o principal acusado do “mensalão”, parece haver outro fator que atrai para ele esse sentimento. Creio que aí se incluem alguns fatores da personalidade de Dirceu, sua forma de se relacionar com os meios de comunicação mais conservadores e sua relação com o público em geral. Mas isso não quer dizer que alguém acusado sem provas seja considerado automaticamente culpado. Isso seria preconceito não somente com José Dirceu, nem somente com o PT; simboliza o preconceito que acompanha a visão do conservadorismo sobre o progressismo na história do Brasil, passando pelo abolicionismo, a revolução de 1930, o suicídio de Vargas, o golpe de 1964, as eleições de 1989, a farsa do “mensalão” e mais outros episódios que virão, na trajetória do Brasil rumo ao futuro.

13 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 177.202.51.86 - Responder

    Tadinho dele, só recebeu 3 milhões de consultoria das empreiteiras investigadas 🙁

  2. - IP 177.221.96.140 - Responder

    Esperneiem, filomensaleiros e filopetralhas!

  3. - IP 179.252.14.177 - Responder

    Ainda essa chorumela de “farsa do mensalão”.
    Nada mais importante para tratar do que ficar tentando fazer esse corrupto de vitima?

  4. - IP 189.59.59.90 - Responder

    Fico na dúvida se é uma peça de humor ou de insensatez.

    • - IP 189.59.40.249 - Responder

      E humor KKKKKKKKKKKKKKKKKKK……PT….kkkkkkkkkkkkkkkkk

  5. - IP 177.214.63.58 - Responder

    A farsa do Enock,mal informado e mal intencionado.CHAPA BRANCA. LEGITIMO

    • - IP 189.59.40.249 - Responder

      É brincadeira ……….pegadinha do Enock………kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  6. - IP 201.86.182.18 - Responder

    Eu acredito em José Dirceu, Sarney, Delúbio, Zé Genoíno, Collor, Babalho, em Lula, em Dilma, em Maluf.

    E agora, estou começando a acreditar também em Enock, como humorista, é obvio.

  7. - IP 179.216.215.26 - Responder

    É dogma de fé.

  8. - IP 187.55.179.236 - Responder

    Confesso, Enock, que não sou um frequentador assíduo da sua página. Mas em busca de uma matéria sobre o Riva, pensei: vou encontrar na “paginadoe”, com certeza. Só que “folheando” seu site encontrei algumas matérias, como esta, do Paladino da Justiça, José Dirceu. Sem bandeiras ou cores ideológica, não as tenho, penso que uma pessoa como o Senhor, com conhecimento e cultura suficiente, defender esse cidadão – se é que podemos chamá-lo assim – apenas por estar “alinhado” ideologicamente, não é pequenez da parte desse culto Jornalista?
    Ora, votei por três vezes no PT, por acreditar que faria algo de diferente; me arrependo profundamente de ter caído nessa lábia das “zelite”. De que “das zelite” não gosta disso ou daquilo e, principalmente, de pobre. Falsos moralistas. Tão ou mais podre do que os outros. Ai me deparo com Vossa Senhoria defendendo esse sujeito que representa tudo de podre e mais o que for daquilo que não presta na politica. “Sem provas”!!!!! Francamente, Enock! Esqueça a cor vermelha, Enock, pense no verde-amarelo que é a cor do nosso país. Sei o quanto é difícil desfazermos das nossas convicções ideológicas, mas o que queremos, nós brasileiros, é um País mais justo e sem corrupção, independentemente, de sigla partidária. grande abraço!

  9. - IP 189.72.223.252 - Responder

    Quem disse que não existem provas foram juristas, alguns de Direita, como Ives Gandra Martins.

  10. - IP 189.72.223.252 - Responder

    Zé é simbólico, mexe com os traumas freudianos da Direita, a quem ferrou por três vezes consecutivas. Com Zé é bola na caçapa.

Deixe uma resposta para Ubirajara Itagi    ( cancelar resposta )

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

10 − 1 =