PREFEITURA SANEAMENTO

Nos próximos dias, radares eletrônicos e câmeras de monitoramento voltam a fiscalizar o trânsito de Cuiabá. Esperemos que, com esta parafernália eletrônica, não volte também a “indústria da multa”, que fora banida de nossa capital. Por que, ao invés de investir nos “pardais”, não se humaniza, cada vez mais, a fiscalização treinando, capacitando e multiplicando os “amarelinhos” que deveriam centralizar o poder de multar e intensificar o uso do bafômetro?

indústria das multas pode voltar a atanazar vida de motoristas em cuiabá 2014

Imagino eu que mortes no trânsito só serão efetivamente reduzidas à medida que houver Educação para o trânsito. Radares eletrônicos e câmeras, na modesta opinião de quem já conviveu com o trânsito de diferenciadas cidades como Cuiabá, Rio de Janeiro e Brasília, estão muito longe de substituirem a contento o controle humanizado desse tipo de fluxo. Ao invés da parafernália eletrônica, a Prefeitura, o Detran e o Governo do Estado precisam investir em Educação e no treinamento, na capacitação e na multiplicação dos “amarelinhos” e das polícias de trânsito. Nos locais onde os atropelamentos e acidentes são mais frequentes, uma maior presença da fiscalização, da polícia. É a mesma regra com relação aos roubos e assaltos: a presença da polícia afasta quem desrespeita a Lei. Além do mais, já tivemos aqui mesmo em Cuiabá, um enorme protesto contra a “indústria das multas” que se montou à sombra desses radares. Sérgio Ricardo virou herói do povo, com efetivo mérito, por lutar contra ela. São esquemas mafiosos que se espalham por todo o País. A lógica da fiscalização deveria ser outra. Poderia ser diferente. Pode ser diferente. Confira o noticiário. (EC)


CIDADES / RADAR EM CUIABÁ
Primeiros 10 dias serão emitidas apenas multas educativas

A prefeitura vai investir R$ 42,8 milhões para implementar a tecnologia

ANA ADÉLIA JACOMO
MATO GROSSO NOTICIAS

Radares que serão instalados este mês nas três principais avenidas de Cuiabá (Fernando Corrêa, Miguel Sutil e Beira Rio) só começarão a valer 10 dias após a completa implantação.

Nesse período, os motoristas que ultrapassarem a velocidade máxima permitida serão multados de forma educativa.

O secretário municipal de Trânsito e Transporte Antenor Figueiredo afirmou ao Mato Grosso Noticias que os radares funcionarão também como câmeras de monitoramento. Segundo ele, está sendo montada uma central, que vai contar inicialmente com oito fiscais, para que o trânsito seja vistoriado diuturnamente.

“Os estudos técnicos já foram apresentados pela empresa e esse mês começa a instalação, mas não tenho como dar uma data porque ainda fechando. Depois que os radares estiverem instalados, precisamos esperar pela avaliação do Inmetro, só depois começaremos a medir as multas. Então, durante o tempo que formos atuar sem a permissão do Inmetro serão aplicadas multas educativas”.

A Prefeitura de Cuiabá vai investir R$ 42,8 milhões para implementar a tecnologia no trânsito da Capital. Está previsto a colocação de 44 lombadas eletrônicas, 44 radares fixos, 55 detectores de avanço semafórico, 30 câmeras de monitoramento, uma unidade móvel de monitoramento, dois radares móveis, dois painéis de mensagens variáveis, 30 talonários eletrônicos de infração e um sistema de apoio a JARI.

Outra tecnologia que passará a ser usada são as motos link. Motocicletas equipadas com câmeras que transmitem imagens dos principais problemas de fluxo. Também deve começar a serem instaladas em breve as faixas elevadas e a Faixa Verde.

A proposta prevê a colocação de radares em nove avenidas (Fernando Correa da Costa, Carmindo de Campos, Beira Rio, Historiador Rubens de Mendonça, Miguel Sutil, Dante de Oliveira, Archimedes Pereira Lima, das Torres, República do Líbano), no entanto, o secretário afirmou que a prefeitura fará o serviço de maneira gradativa, para não onerar os cofres públicos.

Lombadas eletrônicas serão instaladas nas Avenidas Historiador Rubens de Mendonça, Beira Rio, Dante de Oliveira, Gonçalo Antunes de Barros, República do Líbano, General Melo, Lavapés, das Torres.

