Ninguém mandou ninguém tomar no cu, como lá no Rock in Rio, mas Éder, Riva, Pedro Henry, Eliene e Silval colheram muitas vaias, em sua passagem pela final do volei, entre Brasil e Argentina

A esta altura do campeonato, já deve ter acendido o alerta vermelho nos marqueteiros do Governo do Estado. É que a passagem da caravana do Paiaguás pelo ginásio Aecim Tocantins, no final de semana, rendeu um constrangedor momento de vaias para o governador Silval Barbosa e os secretários Eliene Lima (Ciência e Tecnologia) e Pedro Henry (Saúde). O repúdio do público teria se concentrado, todavia, segundo o insuspeito Midianews, nas figuras algo cômicas algo farsescas do presidente da Agecopa, Éder Moraes e do presidente da Assembléia, José Geraldo Riva. Foi apupo de montão, segundo registram alguns poucos sites, pra cima dessa turma. Claro que os jornais amigos e os jornalistas amestrados já entraram em ação para abafar qualquer manchete sobre o assunto. Mas essa gente se esquece que o boca-a-boca é que costuma ser demolidor. Ninguém mandou ninguém tomar no cú como lá no Rock in Rio (onde o pessoal desceu o pau feio contra o Sarney – e sem vasilina) mas ficou evidente, pelas vaias que explodiram no Aecim Tocantins, que essas nossas lideranças políticas não tem com bom conceito junto ao povo das torcidas – que, vejam só, costuma ser o povo mais desligado no que se refere ao acompanhamento das atividades político-partidárias.

DEU NO MIDIANEWS:

Bola fora

DA REDAÇÃO

O cerimonial do Governo do Estado cometeu uma tremenda falha ao escalar políticos para entregar os troféus aos primeiros colocados no campeonato Sul-Americano de Vôlei, que terminou ontem em Cuiabá. Em meio à euforia e aplausos do jogo da seleção brasileira, que se sagrou campeão, mais de 11 mil pessoas vaiaram as entregas dos prêmios.

Quando o governador Silval Barbosa, o secretário Pedro Henry, o presidente da Agecopa Eder Moraes e o presidente da Assembléia, deputado José Riva entraram na quadra, a vaia foi ensurdecedora. Taí, um recado bem claro…

DEU NO SÓ NOTICIAS:

Silval, Eder Moraes e Pedro Henry foram vaiados, neste domingo à tarde, quando o locutor oficial anunciou que eles estavam no ginásio para acompanhar as finais do Sul-americano de vôlei entre Brasil e Argentina. Eder e Henry foram os mais vaiados. Quando Silval foi anunciado a torcida se dividiu entre vaias e aplausos. Sinal que o super comandante da Agecopa não anda com tanta moral assim com os cuiabanos e suas declarações que é "humilde" muito pouco convenceram.

DEU NO PROSA E POLÍTICA:

O cidadão está reagindo. Que bom!!!
Por ADRIANA VANDONI

1

O governador Silval Barbosa, o secretário de Saúde e mensaleiro Pedro Henry e Éder Moraes – O Tudo, foram vaiados pelo público que assistia hoje (25), a entrega das medalhas do campeonato Sul-americano de Vôlei, no ginásio Aecim Tocantins, em Cuiabá.

Contou um leitor que estava lá: “o ginásio veio abaixo, mas Éder foi o mais vaiado”.

PS: O Brasil venceu o campeonato.
————-

CONFIRA A VERSÃO OFICIAL

Silval Barbosa entrega troféu à Seleção Brasileira

SINARA ALVARES/ADRIANE RANGEL
Redação/Secom-MT

Depois de assistir o confronto entre Brasil e Argentina neste domingo (25.09), o governador de Mato Grosso, Silval Barbosa, participou da cerimônia de premiação do Campeonato Sul-Americano de Vôlei Masculino. O chefe do Executivo estadual entregou o troféu do primeiro lugar na competição para o capitão da seleção brasileira, Murilo Endres.

