gonçalves cordeiro

Na Câmara de Cuiabá, são 94 efetivos e 418 contratados. Gasto com pessoal consome R$ 2.161.423, 38. Justino Malheiros controla verba de R$ 139 mil mensais. CONFIRA SERVIDORES E SALÁRIOS

Justino Malheiros, atual presidente da Câmara dos Vereadores de Cuiabá

A PAGINA DO E teve acesso às planilhas que documentam os gastos da Câmara Municipal de Cuiabá e dos seus vereadores com o seu quadro de pessoal.
Segundo estes documentos, estão sob contrato na Câmara de Cuiabá, atualmente, 94 servidores efetivos e 418 servidores lotados em cargo de comissão.
As maiores despesas com pessoal se concentram na Mesa Diretora da Casa. São 103 mil reais, mensais, à disposição da Mesa, que é comandada, atualmente, pelo discreto vereador Justino Malheiros (PV), cuja eleição é uma espécie de herança que recebeu do pai, o ex-vereador, ex-vice-prefeito, ex-deputado estadual e ex-secretário de Estado João Malheiros.
Além dos recursos que administra na Mesa Diretora, Malheiros também recebe outros R$ 36 mil reais para cobrir as despesas de pessoal com o seu próprio gabinete de vereador.
De acordo com a planilha, cada gabinete de vereador tem direito a investir R$ 41 mil reais com a contratação de pessoal. Justino Malheiros recebe abaixo dessa média, bem como o vereador Juca do Guaraná que, pela planilha, recebe R$ 39.500,00, Marcelo Bussiki, que recebe R$ 38 mil, sendo a menor cota a do vereador Gilberto Figueiredo, com R$ 34 mil.
De acordo com decisão de janeiro deste ano, os vereadores extinguiram a verba de gabinete que era de R$ 27 mil e reduziram a verba indenizatória de R$ 25 mil para 9 mil mensais.
“A remuneração dos agentes públicos constitui informação de interesse coletivo”, disse em decisão de 2012, o então presidente do STF, ministro Ayres de Brito. “A prevalência do princípio da publicidade administrativa outra coisa não é senão um dos mais altaneiros modos de concretizar a República enquanto forma de governo”, acrescentou.
O ministro Marco Aurélio Mello também tem defendido a divulgação. “O servidor não pode pretender ter a mesma privacidade que o cidadão comum. O servidor público, o agente público e o agente político estão na vitrine, são indivíduos de livro aberto. Entre o interesse indivual e o coletivo, prevalece interesse público”, afirmou.

Camara Municipal de Cuiabá – Totalização de Gastos Com Servidores by Enock Cavalcanti on Scribd

Camara Municipal de Cuiabá – Relação de Servidores e Seus Salários by Enock Cavalcanti on Scribd

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

quatro × um =

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.