gonçalves cordeiro

No primeiro debate, candidatos evitaram confrontos, Wellington derrapou e Artur Nogueira se saiu melhor

Quem esperava confrontos duros no primeiro debate entre os candidatos ao Governo de Mato Grosso, na TV da Gazeta, se frustrou. Orientados por seus marqueteiros os três principais concorrentes, Mauro, Zé Pedro e Wellington, no hora de encararem uns aos outros, preferiram mais falar de propostas do que sairem pro pau, contrariando o que tem se visto nos encontros de William Bonner e Renata Vasconcellos na Rede Globo, com os presidenciáveis.

Na Globo, é pau puro. Na TV da Gazeta, reinou um clima de paz e amor, vamos discutir propostas, o que tornou o debate água com açucar, já que o tempo é muito curto para detalhar propostas e não houve nada inovador.

Pior. Reinou o nervosismo, com o candidato Wellington fazendo um papelão.

No segundo bloco, Wellington questionou Mauro quando parece que queria questionar o Zé Pedro por que não o governador tucano conseguira concluir as obras da Saúde em Mato Grosso.  Com Wellington dirigindo-se a ele como se ele fosse o governador, Mauro só teve que empurrar a bola por gol, com o goleiro já caído. “O candidato está nervoso e se confundiu. Eu não fui governador, fui prefeito de Cuiabá”, ironizou o sorridente Mauro. Poderia ter dado uma gargalhada para arrasar com o Wellington mas teve humildade em gol.

Depois “Welton” ainda tentou fazer Mauro criticar Zé Pedro, mas o candidato do DEM driblou a bola. Todo confuso, o candidato do PR dirigiu sua réplica a Zé Pedro Taques, levantando risos de todo lado.

Quando Wellington cobrou do Zé Pedro o nome dos seus traidores, o governador tucano desviou da provocação e o candidato do PR não teve palavras para emparedar devidamente o tucano empenhando em manter a linha paz e amor.

Por que o Wellington, tão tranquilo na montagem de sua enorme coligação. se mostrou uma postura tão desequilibrada? A avaliação tem que ser  dura no vestiário do PR.

 

Mauro também foi beneficiado pela tremedeira do candidato do PSOL, Moisés Franz, que fez uma pergunta para sugerir mais adiante que Mauro estaria envolvido na pretensa compra de magistrados, mas Mauro disse que sabia onde o Moisés tava querendo chegar e fez o alerta: Cuidado! Moisés mudou de assunto, numa atitude de quem não se garante no que fala.  No seu isolacionismo, o PSOL não pensou, certamente, em chamar o Alexandre Aprá para uma consultoria.

Com Zé Pedro limitando-se a repetir o que já tem repetido ad nauseam em suas entrevistas e videos de campanha sobre a escola em tempo integral, e tal e tal, sobrou então para o candidato da Rede, Arthur Nogueira a oportunidade de se mostrar pela primeira vez e aparecer melhor no debate, com uma postura mais equilibrada e demonstrando que estava atento às escorregadelas dos outros contendores. Não perdoou nem o Moisés Franz quando este tentou dizer que era a única novidade na eleição.

Ficou a dúvida quando à preparação que os marqueteiros fizeram de seus players. Ficou até parecendo que foi tudo feito nas coxas.

 

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

1 × 2 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.