Radares de avanço de semáforo também controlarão o trânsito nas Avenidas Fernando Correa da Costa, Historiador Rubens de Mendonça, Miguel Sutil, República do Líbano, Isaac Póvoas, Getúlio Vargas, Mato Grosso, XV de Novembro, Carmindo de Campos, Tenente Cel. Duarte.

—————-
OUTRA OPINIÃO

A tragédia do trânsito e a inércia do Estado

por ADEMAR ADAMS, em 24.out.2011

Todos os dias vemos tragédias se repetindo com as mortes em acidentes cada vez mais freqüentes. Nos fins de semana a mortandade aumenta com famílias inteiras tendo as vidas ceifadas nas ruas e estradas. É que sábado e domingo muitos enchem a cara, pegam o volante e saem para matar pessoas.

E escrevi a palavra “acidentes”, mas na verdade a maioria não são acidentes e sim desastres previsíveis, pois se não são causados por motorista bêbados ou por excesso de velocidade, são por veículos sem condições de trafegar.

O componente agravante das três causas dos desastres é a inércia do poder público. Não há fiscalização, não há policiamento e nem controles eletrônicos. As carretas são verdadeiros tanques de guerra dirigidos muitas vezes por motoristas “emboletados”, com cargas que deveriam ser levadas por trens.

Em Mato Grosso, dois políticos devem ser responsabilizados. Um é Blairo Máqquinas, que acabou com a polícia de trânsito e em oito anos não achou solução para o inferno das carretas entre Rondonópolis e Posto Gil. Paliativos como descarregar na estrada da Guia o trânsito vindo do Nortão, onde os “tanques” estão carregados de brita, é mais uma insanidade. A mentira de proibir os caminhões e não fiscalizar é mais uma demonstração do descaso do Estado.

Outro responsável direto por dezenas de mortes é o demagogo Sérgio Ricardo. Faz anos que montou um circo chamado “Xô multas” e pressionou prefeitos covardes para acabar com redutores eletrônicos, os “pardais”, que obrigavam os apressadinhos a reduzir a velocidade.

Fez mais o parvo: arrumou advogados para defender os multados por excesso de velocidades. Fez acerto com um defensor público venal, que atendia de graça, como carentes, amigos e eleitores. Na Justiça, magistrados irresponsáveis, mais preocupados com os filhotes e seus possantes carrões, deram guarida para os criminosos da cerveja e da alta velocidade.

Exemplo a ser seguido

Na França antes de Mitterrand, ocorriam em média 16 mil mortes por ano no trânsito. Proporcionalmente o mesmo número da tragédia brasileira. O governo decidiu dar um basta a essa insanidade e partiu para um combate aberto aos desmandos no trânsito.

A polícia foi colocada nas ruas e nas estradas. Em certos pontos nas rodovias de grande movimento tinha não só a polícia, mas ambulâncias e até juizes volantes. Motoristas criminosos às vezes saiam algemados após rápido julgamento.

Equipamentos eletrônicos, radares por toda parte, multas pesadas e punições severas. Um endurecimento forte.

O resultado após algum tempo foi notável. A média de 16 mil mortos caiu para cerca de quatro mil óbitos por ano.

Até quando vai continuar a tragédia brasileira?

3 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 200.101.73.59 - Responder

    E CADÊ O DINHEIRO QUE O DETRAN FOI CONDENADO A DEVOLVER…???
    SEGUNDO O SÉRGIO MENTIRAS PET…

  2. - IP 189.59.48.112 - Responder

    É PRECISO INVESTIR EM EDUCAÇÃO NO SER HUMANO E NÃO SÓ NO TRANSITO POIS ISSO DEVE VIR DE BERÇO! ACREDITO QUE A PUNIÇÃO SEJA VALIDA, DESDE QUE SEJA PARA TODOS OS NÍVEIS DA SOCIEDADE.
    E AS BLITZ NO TRANSITO TEM QUE SER ALTERNADAS E SEM HORÁRIO PRE ESTABELECIDO POIS NAS MADRUGADAS DAS NOITADAS É QUE OCORREM MAIORES ACIDENTES COM VITIMAS FATAIS, ONDE SE MISTURA ( VOLANTE X BEBIDA ALCOÓLICA ).
    PORQUE A AVENIDA ISAAC POVOAS NÃO ESTA INCLUÍDA COMO UMA DAS CAMPEÁ DE ACIDENTES DE TRANSITO E EXCESSO DE VELOCIDADES NAS MADRUGADAS E FINAIS DE SEMANAS SENHORES AUTORIDADES DO TRANSITO !
    OBS: GOSTARIA QUE RESPONDESSE MINHAS INDAGAÇÕES?

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

dezessete − nove =