O presidente da Agecopa, Eder Moraes, também participou da entrega dos prêmios. Eder Moraes destacou que o evento superou as expectativas e foi um ótimo treino para o Estado, que vai sediar a Copa do Mundo em 2014. “Foi muito bem organizado. Nós aceitamos o desafio e o resultado foi muito positivo. A Agecopa colaborou e fomos coroados coma vitória brasileira neste campeonato. O evento vai servir como exemplo”, afirmou Eder Moraes.

Para o secretário de Estado de Esportes e Lazer, Antonio Azambuja, o evento com casa cheia correspondeu todas as expectativas. Ele disse que "a organização montada para receber os jogos do Sul-Americano também superou as expectativas, ao ressaltar que tudo ocorreu normalmente naquilo que foi programado entre a Secretaria de Esportes, Confederação Brasileira de Vôlei e Federação Mato-grossense de Vôlei". Azambuja destacou ainda que o Sul-Americano evidenciou que Mato Grosso pode receber grandes eventos para fomentar o esporte no Estado”, explicou.

EXPECTATIVA DO PÚBLICO

Antonio Azambuja disse que o público saiu do ginásio satisfeito com o resultado. “Mesmo com um jogo tenso e difícil contra os argentinos os brasileiros foram superiores e com isso os cuiabanos puderam ver um grande espetáculo”, finalizou o secretário.

Participaram da cerimônia de entrega da premiação, o governador de Mato Grosso, Silval Barbosa; os secretários de Estado de Saúde, Pedro Henry; de Comunicação Social, Osmar de Carvalho; de Ciência e Tecnologia, Eliene Lima; o presidente da Federação mato-grossense de Vôlei, Nicanos Lopes Filho, o deputado estadual, Carlos Avallone; o pró-reitor de Cultura, Extensão e Vivência (Procev), Fabrício Carvalho e o superintendente do Banco do Brasil, Elói Medeiros Júnior.

BASTIDORES

Ginásio lota para prestigiar vitória Brasileira

SINARA ALVARES
Redação/Secom-MT

O ginásio Aecim Tocantins ficou lotado de camisetas verde-amarelas para torcer pela vitória brasileira no Campeonato Sul- Americano de Vôlei masculino. Com a casa cheia, a festa reuniu gente de todas as idades que deram o tom da vitória e fizeram o ginásio tremer no jogo mais acirrado do campeonato.

Pessoas com necessidades especiais também prestigiaram a rivalidade entre Brasil e Argentina e ganharam um local especial perto da quadra. Mesmo com a dificuldade para se locomover na cadeira de rodas, o aposentado Edson Freitas, 81 anos, fez questão de assistir três jogos da seleção neste campeonato. “Muito bem organizado, trataram muito bem agente”, contou o aposentado.

A pequena Alanis Lady, dois anos, também assistiu o jogo e ganhou fotos e abraços do jogador Marlon Yared. “Ela tem um problema motor e por isso anda de cadeira de rodas. Mas ela gosta muito e bate palma para a Seleção, já virou o mascote da quadra”, contou Célia Lady, mãe da menina.

Passar pano e enxugar o chão nunca foi tão divertido para os alunos do projeto Vôlei kids. Os adolescentes, que participam do projeto social, são assistentes de quadra no Campeonato Sul-Americano de Vôlei Masculino e têm a oportunidade de ficar bem pertinho dos jogadores e ainda receber conselhos de quem tem muito a ensinar sobre a carreira.

Karina Silva, 17 anos, joga vôlei há três anos e já tem sua própria coleção de medalhas. Seus ídolos, claro, são os meninos de ouro da Seleção Brasileira. “A gente não pode ser tiete, tem que se controlar, mas é tranquilo porque sabemos que eles vão nos dar atenção. São muito educados disseram que agente tem que treinar muito e acreditar’, contou.

Ao final do jogo, as torcedoras fizeram de tudo para conseguir um autógrafo dos jogadores. Nessa corrida, valeu de tudo: gritos, cartazes e acenos desesperados pela atenção dos vencedores. Quem deixou para a última hora não conseguiu ingresso para ver a disputa. O resultado foi um ginásio também lotado do lado de fora. “Cheguei às 10 horas e não tinha mais ingresso, nem cambista. Participei do jogo aqui de fora mesmo, tentando descobrir o que acontecia lá dentro”, contou uma torcedora.

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

14 − catorze =