TCE - NOVEMBRO 2

MP deve investigar Secretário de Saúde, Vander Fernandes

Na semana, o caso do secretário de Saúde, Vander Fernandes, mereceu manchete no jornal Centro Oeste Popular. Neste final de semana, a informação é que a denúncia sobre possiveis negócios escusos de Fernandes com o Estado já chegou ao Ministério Publico, que estuda a abertura de investigação. Confira o noticiário. (EC)

Empresa de secretário prestou serviços ao MT Saúde

JARDEL PATRÍCIO ARRUDA
DO DIÁRIO DE CUIABÁ

Uma empresa do secretário de Estado de Saúde, Vander Fernandes, prestou serviços para o MT Saúde enquanto ele já atuava como secretário-adjunto da pasta e, mais tarde, titular. Vander é um dos três sócios-proprietários do Centro de Infusão de Biológicos de MT (CIB), empresa especializada em tratamento assistido em reumatologia.

O Ministério Público Estadual (MP) recebeu esta semana uma representação contra Vander, a qual será analisada pela Coordenadoria de Patrimônio Público.

Após analise, a representação será distribuída a um promotor, que iniciará uma investigação e, se fundamentada, poderá oferecer denúncia contra o gestor público.

A representação feita ao Ministério Público alega que o Centro de Infusão passou a atender servidores estaduais através do MT Saúde, justamente depois que Vander Fernandes assumiu um cargo na secretaria.

Vander Fernandes assumiu o cargo de secretário-adjunto na Secretaria de Saúde em maio de 2010, tendo assumido como titular da pasta no fim de 2011, quando o então secretário Pedro Henry voltou ao Congresso Federal “para garantir verbas de emendas orçamentárias”.

O secretário também teria aproveitado da sua posição e usado políticas públicas para fazer com que pacientes do SUS fossem encaminhados preferencialmente para o Hospital Geral Universitário, para o qual a empresa de Vander Fernandes presta serviços como terceirizada em 2010, sendo a responsável por terapia assistida daquele hospital.

Uma matéria produzida pela assessoria de imprensa da Secretaria de Saúde em agosto de 2010 anunciava que o Hospital Julio Müller e o Hospital Geral Universitário passariam a ser referências e contariam com um centro de terapias assistidas.

Segundo essa mesma matéria, o autor deste plano foi o então secretário-adjunto Vander Fernandes.

Na referida matéria ele argumenta, para justificar o encaminhamento de pacientes, que “houve a necessidade de incrementar a eficiência da gestão na dispensação (sic) desses medicamentos excepcionais, ou de alto custo que têm prescrição de infusão, o que dará ao paciente no tratamento conforto e segurança”.

A assessoria de imprensa da SES afirmou que Vander Fernandes não vai se pronunciar sobre o assunto, mas, se for notificado, “apresentará as provas de sua inocência e enviará cópias à imprensa”.

Ainda de acordo com a assessoria, o Centro de Infusão de Biológicos de MT deixou de prestar serviços ao Estado e o secretário de Saúde estaria processando outro veículo de comunicação que produziu uma primeira matéria sobre o assunto – que não teria publicado a defesa de Vander.

Apesar de, segundo a assessoria, o Centro de Infusão de Biológicos ter deixado de prestar serviços ao MT Saúde, o nome da empresa ainda aparece no site do plano estadual de saúde como unidade conveniada.

Por sua vez, Adriana Naitelli, administradora do CIB, nega qualquer hipótese de a empresa ter recebido algum benefício em decorrência do cargo público ocupado por Vander.

“Isso não procede. Sempre quem negociou os convênios fui eu, não ele, não tem como ele ter beneficiado”, disse.

Ainda de acordo com ela, o MT Saúde possui até mesmo dívidas com o CIB, o que, de acordo com ela, refutaria as acusações feitas contra o secretário

2 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - Responder

    Se MPE for mesmo a fundo vai descobrir cada coisa

  2. - Responder

    Esse vander ta queimando o Silval barbosa e junto ta (…) os cofres estaduais

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

3 × dois =